Slides

Idade média

Description
1. Idade Média <br />A Idade Média é tratada de forma divergente pelos historiadores. Alguns dizem que foi uma época de trevas, visto que parece não ter havido…
Categories
Published
of 8
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. Idade Média <br />A Idade Média é tratada de forma divergente pelos historiadores. Alguns dizem que foi uma época de trevas, visto que parece não ter havido significativos avanços do saber e da arte. De facto, podemos considerar esse período como uma fase de transição, uma época de dificuldades e inseguranças para a Europa ocidental. No entanto, vale a pena referir que o mesmo foi essencial para o surgimento da civilização moderna, com as suas ideias novas e princípios que mudaram o mundo. <br />
  • 2. Idade Média<br />A Idade Média é dividida em duas fases: <br /> Alta Idade Média (Séc. V a XI): Fase caracterizada essencialmente pelo aparecimento do sistema feudal. Os trabalhadores realizavam um contrato com o senhor feudal: ofereciam trabalho em troca de protecção, abrigo, etc. Por esse motivo, não havia mobilidade social; a economia era de subsistência. Baixa Idade Média (Séc. XII a XV): Nesse período, a Europa Ocidental passou a conhecer o seu “renascer” material e cultural. Assim, as situações se inverteram de tal forma, que o feudalismopassou a ser um sistema decadente, dando lugar para um capitalismo comercial apoiado pela burguesia e pelas monarquias nacionais<br />
  • 3. Feudalismo<br />Entre os séculos V e X, a Europa passou por significativas mudanças de cunho social, político e económico. A crise do Império Romano resultou em uma grande diminuição da actividade comercial, originando a ascensão de uma economia baseada na subsistência. As invasões bárbaras geraram um clima de bastante insegurança, obrigando as populações urbanas a migrar para o campo. Esse conjunto de factores resultou no que chamamos de feudalismo, que nada mais é do que um modo de organização social e político baseado nas relações entre senhor feudal e servo. Nesse período, os reis cediam grandes pedaços de terra aos nobres em troca de apoio militar. Cada porção de terra era chamada de feudo, e seus donos, senhores feudais. Tal título era hereditário, ou seja, passava de pai para filho. A economia feudal era baseada na agricultura e pecuária. A força de trabalho dos feudos era composta por antigos servos e plebeus da sociedade romana. Tais indivíduos firmavam uma espécie de pacto com os senhores feudais, no qual se comprometiam a servi-los, pagar impostos e cumprir diversas outras obrigações. Em troca, o senhor feudal ldava-lhesprotecção e o direito de usar a terra para seu próprio sustento. Desta forma, o poder dos senhores feudais passou a ser maior até mesmo do que o do próprio rei, uma vez que este não era capaz de interferir directamente nas regras estabelecidas dentro dos feudos. Durante cinco séculos, aproximadamente, o feudalismo foi a forma de organização predominante em toda a Europa. Tal situação só mudou a partir do desenvolvimento de técnicas e instrumentos de produção mais modernos, o que resultou em uma nova ascensão do comércio e no crescimento expressivo dos centros urbanos. <br />
  • 4. Feudalismo<br />A economia feudal era baseada na agricultura e pecuária. A força de trabalho dos feudos era composta por antigos servos e plebeus da sociedade romana. Tais indivíduos firmavam uma espécie de pacto com os senhores feudais, no qual se comprometiam a servi-los, pagar impostos e cumprir diversas outras obrigações. Em troca, o senhor feudal dava-lhe protecção e o direito de usar a terra para seu próprio sustento. Desta forma, o poder dos senhores feudais passou a ser maior até mesmo do que o do próprio rei, uma vez que este não era capaz de interferir directamente nas regras estabelecidas dentro dos feudos. Durante cinco séculos, aproximadamente, o feudalismo foi a forma de organização predominante em toda a Europa. Tal situação só mudou a partir do desenvolvimento de técnicas e instrumentos de produção mais modernos, o que resultou em uma nova ascensão do comércio e no crescimento expressivo dos centros urbanos. <br />
  • 5. Feudalismo<br />A economia feudal era baseada na agricultura e pecuária. A força de trabalho dos feudos era composta por antigos servos e plebeus da sociedade romana. Tais indivíduos firmavam uma espécie de pacto com os senhores feudais, no qual se comprometiam a lhe servir, pagar impostos e cumprir diversas outras obrigações. Em troca, o senhor feudal lhe dava protecção e o direito de usar a terra para seu próprio sustento. Desta forma, o poder dos senhores feudais passou a ser maior até mesmo do que o do próprio rei, uma vez que este não era capaz de interferir directamente nas regras estabelecidas dentro dos feudos. Durante cinco séculos, aproximadamente, o feudalismo foi a forma de organização predominante em toda a Europa. Tal situação só mudou a partir do desenvolvimento de técnicas e instrumentos de produção mais modernos, o que resultou em uma nova ascensão do comércio e no crescimento expressivo dos centros urbanos. <br />
  • 6. Império Romano - Monarquia<br />A civilização romana foi uma das mais importantes, uma vez que influenciou definitivamente o mundo ocidental. A civilização surgiu na Península Itálica, entre os mares Tireno e Adriático. Os principais povoadores da região foram os italiotas, povos vindos da Europa Central; os etruscos,; e gregos, que formaram a Magna Grécia. A sua história é dividida em Monarquia, República e Império. Monarquia (753ª 509 a.C.) Nos primeiros cem anos da Monarquia, Roma era apenas uma pequena aldeia. Com a conquista dos etruscos, ocorreu uma rápida modernização da cidade. No período da Monarquia, a sociedade romana era dividida em: - Patrícios: grandes proprietários de terras e escravos, privilegiados e detentores de direito político. - Plebeus: pequenos proprietários e comerciantes, eram livres, mas não participavam da vida política. - Clientes: prestavam serviços aos patrícios e em troca recebiam protecção e benefícios de cunho económico. - Escravos: prisioneiros de guerra sem direito algum. Neste período, Roma era governada por um rei, chefe militar e religioso supremo com cargo vitalício; pelo Senado, reunião dos chefes das famílias patrícias que elaboravam as leis e limitavam as acções do rei; e pela Assembleia Curiata, formada por todos os patrícios adultos e que discutia e votava as leis elaboradas pelo Senado<br />
  • 7. Império Romano - República<br />República (509 a 27 a.C.) Na República, o lugar do rei foi ocupado por uma série de altos funcionários, os magistrados. O Senado passou a ser então, o principal órgão político de Roma. O período da República foi marcado pela constante disputa dos plebeus por melhores condições de vida e por terem privilégios e direitos semelhantes aos dos patrícios. Embora constituíssem a maioria da população, os plebeus não tinham direitos políticos, não podiam casar com os patrícios, além de se tornarem escravos quando não pudessem pagar suas dívidas. Como uma reação a essa situação, os plebeus retiraram-se de Roma para fundar uma nova cidade. Como a maioria da população era formada por plebeus, os patrícios se viram obrigados a ceder e atender às suas reivindicações, através das leis: - Lei das Doze Tábuas: conjunto de leis gravadas sobre pranchas de bronze e expostas publicamente, já que as leis eram transmitidas oralmente apenas aos patrícios. - Lei Canuléia: permitia o casamento entre plebeus e patrícios. - Lei Licínia: proibia a escravidão por dívida. Os romanos tinham um exército grande e organizado, por isso realizaram grandes conquistas militares. As Guerras Púnicas ( 264-146 a.C.) tiveram como principal causa a disputa pelo controle comercial do Mediterrâneo entre Roma e Cartargo, uma antiga colónia fundada pelos fenícios no norte da África. Após constantes combates, os romanos saíram vitoriosos em 146 a.C. <br />
  • 8. Império Romano - República<br />Roma passou a dominar uma extensa região, intervindo na Macedónia, na Grécia, em vários reinos da Ásia Menor e no Egipto. Como consequência destas conquistas militares, podemos citar o crescimento do comércio romano, o contacto com a cultura de muitas regiões, além do crescimento da economia. No final do período da República, se via uma grande diferença na sociedade romana: de um lado, a massa de plebeus pobres e miseráveis; de outro, a nobreza sustentando luxos. Diante dessa situação, os irmãos Tibério e Caio Graco, tributos da plebe, tentaram uma reforma agrária, propondo a distribuição de terras entre camponeses plebeus e limitações ao crescimento dos latifúndios. A proposta não foi aceita pelo Senado e os irmãos Graco acabaram sendo assassinados. Com a morte de Tibério e Caio Graco, um clima de desordem e agitação tomou conta nas cidades romanas. Isso fez com que diversos chefes militares lutarem pelo poder. primeiramente a ascensão de Mário e Sila, sucedidos pelo Triunvirato de Crasso, Pompeu e Júlio César; e pelo Segundo Triunvirato, formado por Octávio, Lépido e Marco António. <br />
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks