Slides

Palestra Hidrogenio - Natal

Description
1. www.abnt.org.br 2. Diretoria de Normalização 01/06/2005 Ministério da Defesa O Papel da ABNT na Normalização Internacional ABNT/DIRETORIA TÉCNICA/ASSESSORIA DE…
Categories
Published
of 16
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. www.abnt.org.br
  • 2. Diretoria de Normalização 01/06/2005 Ministério da Defesa O Papel da ABNT na Normalização Internacional ABNT/DIRETORIA TÉCNICA/ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO
  • 3. DT/APL NATAL – JULHO 2010 NÍVEIS DE NORMALIZAÇÃO ABNT representa o Brasil Intercâmbio Técnico ASSOCIAÇÃO ASME ASTM AWS REGIONAL REGIONAL AMN COPANT NACIONAL ABNT DIN BSI AFNOR INTERNACIONAL ISO IEC
  • 4. DT/APL NATAL – JULHO 2010 <ul><li>Desaparecimento de barreiras políticas importantes  liberação de muitas economias nacionais  abertura para o exterior </li></ul><ul><li>Contínuo crescimento do comércio desde a segunda guerra mundial, acelerando-se a partir das últimas duas décadas </li></ul><ul><li>Relações de comércio tornando-se preocupação internacional (GATT  OMC) </li></ul><ul><li>Necessidade de criar uma estrutura para o comércio mundial que permitisse um livre intercâmbio de produtos e serviços em escala global </li></ul>CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 5. DT/APL NATAL – JULHO 2010 5 <ul><li>Competição mundial aumentando progressivamente </li></ul><ul><li>Redução do tempo e dos custos para o mercado exercendo grande pressão sobre as empresas </li></ul><ul><li>Ciclos de produtos em todos os segmentos consideravelmente mais curtos do que há 20 anos (em tecnologias da informação e comunicação, os ciclos de produto estão abaixo de 1 ano) </li></ul>CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 6. DT/APL NATAL – JULHO 2010 <ul><li>Crescimento do comércio mundial aumentou a necessidade de normas internacionais </li></ul><ul><li>As normas internacionais, em particular, impactam diretamente nos mercados globais </li></ul><ul><li>Para a indústria, a normalização internacional tem maior prioridade que a regional e a nacional </li></ul><ul><li>As normas internacionais são aquelas desenvolvidas por organismos de normalização internacionalmente reconhecidos (ISO, IEC e ITU) </li></ul>A NORMALIZAÇÃO NO CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 7. DT/APL NATAL – JULHO 2010 8 <ul><li>OMC reconhece o papel dos organismos internacionais de normalização </li></ul><ul><li>OMC recomenda que seus membros participem ativamente do processo de normalização internacional </li></ul><ul><li>A grande adesão de países à ISO indica que existe maior conscientização da importância da participação nos trabalhos da normalização internacional </li></ul>A NORMALIZAÇÃO NO CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 8. DT/APL NATAL – JULHO 2010 9 <ul><li>A atuação das entidades regionais de normalização em nível internacional é vista como uma estratégia para o mercado global </li></ul><ul><li>Fortalecimento dos organismos regionais: possibilidade de defender os interesses de seu país ou região em melhores condições em nível internacional (1 país, 1 voto) </li></ul><ul><li>Países industrializados promovem de forma agressiva e bem sucedida suas tecnologias e práticas para outras nações principalmente através de sua representação nacional em atividades de normalização internacional da ISO, da IEC e da ITU </li></ul>A NORMALIZAÇÃO NO CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 9. DT/APL NATAL – JULHO 2010 10 <ul><li>Formação de blocos econômicos entre países (UE, NAFTA, MERCOSUL etc..) </li></ul><ul><li>A UE promoveu a harmonização de suas normas e busca transformá-las em normas internacionais e vice-versa, atuando fortemente na ISO, na IEC e na ITU, por meio do CEN, CENELEC e ETSI </li></ul><ul><li>Acordo de Viena: compromisso formal entre ISO e CEN de desenvolver um relacionamento de trabalho para a normalização internacional. Igualmente foi feito entre IEC e CENELEC </li></ul>A NORMALIZAÇÃO NO CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 10. DT/APL NATAL – JULHO 2010 11 NOVOS DESAFIOS Os sistemas nacionais de normalização estão enfrentando novos desafios. A crescente preocupação global em relação à SAÚDE, SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E DEFESA DO CONSUMIDOR , em combinação com a explosão do comércio mundial, as rápidas mudanças em tecnologia e na comunicação e a forte competição de outros países têm alterado o cenário da normalização
  • 11. DT/APL NATAL – JULHO 2010 12 TENDÊNCIAS DA NORMALIZAÇÃO <ul><li>Os ONN buscam influenciar mais diretamente no processo de normalização regional e internacional, com decorrente redução da elaboração de normas nacionais </li></ul><ul><li>Estabelecimento/fortalecimento de acordos entre os organismos internacionais com organismos regionais de normalização </li></ul><ul><li>As normas passam a ser produzidas por equipes de projeto com metas e objetivos definidos, em sintonia com requisitos de mercado, e devem contar com tecnologias de gestão de projetos </li></ul>
  • 12. DT/APL NATAL – JULHO 2010 <ul><li>Os governos passam a utilizar as normas em seus regulamentos técnicos e de compras </li></ul><ul><li>Normas de produtos voltadas para desempenho (norma do que e não do como) </li></ul><ul><li>Maior preocupação com a normalização de serviços, pessoas e aspectos sociais </li></ul><ul><li>Implementação de ferramentas eletrônicas e novos documentos para agilizar o processo de elaboração de normas </li></ul>TENDÊNCIAS DA NORMALIZAÇÃO
  • 13. PARTICIPAÇÃO INTERNACIONAL DT/APL NATAL – JULHO 2010 Atualmente a ABNT gerencia e acompanha a participação de delegações brasileiras em cerca de 129 Comitês Técnicos e em 296 Sub-Comitês na ISO (International Standard Organization). Diretoria da ABNT, também participa de diversos foros da ISO como o: CASCO Committee on Conformity Assessment COPOLCO Committee on Consumer Policy DEVCO Committee on Developing Country COPANT Comision Panamericana de Normas Técnicas TMB Technical Management Board
  • 14. DT/APL NATAL – JULHO 2010 PAPEL DA ABNT NO CONTEXTO INTERNACIONAL <ul><li>Aumentar e melhorar a participação brasileira nos processos de normalização internacional e regional, de forma articulada para efetiva inserção no mercado global </li></ul><ul><li>Aumentar a cooperação com outros organismos de normalização, especialmente no nível hemisférico </li></ul><ul><li>Aumentar a adoção de normas internacionais, por meio de maior envolvimento dos setores pertinentes de modo a prover referenciais tanto para o mercado quanto para os governos (regulamentos técnicos) </li></ul>
  • 15. DT/APL NATAL – JULHO 2010 16 <ul><li>Otimizar o processo interno de normalização </li></ul><ul><li>Tornar os benefícios da normalização mais visíveis </li></ul><ul><li>Implementar novos documentos, a exemplo dos new deliverables da ISO, visando agilização na produção de documentos demandados pela sociedade </li></ul><ul><li>Buscar cada vez mais assumir papéis de liderança na ISO e IEC (principalmente como representante de países em desenvolvimento) </li></ul>PAPEL DA ABNT NO CONTEXTO INTERNACIONAL
  • 16. DT/APL Natal – Julho 2010 Luiz Blank / Vitor Jardim Assessoria de Planejamento da Diretoria Técnica luiz.blank@abnt.org.br [email_address] Muito Obrigado
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks