Slides

Nomenclatura e classificação de cavidades

Description
1. NOMENCLATURA <br />E <br />CLASSIFICAÇÃO DAS CAVIDADES <br /> 2. NOMENCLATURA<br /> “É um conjunto de termos peculiares à uma arte ou…
Categories
Published
of 92
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. NOMENCLATURA <br />E <br />CLASSIFICAÇÃO DAS CAVIDADES <br />
  • 2. NOMENCLATURA<br /> “É um conjunto de termos peculiares à uma arte ou ciência, pelos quais indivíduos de uma mesma profissão são capazes de entender-se mutuamente.” <br />MONDELLI, J, 1997<br />
  • 3. CAVIDADE<br /> Em Odontologia, é o termo empregado para definir a lesão ou a condição do dente,causada pela destruição de tecido duro. <br />
  • 4. CÁRIE DENTAL<br /> “Reconhecida como uma doença infecto-contagiosa, causada por ácidos orgânicos provenientes da fermentação microbiana dos carboidratos da dieta. A cárie dental leva a destruição dos tecidos duros.”<br />THYLSTRUP,A & FEJERKOV.O, 1988<br />
  • 5. TIPOS<br />DE<br />CAVIDADE<br />
  • 6. CAVIDADE<br />PATOLÓGICA<br /> TERAPÊUTICA<br />
  • 7. CAVIDADE PATOLÓGICA<br />É uma cavidade com forma e dimensões irregulares causada pela destruição dos tecidos duros do dente.<br />
  • 8. CAVIDADE PATOLÓGICA<br />
  • 9. CAVIDADE TERAPÊUTICA<br /> É a cavidade com forma geométrica e dimensões definidas, resultante de um processo cirúrgico que visa remover o tecido cariado. <br /> PREPARO CAVITÁRIO<br />
  • 10. CAVIDADE TERAPÊUTICA<br />
  • 11. CAVIDADE TERAPÊUTICA<br />
  • 12. OBJETIVOS DO PREPARO CAVITÁRIO<br /><ul><li>Remover tecido cariado;
  • 13. Obter formas precisas;
  • 14. Impedir fratura do dente </li></ul> e do material restaurador;<br />
  • 15. CLASSIFICAÇÃO DAS CAVIDADES<br /><ul><li> Quanto a finalidade;
  • 16. De acordo com número de faces</li></ul> que ocorre;<br /><ul><li> De acordo com as faces do dente</li></ul> envolvidas;<br /><ul><li> Classificação de BLACK;
  • 17. Classificação de MOUNT & HUME.</li></li></ul><li>QUANTO A FINALIDADE<br /><ul><li>Terapêutica :cavidade resultante</li></ul> da total remoção da cárie, em <br /> condições de receber material <br /> restaurador direto. Ex: Rest. Am.<br /><ul><li>Protética :cavidade com ou sem</li></ul> lesão de cárie, cujo objetivo é <br /> servir de suporte de uma peça <br /> protética.<br />
  • 18. QUANTO A FINALIDADE<br /><ul><li> Cavidade Terapêutica</li></li></ul><li>QUANTO A FINALIDADE<br /><ul><li> Protética</li></li></ul><li> DE ACORDO COM O NÚMERO DE FACES EM QUE OCORRE<br /><ul><li> Simples
  • 19. Composta
  • 20. Complexa </li></li></ul><li><ul><li> quando atinge uma só face do dente.</li></ul>CAVIDADE SIMPLES<br />
  • 21. <ul><li> quando atinge duas faces do dente.</li></ul>CAVIDADE COMPOSTA<br />
  • 22. <ul><li> quando atinge três ou maisfaces</li></ul>do dente.<br />CAVIDADE COMPLEXA<br />
  • 23. CAVIDADE OCLUSAL (O)<br />DE ACORDO COM AS FACES ENVOLVIDAS<br />
  • 24. Oclusal<br />Mesial<br /> Distal<br />DE ACORDO COM AS FACES ENVOLVIDAS<br />Oclusal<br /> Distal<br />Mesial<br />CAVIDADE<br /> MÉSIO-OCLUSAL (MO)<br />CAVIDADE<br /> DISTO-OCLUSAL (DO)<br />
  • 25. DE ACORDO COM AS FACES ENVOLVIDAS<br />Oclusal<br /> Distal<br />Mesial<br />CAVIDADE<br />MÉSIO-OCLUSO-DISTAL (MOD)<br />
  • 26. PARTES CONSTITUINTESDAS CAVIDADES<br />
  • 27. PARTES CONSTITUINTES DAS CAVIDADES<br /><ul><li> Paredes
  • 28. Ângulos </li></li></ul><li>Paredes<br /><ul><li> São os limites internos das cavidades.
  • 29. Circundantes
  • 30. Fundo </li></li></ul><li>Paredes Circundantes<br /><ul><li> São as paredes laterais da cavidade.
  • 31. Recebem o nome da face do dente a que</li></ul> correspondem ou estão mais próximas.<br />V<br />D<br />Classe I<br />M<br />L<br />
  • 32. Classe II<br />Classe III<br />Paredes Circundantes<br />M ou D<br />V<br />L<br />L<br />V<br />c<br />c<br />
  • 33. Paredes de Fundo<br /><ul><li>São as paredes correspondentes ao</li></ul> soalho da cavidade. <br /><ul><li> Pulpar
  • 34. Axial</li></li></ul><li>P<br />Paredes de Fundo<br /><ul><li> PULPAR –parede que apresenta-se</li></ul> perpendicular ao longo eixo do dente<br /> ou paralela à face oclusal.<br />
  • 35. Classe II<br />Classe I<br />P<br />Paredes de Fundo<br />GBPD 2005<br />
  • 36. A<br />Paredes de Fundo<br /><ul><li>AXIAL –parede que apresenta-se</li></ul> paralela ao longo eixo do dente.<br />O<br />V<br />D<br />M<br />V<br />L<br />L<br />c<br />
  • 37. PARTES CONSTITUINTES DAS CAVIDADES <br />Paredes Circundantes<br />V<br />M ou D<br />M<br />V<br />L<br />D<br />P<br />A<br />L<br />Paredes de Fundo<br />
  • 38. MOD<br />MO<br />PARTES CONSTITUINTES DAS CAVIDADES <br />Paredes Circundantes<br />V<br />M<br />L<br /> G <br />ou<br /> C<br /> G <br />ou<br /> C<br />V<br />P<br />A<br />L<br />G ou C<br />Paredes de Fundo<br />
  • 39. ÂNGULOS<br /><ul><li> Ângulo – é a linha ou ponto resultante</li></ul> da união de duas ou mais paredes.<br /><ul><li> Ângulos Diedros
  • 40. Ângulos Triedros
  • 41. Cavo - Superficial</li></li></ul><li>Ângulos Diedros<br /><ul><li> São formados pela união de</li></ul> duas paredes de uma cavidade,<br /> denominados pela combinação <br /> dos seus respectivos nomes. <br /> Podem ser do: <br />10 ; 20 ou 30 Grupo.<br />
  • 42. Ângulo Diedro<br /> 1o Grupo<br /><ul><li> É o ângulo formado pela união de </li></ul> duas paredes circundantes.<br /> V, L, M, D, e C<br />Vestibular / Mesial ou Distal (V-M ou V-D)<br />Lingual / Mesial ou Distal (L-M ou L-D)<br />Vestibular / Cervical (V-C)<br />Lingual / Cervical ( L-C)<br />
  • 43. Ângulos Diedros<br /> 1o Grupo<br />M-V<br />Ou<br />V- M<br />D-V<br />Ou<br />V- D<br />Mésio – Vestibular<br /> ou<br />Disto – Vestibular<br /> ou<br />V<br />Vestíbulo – Distal<br />Vestíbulo – Mesial<br />V<br />M<br />D<br />M- L<br />Ou<br />L- M<br />D- L<br />Ou<br />L- D<br />L<br />Mésio – Lingual<br /> ou<br />Disto – Lingual<br /> ou<br />L<br />Linguo – Distal<br />Linguo – Mesial<br />Cavidade Oclusal (O)<br />
  • 44. Ângulos Diedros<br /> 1o Grupo<br />V- C<br />Ou<br />C- V<br />L- C<br />Ou<br />C- L<br />M- V<br />Ou<br />V- M<br />L- M<br />Ou<br />M- L<br />Vestíbulo – Cervical <br /> ou<br />Linguo – Cervical<br /> ou<br />Mésio – Vestibular <br /> ou<br />Linguo – Mesial<br /> ou<br />Cérvico – Lingual<br />Mésio – Lingual<br />Cérvico – Vestibular<br />Vestíbulo – Mesial<br />Cavidade Mésio Oclusal (MO)<br />M<br />V<br />L<br />c<br />
  • 45. Ângulos Diedros<br /> 2o Grupo<br /><ul><li>É o ângulo formado pela união de uma</li></ul> parede circundante com uma parede <br /> de fundo.<br />V, L, M, D, e C com Axial ou Pulpar<br />Vestibular/ Pulpar ou Axial (V-P) (V-A)<br />Lingual/ Pulpar ou Axial (L-P) (L-A)<br />Cervical / Axial (C-A)<br />Mesial / Pulpar ou Axial (M-P) (M-A)<br />Distal / Pulpar ou Axial (D-P) (D-A)<br />
  • 46. Ângulos Diedros<br /> 2o Grupo<br />Cavidade Oclusal (O)<br />Vestíbulo-pulpar<br />V-P<br />ou<br /> Pulpo-Vestibular<br />Disto-pulpar<br /> D-P<br />ou<br />Pulpo-Distal<br />P-D<br />V<br />D<br />P<br />M<br />Mésio-pulpar<br /> M-P<br />ou<br />Pulpo-Mesial<br />P-V<br />Linguo-pulpar<br /> L-P<br />ou<br />Pulpo-Lingual<br />L<br />
  • 47. Ângulos Diedros<br /> 2o Grupo<br />M ou D<br />V<br />L<br />P<br />A<br />C<br />Disto-Pulpar (D-P) ou Pulpo-Distal (P-D)<br /> ou<br />Mésio-Pulpar (M-P) ou Pulpo-Mesial (P-M)<br />Áxio Lingual (A-L)<br />Ou<br />Língüo-Axial (L-A)<br />Áxio-Vestibular (A-V)<br />ou<br />Vestíbulo-Axial (V-A)<br />Áxio Cervical (A-C)<br />ou<br />Cérvico-Axial (C-A)<br />
  • 48. Ângulos Diedros<br /> 3o Grupo<br /><ul><li>É o ângulo formado pela união das paredes </li></ul> de fundo da cavidade.<br />Axial e Pulpar (A-P)<br />
  • 49. Ângulos Diedros<br /> 3o Grupo<br />D ou M<br />V<br />V<br />L<br />P <br />D <br />P<br />A<br />M<br />A<br />C<br />L<br />Áxio Pulpar (A-P)<br /> ou<br />Pulpo-Axial (P-A)<br />
  • 50. Ângulos Triedros<br /><ul><li> São ângulos formados pelo encontro de três paredes e denominados pela combinação </li></ul> de seus respectivos nomes.<br />
  • 51. Ângulos Triedros<br />Disto-Linguo-Pulpar<br /> D-L-P<br />D<br />V<br />L<br />A<br />C<br />Vestibulo-Cérvico-Axial (V-C-A)<br />
  • 52. Ângulo Triedro<br /> Incisal<br />I<br />P<br />ou<br />L<br />V<br />Triedro Incisal<br />
  • 53. Ângulo Cavo-superficial<br /><ul><li> É o ângulo formado pela </li></ul> junção das paredes da <br /> cavidade com a superfície <br /> externa do dente.<br />
  • 54. Ângulo Cavo-superficial<br />Cavo-superficial <br /> Definido (Am)<br />MONDELLI, 2003<br />
  • 55. Ângulo Cavo-superficial<br /> Cavo-superficial <br /> Biselado (RMF)<br />MONDELLI, 2003<br />
  • 56. CLASSIFICAÇÃO DAS CAVIDADES PROPOSTA POR G.V.BLACK<br /><ul><li> Etiológica
  • 57. Baseada nas áreas do dente que apresentam suscetibilidade à cárie.
  • 58. Cavidades em Cicatrículas e Fissuras
  • 59. Cavidades em Superfície Lisas</li></li></ul><li>CLASSIFICAÇÃO DAS CAVIDADES PROPOSTA POR G.V.BLACK<br /><ul><li> Artificial
  • 60. Baseada na técnica de instrumentação </li></ul> da cavidade<br />
  • 61. CICATRÍCULAS E FISSURAS<br />Sucetibilidade à cárie<br />
  • 62. SUPERFÍCIE LISA<br />Imunidade Relativa à cárie<br />
  • 63. CLASSIFICAÇÃO ARTIFICIAL DE BLACK<br /><ul><li>Classe I
  • 64. Classe II
  • 65. Classe III
  • 66. Classe IV
  • 67. Classe V</li></li></ul><li> CLASSE I <br /><ul><li>Regiões de má coalescência do esmalte (cicatrículas e fissuras) </li></ul>- Oclusal de pré-molares e molares;<br /> - 2/3 oclusais da face vestibular dos molares inferiores;<br /> - 2/3 oclusais da face palatina dos molares superiores;<br /> - Palatina dos incisivos e caninos superiores.<br />
  • 68. CICATRÍCULA E FISSURA<br />
  • 69. CLASSE I<br />
  • 70. CLASSE II <br /><ul><li> Faces proximais de molares e</li></ul> pré-molares.<br />
  • 71. CLASSE II<br />MO ou DO <br />
  • 72. CLASSE III <br /><ul><li> Faces proximais (mesial e/ou distal) dos dentes anteriores (incisivos centrais, laterais e caninos), sem comprometimento do ângulo incisal.</li></li></ul><li>CLASSE III<br />
  • 73. CLASSE IV <br /><ul><li> Faces proximais (mesial e/ou distal) dos dentes anteriores (incisivos centrais, laterais e caninos),com comprometimento do ângulo incisal.</li></li></ul><li>CLASSE IV<br />
  • 74. CLASSE V <br /><ul><li>Terço gengival ou cervical das faces vestibulares e linguais de todos os dentes.</li></li></ul><li>CLASSE V<br />
  • 75. CLASSE VI <br /><ul><li> Bordas incisais e nas </li></ul> pontas de cúspides.<br />Howard e Simon<br />
  • 76. CLASSE Vl<br />
  • 77. CLASSE I DE SOCKWELL<br /><ul><li>Cicatrículas e fissuras </li></ul> incipientes “em ponto”<br /> na face vestibular de <br /> dentes anteriores.<br />
  • 78. CLASSE I DE SOCKWELL<br />
  • 79. NOMENCLATURA<br />Black primeiro autor a se preocupar<br />com a classificação dos preparos <br />cavitários.<br />
  • 80. Dental Office G.V Black<br />
  • 81. PRESERVATION AND RESTORATION <br /> OF TOOTH STRUCTURE<br />Graham J. Mount & W.R. Hume<br /> Ed. Mosby, 1998<br /> Nova Classificação<br /> das Lesões de Cárie <br />
  • 82. Considera os locais de maior acúmulo<br /> do biofilme, tanto na raíz como na coroa.<br />CLASSIFICAÇÃO DE MOUNT & HUME<br />TAMANHOE NALOCALIZAÇÃO<br />DA LESÃO DE CÁRIE<br /> Mount, G.J.; Hume, W.R., A revised classification<br /> of carious lesions by site and size. Quintessence <br /> Int. 1997; 28; 301-303.<br />
  • 83. Classificação de Lesões de Cárie <br />1<br />2<br />3<br />
  • 84. LOCALIZAÇÃO 1<br />LOCALIZAÇÃO 2<br />LOCALIZAÇÃO 3<br />- Sulcos, fissuras e defeitos no esmalte da superfície oclusal dos dentes posteriores ou de outras superfícies lisas.<br />- Superfície proximal imediatamente abaixo das áreas de contato com o dente vizinho.<br /> - Superfície correspondente ao 1/3 gengival da<br />Coroa ou superfície radicular.<br />
  • 85. TAMANHO 1<br />TAMANHO 2<br /><ul><li> Mínimo envolvimento da dentina, na qual a</li></ul> remineralização é o tratamento correto.<br /><ul><li> Moderado envolvimento da dentina. Após o preparo cavitário, o remanescente do esmalte é sadio, suportado por dentina sadia e não falha </li></ul> sobre cargas oclusais.<br />
  • 86. TAMANHO 3<br />TAMANHO 4<br /><ul><li> A cavidade é maior que a anterior, no entanto, o remanescente dental é suficientemente forte para </li></ul> suportar a restauração.<br /><ul><li> Cáries extensas com grande perda de estrutura </li></ul> dentária ou ausência total de cúspides.<br />
  • 87. Tamanho<br />Mínimo<br />Moderada<br />Ampla<br />Extensa<br />Localização(1) (2) (3) (4)<br />Cicatrículas e Fissuras (1)1.11.2 1.31.4<br />Faces de Contato (2) 2.1 2.2 2.3 2.4<br />Cervical (3) 3.1 3.2 3.3 3.4 <br />Proposta de Classificação <br /> de Lesões de Cárie <br />MOUNT, G.J. & HUME, W.R. Quintessense Int. 28 : 301-3,1997<br />
  • 88. <ul><li> Não inclusão de lesões cariosas não cavitadas;
  • 89. Não referências à profundidade da lesão.</li></ul>DEFICIÊNCIAS NESTA CLASSIFICAÇÃO<br />Classificação <br />MOUNT & HUME MODIFICADA<br />LASFARGUES,J.J. et al. – New concepts of minimally invasive preparations: a SI/STA<br />concept. In: ROULET,J.F. & DEGRANGE,M. ADHESION: the silent revolution. <br />Quintessense, London, 2000, 107- 152<br />
  • 90. ESTÁGIO 0<br />ESTÁGIO 1<br />Classificação <br />MOUNT & HUME MODIFICADA<br />O diagnóstico clínico demonstra<br />atividade da doença, porém sem <br />presença de cavitação.<br />Constata-se a presença de uma<br />alteração superficial que progride<br />além da área de remineralização.<br />
  • 91. ESTÁGIO 2<br />ESTÁGIO 3<br />ESTÁGIO 4<br />Presença de lesão de tamanho <br />moderado com cavitação localiza<br />da em dentina sem o enfraqueci-<br />mento das cúspides.<br />Presença de lesão grande, com <br />extensa cavitação em dentina <br />causando enfraquecimento das <br />cúspides.<br />Presença de lesão muito grande, <br />cuja progressão foi capaz de <br />destruir uma ou mais cúspides.<br />
  • 92. Tamanho - Estágio<br />Ausência<br />de<br />cavidade<br />Muito<br />Grande<br />Moderada<br />Grande<br />Mínima<br />Localização(0) (1) (2) (3) (4)<br />Cicatrículas e Fissuras (1)1.01.1 1.21.31.4<br />Faces de Contato (2) 2.0 2.1 2.2 2.3 2.4<br />Cervical (3) 3.03.1 3.2 3.3 3.4<br /> Classificação <br /> MOUNT & HUME MODIFICADA<br />LASFARGUES,J.J. et al. , 2000<br />
  • 93. Lesão 1.0<br />Lesão 3.0<br />
  • 94. Lesão 1.1<br />Lesão 1.2<br />
  • 95. Lesão 1.3<br />Lesão 1.4<br />
  • 96. Lesão 2.1 (12) 2.2 (11) 2.3 (21) e 2.4 (22)<br />Lesão 2.2<br />
  • 97. Lesão 2.3 (11) 2 e Lesão 2.4 (12)<br />Lesão 3.1<br />
  • 98. Lesão 3.2<br />Lesão 3.3<br />
  • 99. Lesão 3.4<br />
  • Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks