Slides

O ÓDIO E A HISTÓRIA: representações da maldade e ocupações de espaço nas relações de poder

Description
1. PROF. BIDU WWW.HISREL.BLOGSPOT.COM O ÓDIO E A HISTÓRIA: Representações da maldade e ocupações de espaço nas relações de poder 2. “É até compreensível que…
Categories
Published
of 69
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. PROF. BIDU WWW.HISREL.BLOGSPOT.COM O ÓDIO E A HISTÓRIA: Representações da maldade e ocupações de espaço nas relações de poder
  • 2. “É até compreensível que tenhamos chegado ao ponto que chegamos, sobretudo porque a humanidade é movida, em grande medida, por sentimentos nada nobres, como bem nos ensina a História. A lição que fica é que, infelizmente, não se deve duvidar, de jeito nenhum, da maldade humana.” Pio Penna Filho (Professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília)
  • 3. As Bombas de Hiroshima e Nagasaki
  • 4. Uma bomba atômica é uma arma explosiva cuja energia deriva de uma reação nuclear e tem um poder destrutivo imenso. Usa radiação, que penetra no corpo humano, destruindo as células rapidamente. Nos bastidores da Segunda Guerra Mundial, físicos nucleares a serviço dos Aliados e dos nazistas travaram uma das maiores batalhas científicas da história: a busca pela arma definitiva
  • 5. Segunda-feira, 6 de agosto de 1945, pouco depois das oito horas da manhã os americanos lançaram uma bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima. No dia 09 do mesmo mês, porém um pouco mais tarde, mas ainda pela manhã, foi a vez da cidade de Nagasaki. Milhares de pessoas morreram instantaneamente. Outras milhares morreram mais lentamente, até mesmo muitos anos após os eventos dos dias 06 e 09 de agosto.
  • 6. Conseqüências da radiação para o ser humano As células quando expostas à radiação sofrem ação de fenômenos físicos, químicos e biológicos. A radiação causa ionização dos átomos, que afeta moléculas, que poderão afetar células, que podem afetar tecidos, que poderão afetar órgãos, que podem afetar a todo o corpo. Uma ampla gama de alterações biológicas podem seguir-se à irradiação de animais. Estas alterações variam desde morte rápida causada por doses maciças de radiação penetrante em todo o corpo, até vidas essencialmente normais durante períodos variáveis de tempo até ao desenvolvimento de efeitos atrasados da radiação, isto no caso de exposição a doses baixas Foto de rapaz que foi exposto a radiação e o resultado disso
  • 7. Conseqüências da bomba atômica Uma explosão nuclear vaporiza qualquer material que esteja dentro do raio de alcance da bola de fogo da própria explosão, incluindo o próprio solo caso este esteja próximo o suficiente. Todo o material vaporizado pela explosão é, por sua vez, combinado com a radiação ionizante residual, produzindo a cinza nuclear. Corpo que por estar mais distante do local da explosão não foi vaporizado, mas completamente queimado.
  • 8. Conseqüências da bomba atômica “Ouvi uma explosão e fui jogado 40 metros dentro do arrozal. A pele de meus braços descascou e ficou pendurada como uma camisa rasgada. Nós pressionávamos folhas sobre a carne para tentar protegê- la. Perdi minha orelha direita com a explosão. Duas de minhas costelas quebraram-se e nunca se emendaram, mesmo 60 anos depois. “Um grupo de mulheres veio dos campos, urrando, para uma das áreas onde casas de madeira queimavam. Muitos estavam mortos, outros feridos. Pernas e braços cortados. Estômagos abertos e intestinos pendurados. Cabeças abertas, cérebros expostos, olhos vazados. Nunca vi coisa mais brutal. “Alguns mergulhavam suas cabeças no rio e nunca emergiam – morriam assim. As pessoas nas montanhas foram atingidas pela chuva negra e por anos sofreram de diarréia. Isso é a bomba atômica: quando você acredita que o pior já passou, ela volta para te assombrar” Depoimento do jovem sobrevivente Katsuji Yoshida, que tinha 13 anos e ainda vive em Nagasaki. Sobrevivente da explosão
  • 9. Little Boy, a bomba atômica lançada em Hiroshima A sombra impressa pelo clarão da explosão. Uma pessoa estava sentada nesses degraus. Desintegrada instantaneamente, apenas a sombra dela restou.
  • 10. Pessoas com as roupas rasgadas pela força do ar, cabelos e pele queimados e ferimentos diversos formam uma fila em busca de atendimento na ponte Miyuki, a 2.3 km do hipocentro, minutos após a explosão. Foto tirada por Yoshito Matsushige, morador de Hiroshima.
  • 11. No caminhão de resgate do exército, o soldado tenta fazer a garotinha ferida e sofrendo da "doença da radiação" tomar um pouco de água. Ela faleceu pouco tempo depois desta foto. Foto tirada por Hajime Miyatake, em 10 de agosto de 1945.
  • 12. Fragmentos de vidro da janela da sala onde esta paciente se encontrava no momento da explosão atingiram seu rosto e o olho direito. Foto: Hiroshima Peace Memorial Museum
  • 13. Queimadura radioativa "leve" - apesar da intensidade e da área afetada, os médicos pouco puderam fazer por esta paciente. Faltava até gaze para curativos.
  • 14. Queimadura radioativa "grave" - esta senhora teve parte do rosto, a nuca, as costas e o braço direito queimados pela radiação. Os raios atravessaram as áreas tingidas em tons escuros do quimono que ela usava no momento da explosão, "imprimindo" na pele os desenhos do tecido.
  • 15. Queimadura radioativa gravíssima - este homem estava a menos de 1 km do hipocentro, e foi atingido de costas pela explosão. Apenas a região da grossa faixa que ele usava na cintura foi poupada da carbonização. Ele ainda estava vivo no momento desta foto.
  • 16. Robert Lewis, co-piloto do Enola Gay, referindo-se à explosão, escreveu em seu diário: "Meu Deus, o que foi que nós fizemos?"
  • 17. O bombardeio de Nagasaki em 9 de agosto de 1945 Três dias depois desse ataque, outra bomba produzida com elemento radioativo artificial foi detonada sobre a cidade de Nagasaki. Esse foi o fato que, segundo algumas pessoas, marcou o fechamento da Segunda Guerra Mundial.
  • 18.  Estima-se  que  100 mil pessoas morreram na hora ou  poucas  horas  depois  das  explosões.  Outras 130 mil morreram nos 5 anos subseqüentes,  em  função  de  ferimentos  e  doenças  causadas  pela  exposição  à  radiação.  Assim,  calcula-se que 200 mil pessoas teriam sido o custo pago pela passagem da humanidade para a Era Nuclear, mas estas são  cifras mínimas estimadas. A verdade é que nunca  se saberá ao certo quantas centenas de milhares  de vidas foram tomadas ou afetadas para sempre  com apenas duas explosões.
  • 19. Os Estados Unidos cometeram um verdadeiro crime contra a humanidade no Japão. Os lançamentos das bombas atômicas, uma de urânio e outra de plutônio, poderiam tranquilamente terem sido evitados. Mas os americanos queriam mostrar ao mundo a sua nova e formidável arma. Queriam também castigar o Japão pelo ataque à base naval de Pearl Harbor, que desencadeou a guerra entre os dois países. A decisão de lançar as bombas não foi baseada apenas levando em conta os objetivos militares norte-americanos. Ela teve, na verdade, um forte componente político, que era o de mostrar aos soviéticos e ao mundo quão poderoso eram os Estados Unidos ao final da Segunda Guerra Mundial.
  • 20. A inquisição  Instituição judicial criada na Idade  Média, pelo papa Gregório IX, no  século XIII. Destinava-se a  combater várias heresias que  punham em causa a legitimidade  tanto do poder eclesiástico como  do poder civil.  Instalou-se na  Espanha, Alemanha, França,  Portugal e Itália. 
  • 21. APLICAÇÃO DE TORTURA
  • 22. Conhecida também Conhecida também  de esquartejamento de esquartejamento  manual.O condenado manual.O condenado  era colocado deitado, era colocado deitado,  preso pelas juntas e preso pelas juntas e  eviscerado vivo pelo eviscerado vivo pelo  carrasco. Abria-lhe o carrasco. Abria-lhe o  estômago com uma estômago com uma  lâmina, prendia com lâmina, prendia com  pequenos pregos as pequenos pregos as  vísceras e, com a vísceras e, com a  roda, lentamente ia roda, lentamente ia  puxando os ganchos. puxando os ganchos.  Os órgãos iam saindo Os órgãos iam saindo  do corpo durante do corpo durante  horas, até morrer. horas, até morrer.  Espanha / PortugalEspanha / Portugal Mesa de evisceraçãoMesa de evisceração
  • 23. Este instrumento marcou uma Este instrumento marcou uma  mudança decisiva na história mudança decisiva na história  da tortura. Sistema capaz de da tortura. Sistema capaz de  obter confissões sem infligir obter confissões sem infligir  crueldade ao corpo humano. crueldade ao corpo humano.  Suspendia-se a vítima Suspendia-se a vítima  deixando-a cair com todo o deixando-a cair com todo o  peso do seu corpo contra o peso do seu corpo contra o  ânus e as partes sexuais mais ânus e as partes sexuais mais  sensíveis sobre a ponta da sensíveis sobre a ponta da  pirâmide, esmagando os pirâmide, esmagando os  testículos, o cóccix e, no caso testículos, o cóccix e, no caso  de uma condenada, a vagina, de uma condenada, a vagina,  causando dores atrozes.causando dores atrozes. DespertadorDespertador ItáliaItália
  • 24. Roda deRoda de DespedaçamentoDespedaçamento Este instrumento produzia um Este instrumento produzia um  sistema de morte horrível. Sob sistema de morte horrível. Sob  a roda colocava-se brasas, e o a roda colocava-se brasas, e o  carrasco, girando a roda cheia carrasco, girando a roda cheia  de pontas, fazia com que o de pontas, fazia com que o  condenado morresse condenado morresse  praticamente assado. Esteve praticamente assado. Esteve  em uso no período de 1100 a em uso no período de 1100 a  1700.1700. Alemanha / InglaterraAlemanha / Inglaterra
  • 25. Instrumento para Instrumento para  desmembramento dos desmembramento dos  ombros e as ombros e as  articulações do articulações do  condenado, seguido condenado, seguido  pelo desmembramento pelo desmembramento  da coluna vertebral e da coluna vertebral e  então pelo rompimento então pelo rompimento  dos músculos, abdome dos músculos, abdome  e peito. Antes desses e peito. Antes desses  efeitos mortais, porém, efeitos mortais, porém,  o corpo da vítima se o corpo da vítima se  alongava até trinta alongava até trinta  centímetros.  centímetros.   Balcão de estiramentoBalcão de estiramento Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 26. Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média GarroteGarrote Instrumento de pena Instrumento de pena  capital usado na capital usado na  Espanha. A última Espanha. A última  execução foi em execução foi em  1975, quando um 1975, quando um  estudante de 25 estudante de 25  anos foi executado e anos foi executado e     logo em seguida    logo em seguida  reconhecido reconhecido  inocente. inocente. 
  • 27. INSTRUMENTOS DE TORTURA
  • 28. GuilhotinaGuilhotina As pessoas condenadas à morte As pessoas condenadas à morte  teriam a cabeça cortada.teriam a cabeça cortada. FrançaFrança
  • 29. Cadeira inquisitóriaCadeira inquisitória Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média Empregada em interrogatórios Empregada em interrogatórios  pelo inquisidor. O réu sentava nu pelo inquisidor. O réu sentava nu  e com o mínimo de movimento, as e com o mínimo de movimento, as  agulhas penetravam-lhe o corpo, agulhas penetravam-lhe o corpo,  provocando efeitos terríveis. A provocando efeitos terríveis. A  cadeira, às vezes, era aquecida cadeira, às vezes, era aquecida  até ficar em brasa. Esta ao lado até ficar em brasa. Esta ao lado  tem 1.606 pontas de madeira e 23 tem 1.606 pontas de madeira e 23  de ferro. de ferro. 
  • 30. Usado como punição aos furtos Usado como punição aos furtos  leves praticado por domésticos. leves praticado por domésticos.  Prendendo geralmente a mão Prendendo geralmente a mão  direita esta era ferida com prego direita esta era ferida com prego  além das dores do momento, o além das dores do momento, o  condenado ficava com a mão condenado ficava com a mão  inutilizada.inutilizada. Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média Caixinha para as mãosCaixinha para as mãos
  • 31. Esmaga-cabeçaEsmaga-cabeça Instrumento de Instrumento de  funcionamento tão simples funcionamento tão simples  quanto cruel. Colocava-se quanto cruel. Colocava-se  a cabeça do condenado a cabeça do condenado  com o queixo sobre a barra com o queixo sobre a barra  inferior e com o inferior e com o  rosqueamento a cabeça ia rosqueamento a cabeça ia  sendo esmagada. Primeiro sendo esmagada. Primeiro  despedaçava os alvéolos despedaçava os alvéolos  dentais, as mandíbulas, e dentais, as mandíbulas, e  então a massa cerebral então a massa cerebral  saia pela caixa craniana.   saia pela caixa craniana.    Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 32. Esmaga-joelhoEsmaga-joelho Esse instrumento era Esse instrumento era  colocado na perna da colocado na perna da  vítima, na altura do joelho, vítima, na altura do joelho,  e apertado até que as e apertado até que as  pontas penetrasse a pontas penetrasse a  carne, estraçalhava a carne, estraçalhava a  rótula. O exercício era rótula. O exercício era  repetido várias vezes, o repetido várias vezes, o  que causava inutilização que causava inutilização  permanente da perna. Foi permanente da perna. Foi  utilizada até o século XIX. utilizada até o século XIX.  Depois da tortura a vítima Depois da tortura a vítima  era decapitada.era decapitada. Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 33. Instrumento usado para Instrumento usado para  expor os condenados em expor os condenados em  lugares públicos bem lugares públicos bem  visíveis. No período de visíveis. No período de  1500 a 1600, essas 1500 a 1600, essas  máscaras se máscaras se  apresentavam de formas apresentavam de formas  variadíssimas e muito variadíssimas e muito  fantasiosas. Eram usadas fantasiosas. Eram usadas  em faladeiras, beberrões em faladeiras, beberrões  e, às vezes, em maus e, às vezes, em maus  músicos (sobre a cabeça músicos (sobre a cabeça  destes se colocava uma destes se colocava uma  caveira de boi com os caveira de boi com os  respectivos chifres).respectivos chifres). Máscara da infâmiaMáscara da infâmia Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 34. Como se usava a máscara da infâmiaComo se usava a máscara da infâmia Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 35. Virgem de NurembergVirgem de Nuremberg Instrumento oco com o tamanhoInstrumento oco com o tamanho e a forma de uma mulher.e a forma de uma mulher. Instrumentos de tortura da Idade MédiaInstrumentos de tortura da Idade Média
  • 36. SerraSerra
  • 37. PêraPêra
  • 38. Garra de GatoGarra de Gato
  • 39. Forquilha do heregeForquilha do herege
  • 40. Quando a igreja queima os livros Para erradicar a heresia que dominava a região da França, com o apoio do povo, além de pregadores, e da inquisição, foi necessário o esforço para a queima dos livros proibidos pela a igreja católica
  • 41. Limpeza étnica: Fantasmas de Ruanda
  • 42. Ruanda é um pequeno país localizado próximo ao centro do continente africano que ficou mundialmente conhecido pelo genocídio ocorrido em 1994. De forma espantosa, aproximadamente um milhão de pessoas, em sua grande maioria expoentes da etnia Tutsi, foram assassinadas num período de 3 meses. Na época, a comunidade internacional pouco fez para evitar o que poderia ter sido evitado.
  • 43. Matar todas as baratas. Esse era o lema das lideranças Hutus que decidiram, entre março e abril de 1994, promover um dos mais brutais conflitos em toda a África durante o século XX. “Baratas” era um dos termos mais usados em Ruanda para definir as pessoas de origem Tutsi, uma das três etnias que compõem a sociedade ruandense (as outras duas são os Hutus, maioria, e os Twas, minoria).
  • 44. Um dos cálculos mais aceitos internacionalmente é que entre 800.000 e 1.000.000 de Tutsis tenham sido assassinados durante o genocídio. 
  • 45. A CONQUISTA DA AMÉRICA
  • 46. O uso da violência deu-se por causa da descoberta de metais preciosos e da vontade de escravizar os nativos da América. Após a conquista dos territórios a Espanha iniciou a organização de seu império colonial na América , através da imposição de estruturas politicas, econômicas e administrativas que atendessem o seu interesse mercantilista, isto quer dizer, as colônias só serviam para ser exploradas e só tinham valor se pudessem oferecer produtos lucrativos.
  • 47. Mita - Sistema que impunha o trabalho obrigatório, durante um determinado tempo, a índios escolhidos por sorteio, em suas comunidades. Além disso, poderiam ser deslocados para longe de seu lugar de origem, segundo os interesses dos conquistadores.
  • 48. Encomienda - Sistema de trabalho obrigatório, não remunerado, em que os índios eram confiados a um espanhol, o encomendero, que se comprometia a cristianizá-los. Na prática, esse sistema permitia aos espanhóis escravizarem os nativos, principalmente para a exploração na agricultura.
  • 49. (...) Os espanhóis entravam nas vilas, burgos e aldeias não poupando nem crianças e velhos, nem mulheres grávidas e parturientes, e lhes abriam o ventre e faziam em pedaços (...) sempre matando, incendiando, queimando, torrando índios e lançando-os aos cães (...) e assassinaram tantas nações que muitos idiomas chegaram a desaparecer por não haver ficado quem os falasse (...) e no entanto ali teriam podido viver como num paraíso terrestre, se disso não tivessem sido indignos...
  • 50. NAZISMO
  • 51. • A “limpeza racial” foi uma das primeiras medidas tomadas pelo ditador.
  • 52. Os alvos de Hitler Judeus Ciganos Eslavos Homossexuais Impossibilitados de Trabalhar Deficientes Não Arianos
  • 53. Auschwitz Campo de prisioneiros fundado em 1940 e em junho deste ano recebeu seus primeiros “inquilinos”, um grupo de 720 poloneses. Posteriormente, em 1942, atingiu a marca de 20 mil.
  • 54. Ciência Macabra Esterilização Projeto de purificação racial: • Esterilização forcada de “problemáticos” • Eutanásia Eugenia: Pseudo ciência que buscava o aperfeiçoamento da raça humana por meio da genética Quanto custa um inválido? • “Esta pessoa com problemas genéticos custará à nossa sociedade 60 mil macros alemães até o fim da sua vida.Cidadãos,esse dinheiro sai do bolso de voçês.”
  • 55. Primeiro alvo: Crianças - Comitê do Reich - Mau comportamento - psicopatia - Autorização dos pais - Mortes: por fome ou overdose – Falsa morte natural Segundo alvo: Adultos - Método mais barato e rápido – Câmaras de gás - Campos com aspecto de hospitais - Dentes de ouro - Motivos Fictícios
  • 56. A Tecnologia do extermínio 5 Passos para a industria da morte: -Identificação das Vítimas -Transporte de prisioneiros -Câmaras de Gás -Extração de dentes -Crematórios
  • 57. Cobaias humanas Prisioneiros como ratos de laboratório Testes para capacidade de regeneração Testes de novas drogas Tecnicas de sobrevivência para combates alemães – Pressão, temperatura… Ferimentos de guerra Gemeos – Experiências de nascimentos multiplos
  • 58. Vida de gado Valorizar o papel da mãe ariana “A mãe arrisca tanto seu corpo quanto sua vida pela pátria do mesmo jeito que um soldado faz em uma batalha” Medalhas – “A criança enobrece a mãe” - 4-5 – Bronze - 6-7 – Prata - 8 ou mais - Ouro Aumento da taxa de natalidade
  • 59. Neo nazismo • É o resgate do nazismo para a atualidade. • De forma direta, os principais alvos de discriminação são: comunistas, judeus, índios, negros e homossexuais.
  • 60. • O movimento neonazista se espalhou pelo mundo e está muito presente nos Estados Unidos, tendo em vista que, com seu nacionalismo, alguns acreditam que os latinos e afro-americanos são os causadores de problemas econômicos e desemprego, mesmo que essas minorias atuem principalmente em trabalhos excluídos, pesados
  • Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks