Slides

O correio da serra

Description
1. Cunha e região :: Ano 01 :: Nº 01 :: Outubro, 2010 O Correio DivUlgAçãO da Serra Um jornal independente, a serviço da comunidade Festival de Cerâmica é…
Categories
Published
of 8
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. Cunha e região :: Ano 01 :: Nº 01 :: Outubro, 2010 O Correio DivUlgAçãO da Serra Um jornal independente, a serviço da comunidade Festival de Cerâmica é atração em Cunha A cidade terá uma programação especial Página 4 Entrevista com o presidente da Câmara dos vereadores, Estrada Cunha-Paraty DivUlgAçãO Neto do Duca Neto Página 7 CMYK Página 3
  • 2. E 2 :: O Correio da Serra :: Cunha, Outubro/2010 EDITORIAL Um NOvO JOrNAl Este é o primeiro número do jornal “O Correio da Serra”. É um jornal para Cunha e as cidades circunvizinhas, que se interdependem, como guaratinguetá, Paraty, Silveiras, lagoinha e outras. O principal objetivo de “O Correio da Serra” é retratar o momento atual de nossas cidades, promover seu comércio e contribuir para o maior desenvolvimento do turismo, grande riqueza que possuímos e não exploramos o suficiente. Este jornal pretende primar pela verdade, pela análise crítica e positiva que aponte caminhos sensatos C e produtivos para nossa população. Pretende também chegar a todas as residências, pontos comerciais, escolas, hotéis e pousadas. Para isto, temos esta edição impressa que se inicia como mensal e que pode passar a quinzenal ou semanal, dependendo do apoio e do interesse da comunidade e está também na internet, onde pode ser lido no site www.ocorreiodaserra.com.br. É Cunha se abrindo para o mundo e para o futuro. Junte-se a nós e seja nosso leitor, nosso assinante, nosso anunciante. O Correio POlÍtiCA E ÉtiCA NO JOrNAliSmO ESPAÇO ABERTO da Serra onfesso que não sei se alguém já expôs esta idéia com estas mesmas palavras, mas eu arrisco dizer: assim como a pressa é inimiga da perfeição, o exagero é inimi- de injustificável autopromoção. É verdade que empresas jornalísticas também têm de vender seu produto, como um jornal, um site ou um programa de rádio/TV. Mas jorna- lista algum deveria ter de vender a informação em si. Esta go da credibilidade. É um conceito óbvio, deveria ser apresentada de forma equilibrada, propor- Um jornal independente, a serviço da comunidade especialmente para quem lida diariamente cional, sob uma perspectiva ampla e com a apresentação com informação, ou seja, nós, jornalistas. de todos os seus lados relevantes. Qualquer exagero na ExPEDiENtE O bom jornalismo prevê o abandono do oferta da informação pode abalar a confiança do receptor exagero, da convicção cega, de ataques raivosos ou elogios no mensageiro. bajuladores. A imprensa não é parte da história que cobre, Na cobertura da atual campanha presidencial brasileira Diretor Presidente seu papel é informar, questionar, expor contradições e têm havido exageros de todas as partes. Alguns profissio- Oswaldo de C. Macedo esclarecer dúvidas sem fechar as portas para nenhum nais da imprensa, convencidos de que o país ganharia com argumento, sem jamais dar-se por satisfeita. Quando dá o fim do comando petista no Planalto, alertam para uma Jornalista Responsável: espaço às várias facetas da realidade, ao contraditório, o espécie de apocalipse caso Dilma Rousseff vença a disputa, Iara de Carvalho – MTB nº 10.655 bom jornalismo acumula credibilidade junto ao público. como indicam até agora as pesquisas de opinião. Quem está disposto a questionar tudo e todos de forma Outros, convencidos da necessidade de se dar continui- Diagramação: objetiva, sem superdimensionar o valor das respostas dade ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva, prevêem o Luciano Lobato – (12) 9191-5399 encontradas, terá o respeito, a crença e a admiração do desaparecimento de tudo que ocorreu de bom no país nos Registro no Cartório de Imóveis e registros de consumidor da informação. últimos anos caso José Serra vire o jogo na reta final. Tal Cunha protocolizado sob nº 246 , no livro nº O exagero cabe àqueles que lucram diretamente com apresentação desproporcional das informações, ou seja, 1,em data de 28/07/10 e registrado nesta data, o que oferecem. Um vendedor pode exagerar sobre os da realidade deveria estar confinada ao horário eleitoral sob o nº 3, no livro nº arquivo digitalizado – benefícios de um produto, assim como um político pode gratuito, onde fatos e ficção costumam caminhar lado a Cunha 12 de agosto de 2010 superdimensionar ou mesmo inventar qualidades ao se lado. Av: Padre Rodolfo, 285, fundos – Alto dirigir ao eleitorado. Ambos precisam apenas pesar o Cruzeiro – Cunha – SP risco de serem expostos na divulgação de propaganda Telefone: (12) 97 59 03 55 CMYK enganosa, mas consumidor e eleitor já esperam certa dose E-mail: ocorreiodaserra.macedo@gmail.com Oswaldo de C. Macedo www.ocorreiodaserra.com.br Impressão: Jornal “Diário de Taubaté”
  • 3. Cunha, Outubro/2010 :: O Correio da Serra :: 3 EStrADA CUNhA-PArAty D as escalpas da Serra do mar à virada da serra como se diz aqui em Cunha, temos muitos caminhos que levam em direção ao interior, mas entre eles está a estrada Cunha - Paraty, que apesar do passar dos anos, continua inacabada. Cada vez que se fala em pavimentação do trecho de 9,4 km depois da divisa entre os Estados de São Paulo e rio de Janeiro, a população reage com um certo ceticismo dizendo que: “há muita politicagem” e falta de interesse na conclusão desse pedaço que tanto martiriza os motoristas que se aventuram na descida ou subida da serra. tanto a descida como a subida não retira dos motoritas o cuidado, apesar da beleza imposta pela natureza aos olhos de quem por alí se aventura, mesmo que seja para no final deixar aquele grito de “até que enfim cheguei” no asfalto. O prefeito de Paraty disse no programa Clube Sertanejo pela Nova Fm 87,9, de Paraty, que estava muito feliz e gostaria de dividir com seus municípes a abertura da licitação terça-feira, 10 de agosto de 2010 AGORA É OFICIAL LICITAÇÃO ESTRADA PARATY CUNHA Abaixo está na Integra a cópia da licitação e a empresa vencedora: Licitação 09/08/2010 - Aviso A Assessoria de Licitações torna público que fará realizar as licitações abaixo especifica- das: PROCESSO Nº E-17/203.255/2010 REF: CONCORRÊNCIA ALC Nº 55/2010 TIPO: Menor Preço OBJETO: “Obras de implantação, pavimenta- ção, drenagem, obras de arte e contenções na RJ-165, Estrada Paraty – Cunha – Trecho: Parque Nacional Serra da Bocaina (PNSB), extensão 9,4 km”. ORÇAMENTO OFICIAL: R$ 67.191.755,14 (incluído BDI de 16%) PRAZO: 540 dias corridos DATA DA LICITAÇÃO: 08/09/2010 às 10:00 horas. RJ-165 Paraty-Cunha ORÇAMENTO 201 / 10 Número da Licitação 078/2010 Menor Preço Modalidade Concorrência 055/2010 Data Licitação 08/09/2010 No. Processo E-17 / 203255 / 2010 Mês (Io) FEV/2010 Valor Orçamento 67.191.755,14 Valor Proposto 66.962.355.92 Empresa Vencedora Consórcio Serra da Bocaina (Metropolitana e Geomecânica) Prog.Trabalho 0741.2678200153.047 CMYK Nat.Desp. 4490.51 Julgamento de Proposta 22/09/2010
  • 4. 4 :: O Correio da Serra :: Cunha, Outubro/2010 Festival de Cerâmica é atração em Cunha A cidade terá uma programação especial Na sua terceira edição, o festival de cerâmica de Cunha apresentará diversas atrações entre os dias 2 e 24 de outubro. Na inauguração haverá uma exposição coletiva e depois os visitantes poderão ver, nos atelies aberturas de fornadas. Na praça da Matriz vai ser apesentada diversas oficinas e workshops. Ao percorrermos o trecho paulista A ARTE DO BARRO do Vale do Paraíba, eixo que liga as duas maiores metrópoles do país, não podemos imaginar os aspectos contrastantes que aí se desenvol- vem. Ao lado de modernos parques industriais e de importantes cen- tros de pesquisa, subsistem até hoje pequenos núcleos de artesãos, que conservam as características mais arcaicas da nossa cultura. Entre esses artesãos deve-se destacar os que, trabalhando o barro, produzem obras de grande beleza plástica: a cerâmica do Vale do Paraíba. A presença de grande quantidade de argila nas margens dos rios propi- ciou o desenvolvimento na região dessa atividade que liga profunda- mente o homem ao barro. Durante muito tempo deu-se preferência à argila encontrada nas o que favorece a execução de um bom domésticos, era encontrada em toda Benedita Olímpia de Abreu - a Dita camadas mais profundas do solo, trabalho. à região. Atualmente, porém, está res- do Maneco (foto)– com idade avan- porque estas apresentam maior No Vale do Paraíba encontramos trita á cidade de Cunha núcleo de glo- çada (97), que conservou a tradição grau de pureza. dois tipos de cerâmica: A primeira, rioso passado histórico, onde somen- de fazer manualmente peças de rara O material é depois macetado com cuja origem está ligada à prática silví- te uma paneleira, como é conhecida beleza e linhas comparáveis ao mais o auxilio de uma mão de pilão, até cola de usar o barro para fazer potes, essa artesã, continua viva hoje. D. moderno design. adquirir uma contextura aveludada, vasos, ânforas e outros utensílios A arte da cerâmica cunhense existe desde que a região era ocupada pelos índios. A tradição ganhou força com a vinda de ceramistas japoneses e por- tugueses na década de 70, introdu- zindo a cerâmica de alta temperatura, com o primeiro forno Noborigama. Entre os destaques da programação estão a Queima no Raku do Atelier Gaia, com direito à palestra sobre téc- nicas, happy hour e sorteio de peças, no dia 9; a Abertura de Fornada no dia 10, com queima coletiva em forno a gás com esmaltação à base de sal; e as performances ao vivo dos ceramistas Luciano Escultor, Mauricio Flausino e Alberto Cidraes na Praça da Igreja CMYK Matriz no dia 11.
  • 5. Cunha, Outubro/2010 :: O Correio da Serra :: 5 João José de Oliveira veloso lança livro sobre história de Cunha O professor João José de Oliveira mento da ciência há dificuldade de Veloso, lançou no dia 25 último o seu imaginarmos que há quatrocentos Livro sobre a história de Cunha. A anos atrás, era uma imensidão ter- festa de lançamento foi um sucesso, e ritorial. Com um país iniciando seus contou com a presença de professo- primeiros passos diante da conquis- res e intelectuais vale paraibanos. ta de um território inóspito, onde O trabalho publicado pelo pro- portugueses e silvícolas entravam fessor Veloso é fruto de uma pes- em constantes conflitos ou se asso- quisa de mais de trinta anos e, não ciaram em verdadeiras epopéias é uma obra inicial, pois o autor já sertão adentro. tem outras publicações que somam Enfrentando doenças, animais como experiência. Como membro peçonhentos, fome e guerras, para do IEV (Instituto de Estudos Valepa- criarem as bases desse país que raibanos) ele é bastante respeitado conhecemos. Só mesmo através pelos pesquisadores e historiadores do esforço de pesquisadores, é que do Vale. Veloso soma experiência podemos vislumbrar e conhecer os desde a tradução do livro “O fim de passos dessa sociedade que chegou uma tradição do brasilianista” do até nós, através desses verdadeiros professor Robert W. Shirley. Na ela- heróis, mártires ou mesmo homens boração de sua tese de doutorado sem pudor, guerreiros,escravagistas, do professor Shirley, abriu espaço Mas, o certo é que foi uma emprei- para novos pesquisadores e Veloso tada sofrida, paga muitas vezes com acaba sendo um deles. O trabalho a própria vida, para que tivéssemos como tradutor e aprendiz o levou Paraíba e no arquivo do Estado, bus- Diante dessa inquietude temos nosso território demarcado, nossas para busca constante de dados e cando informações sobre a cidade e como resultado no pleno limiar do estradas abertas e nossas riquezas informações nos museus do Vale do o povo cunhense. século XXI e, com todo o desenvolvi- conhecidas e exploradas. iNCENtivO AO tUriSmO É necessário capacitar os habitantes da cidade em relação ao potencial turístico, seja pelos atrativos do patrimônio histórico, ecoturismo ou o turismo rural, para acolher e acomodar os visitantes, encantando-os com a tradicional hospitalidade cunhense, o que irá incentivar a propaganda boca a boca, atraindo mais pessoas. Como dizem aqui na serra, Cunha é possam andar seguro pelo municí- restaurantes, hotéis fazenda e outros, soas que virão assistir à Copa de 2014 grande, são muitas vontade em meio pio. aproveitando o enorme fluxo de pes- e às Olimpíadas de 2016. a tantas belezas. Muitas culturas, É necessário capacitar os habitan- muita história, muitos causos. Todo tes da cidade em relação ao poten- este potencial que a cidade possui cial turístico, seja pelos atrativos do não tem sido bem aproveitado para patrimônio histórico, ecoturismo ou o atrair visitantes de outros lugares. turismo rural, para acolher e acomo- O turismo é uma fonte de riqueza e dar os visitantes, encantando-os com geração de renda para grande parte a tradicional hospitalidade cunhen- da população, e precisa ser explorado se, o que irá incentivar a propaganda com mais eficácia. boca a boca, atraindo mais pessoas. Propomos mudanças e alternativas É importante que se apóie as festas para que a cidade desenvolva cada vez tradicionais e culturais da cidade, o mais o seu potencial, inclusive uma seu patrimônio cultural e imaterial, forte divulgação na busca de desper- divulgando os eventos para públicos tar o desejo de conhecer as maravi- específicos buscando linhas especí- lhas da nossa cidade. ficas de financiamento e cobrando Incrementar a divulgação dos Cir- das Instituições públicas alternativas cuitos Turísticos para aumentar a para melhorar a infra-estrutura de CMYK atração de visitantes, para que eles acolhimento em hotéis, pousadas,
  • 6. 6 :: O Correio da Serra :: Cunha, Outubro/2010 Culinária local e cultura A CiDADE E AS mONtANhAS Em Cunha se discute muito a capacidade de mais parou. Começou fazendo coisas simples cada um de cozinhar. Nos grandes centros urba- na cozinha, mas depois passou a experimentar nos com prateleiras e prateleiras de refeições receitas mais complexas, acrescentado ou tiran- prontas disponíveis nos supermercados, fala-se do ingredientes para que seus sabores fossem muito que a arte da cozinha está sendo esqueci- adaptados ao gosto da família e dos amigos que da, e que uma nova geração de brasileiros urba- se reuniam em sua casa nos finais de semana. nos não só não sabe cozinhar, como também Pelo sim, pelo não, temos que colocar as crian- não sabe de onde vem a comida. Aqui parece ças desde cedo para ajudar a lavar legumes, quem tem sido diferente, pois há muita gente bater ovos... e eles adoram. que cozinha muito bem e os restaurantes com Claro, depois a gente tem que lidar com a comidas típicas, tanto na cidade como na área bagunça na cozinha. Mas segundo os especia- rural preparam com muito cuidado os pratos a listas, esta é mais do que compensada pelos serem servidos aos turistas que se aventuram benefícios. por essas bandas dispensando a comodidades Fica então, como sugestão, uma receita de dos shoppings ou dos grandes supermerca- bolinho caipira bem fácil, e gostoso, que apren- dos. di com minha mãe e que muitas avós podem Desde a mais tenra idade temos que educar os fazer junto com seus netos unindo história e Depois de sair do interior e estudar medicina, o doutor nossos hábitos alimentares. Por isso, temos que gerações. Matosinho passou a gostar do estudo de caso em pato- procurar valorizar o nosso modo de ver e apre- logia clínica. Mais tarde adquiriu um laboratório que ciar os alimentos que muitos anos serviu aos seus interesses em relação à chegam diariamente as pesquisa com tecidos humanos. Mais recentemente, já nossas mesas. É preci- aposentado como médico chefe do Hospital do Servidor, so saber o que come em São Paulo, resolveu trazer para Cunha os arquivos e a qualidade do esta- do laboratório. mos consumindo, mas Em sua fazenda no Bairro do Pinhal, no distrito de como cada um sabe o Campos de Cunha, imóvel esse adquirido há trinta anos bucho que tem, fica a com a intenção de investir em reflorestamento, o que dúvida sobre o que acabou não se consumando. Mas, os investimentos aca- devemos ensinar as baram migrando para de laticínio devido à abundância nossas crianças sobre local na produção leiteira e, o grande número de peque- a preparação dos ali- nos produtores com dificuldades para vender direta- mentos. Ainda assim, mente para a cooperativa de laticínios de Guaratinguetá muitas crianças em por causa dos altos custos do tanque de refrigeração do escolas primárias não leite. O laticínio de propriedade do doutor Matosinho sabem de onde vem o presta nesses tempos de crise um serviço à Cunha, man- leite, ou o que é uma tendo muitos empregos autóctones. cebola, um alho poró, O laboratório, que também veio da capital paulista, ou até mesmo alguns conta com 1,2 milhão de dados com informação deta- tipos de cheiro verde utilizados na preparação lhada sobre a patologia de cada paciente e, cada amostra de certos pratos típicos da culinária local. Cunha desses tecidos humanos está recebendo uma espécie que se destaca na região pela sua boa cozinha de congelamento feito em placa de cera. Além, desse Bolinho caipira ou mata-fome o capricho de sua gente simples na arte de pre- 2 xícaras (chá) de farinha de milho trabalho minucioso, ele contratou e treinou uma equipe Ingredientes parar pratos deliciosos pode aproveitar bem 1 xícara (chá) de farinha de mandioca crua de pessoas, todas elas originárias da região para digi- melhor os dotes ensinando para as crianças a Caldo de carne feito com 500 gramas de carne talizar as amostras laboratoriais. O doutor Matosinho cozinharem com muito amor, não apenas para cozida em pedaços, com bastante tempero, enfatiza sempre, quando fala de sua equipe e o trabalho que elas aprendam de onde vem os alimentos e cebola, alho, cheiro-verde e pimenta, sal a gosto, deles no lugar onde nasceram, porque ali é o lugar mais como eles se transformam, mas também porque óleo para fritar. importante para manter a identidade cultural das pes- as receitas e o medir e pesar dos ingredientes soas. Para ele, “a contribuição da equipe é extremamente ajudam na matemática e na leitura. 1. Em uma vasilha, misture as farinhas e vá importante, principalmente pela proximidade e a von- Modo de fazer Cozinhar também ajuda na capacidade de adicionando o caldo de carne fervente, mistu- tade com que realizam suas tarefas”. Ao ressaltar isso, concentração e é uma ótima atividade para as rando até ficar uma farofa úmida. Deixe esfriar podemos observar a importância e a dedicação entre o crianças, além de elas aprenderem sobre o valor um pouco. Amasse muito bem até ficar macia. médico e sua equipe de trabalho, pela desenvoltura dos do próprio trabalho e terem o prazer de comer 2. Pegue uma pequena porção de massa (1 funcionários ao explicarem cada função e os dados refe- algo preparado por elas mesmas - o que ajuda colher de sopa mais ou menos), abrindo-se na rentes a cada paciente catalogado nas placas de cera ou a aumentar a autoconfiança, vão aprender a mão. Recheie com porções de carne cozida, até mesmo nas placas de vidro, que ainda não passaram preservar a cultura do nosso lugar, dando uma picadinha ou moída e refogada com temperos. por essa espécie de congelamento. Ele funciona como identidade cada vez mais forte para economia 3. Frite em óleo quente. um grande professor à sua equipe, que, por sua vez, local. 4. Os bolinhos devem ter a forma de um cro- assimila muito bem o conteúdo dos dados explicados Pedro Máximo da Silva diz que começou a quete grande por um grande especialista em patologia clínica, que já cozinhar ainda criança, caminhando atrás da E você, cozinhava quando criança? E gosta de trabalhou em pesquisa fora do país e, também, é muito CMYK sua mãe, das avós e das cozinheiras, e nunca cozinhar com elas? respeitado por seus colegas aqui no Brasil.
  • 7. Cunha, Outubro/2010 :: O Correio da Serra :: 7 Entrevista com o presidente da Câmara dos vereadores, Neto do Duca Neto O jornal “O Correio da Serra”, entrevistou o presidente da Câmara dos vereadores Neto do Duca Neto de todo esse dinheiro. Além desse valor recebemos uma ambulância Depois de toda aquela tragédia através de um requerimento meu ocorrida na virada do ano, como encaminhado pelo deputado Valde- você está acompanhando a recu- Eu tenho
  • Search
    Similar documents
    View more...
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks