Slides

Povos e Nações

Description
1. 2 E.M. Profa. Sílvia Beltrane Cintra 2014 Há homens que lutam um dia e são bons. Há outros que lutam um ano e são melhores. Há os que lutam muitos anos, e…
Categories
Published
of 14
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. 2 E.M. Profa. Sílvia Beltrane Cintra 2014 "Há homens que lutam um dia e são bons. Há outros que lutam um ano e são melhores. Há os que lutam muitos anos, e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida, esses são os imprescindíveis." Bertold Brechet
  • 2. O que é Política? • A palavra política tem origem grega, pólis (politikós): tudo o que se refere à cidade, ou seja, a vida em comum, às regras de organização dessa vida, aos objetivos da comunidade, bem como as decisões que envolvem a pólis.
  • 3. O que é Política? Arte e ciência do governo – decidir sobre os problemas da coletividade; Estudo do poder – tomada de decisões sobre assuntos de interesse comum; Ciência do Estado – a capacidade de tomar decisões está nas mãos do Estado ou depende dele.
  • 4. O que é Política? Política é a conjugação das ações de indivíduos e grupos humanos, dirigindo-as a um fim comum.
  • 5. Como o sociólogo analisa a política? Preocupa-se com o que acontece no plano do Estado e, fora dele, com as articulações das pessoas para influenciar as ações do Estado.
  • 6. Política O termo política se expandiu graças à influência da obra de Aristóteles, Política, considerada como o primeiro tratado sobre a natureza, as funções e a divisão do Estado, e sobre as várias formas de Governo. “O homem é um animal político.” Aristóteles
  • 7. Max Weber – Política como vocação. • O Estado detém o monopólio legítimo da força. Esse direito é reconhecido pela sociedade sobre a qual o Estado exerce poder.
  • 8. Não se deve definir a política pelos seus fins, pois, em tempos de lutas sociais e civis, por exemplo, o fim da atividade política provavelmente será o restabelecimento da unidade do Estado, da paz e da ordem pública. Já em tempos de paz interna e externa, essa atividade estará voltada para a garantia do bemestar e da prosperidade. Da mesma forma, tempos de opressão da população por um governo despótico serão marcados pela luta por direitos civis e políticos; e tempos de domínio por uma potência estrangeira, pela luta pela independência nacional.
  • 9. Povos e Nações Toda política baseia-se na indiferença da maioria dos interessados, sem a qual não há política possível. •Muitas pessoas poderiam (ou deveriam) interessar-se pelo mundo da política; •A política só é possível se a maioria mantiver uma posição de indiferença em relação a ela.
  • 10. Povo • Conjunto de pessoas que habitam um mesmo território e que formam uma nação, ou seja, que expressam a mesma língua, têm a mesma história, seguem as mesmas tradições e compartilhar hábitos, valores e costumes comuns.
  • 11. Nação • Comunidade formada por um grande número de pessoas que têm geralmente origem comum, utilizam a mesma língua e que estão ligados por uma mesma cultura e por interesses e aspirações igualmente compartilhados. • Nem sempre uma nação dispõe de um Estado organizado. Ex.: povo palestino, que embora forme uma nação não está organizado em Estado.
  • 12. Nacionalismo • Corrente de ideias ou movimento que tende a exaltar como valor supremo a nação, suas tradições, seu passado, sua cultura e etc. • Durante as décadas de 1950 e 1960, nos países subdesenvolvidos, ou integrantes do Terceiro Mundo, o nacionalismo se manifestou muitas vezes como corrente de oposição e denúncia ao chamado “imperialismo” norte americano ou europeu.
  • 13. O analfabeto político O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais. Eugen Bertold Friedrich Brecht Dramaturgo e poeta alemão _ (1898-1956)
  • 14. Correção Exercícios 1) A todos os brasileiros. A expressão “Nas favelas”, referência ao “povão”, acompanhada da expressão “no Senado”, referência às nossas elites, à classe dirigente do país, indica que a pergunta se destina a toda a população do país, sem distinção de classes. 2) A passagem “No Amazonas, no Araguaia, / Na Baixada fluminense, / Mato Grosso, nas Gerais / E no Nordeste tudo em paz” refere-se a diversas regiões do Brasil e sugere a existência de um componente cultural em comum entre elas: a expressão “tudo em paz” pode ser entendida como um comentário sobre a passividade do brasileiro diante dos problemas sociais. 3) O compositor rejeita a concepção romântica de nação como um grupo de pessoas unido por causas nobres. Segundo a canção, o que nos une e nos faz sentir pertencentes à mesma nação são os nossos vícios (dentre eles a falta de ética, o oportunismo, a hipocrisia e a passividade), como se percebe pelos versos “Ninguém respeita a Constituição, / Mas todos acreditam no futuro da nação”.
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks