Slides

Relações Precoces

Description
1. Precisamos de estar com os outros Precisamos Precisamos de ser que gostemaceites pelos de nós grupos Somos decididamente dependentes Precisamos Precisamos de estar da…
Categories
Published
of 53
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. Precisamos de estar com os outros Precisamos Precisamos de ser que gostemaceites pelos de nós grupos Somos decididamente dependentes Precisamos Precisamos de estar da sua integrados aprovação
  • 2. Torna-o O ser dependente, Precisa dos cuidados dispensados, nos humano, durante muito primeiros anos de tempo, dos vida, pelos pais, ou quando adultos: para se outros cuidadores,nasce, é um alimentar, para ser para poder protegido, enfim, sobreviver física eser imaturo. para sobreviver. psiquicamente.
  • 3. O Pode mostrar Bebé competências débeis e ingénuasNecessita de um agentematernante para oalimentar, para lhe darafecto, ou seja, para lhedar os cuidados básicos É um serque são indispensáveis. activo
  • 4. Nos últimos anos assistimos a uma Foi graças às gravações vídeoextraordinária evolução nas das expressões faciais que seinvestigações sobre as registou, por exemplo, ocompetências do recém-nascido, momento em que aparecemdesignadamente na relação com o as primeiras emoçõesmeio e, sobretudo, com os outros precoces, como o medo, aseres humanos. raiva, a alegria.
  • 5. Influencia o modo como os adultos dispensam os cuidados de que necessita. Ser activo que emite sinais daquilo que BEBÉ É capaz de dirigir a sua pretende e que atenção para estímulosresponde, com agrado do meio ambiente: ou desagrado, ao distingue sons, vozes, tratamento imagens e odores. disponibilizado. Recorre a um conjunto de estratégias comportamentais para chamar a atenção da mãe, ou de outro cuidador, no sentido de obter uma resposta para o que precisa.
  • 6. Meios a que o bebé recorre para manifestar as suas necessidades e obter a sua satisfação ExpressõesChoro Sorriso Vocalizações Faciais
  • 7. A mãe interpreta adequadamente O bebé obtém oos sinais emitidos que Interacção pelo bebé e precisa, reagirá equilibrada responde de com alegriaforma apropriada
  • 8. CONTINENTE CONTEÚDOReage às necessidades dobebé dando acolhimento àangustia e à ansiedade do O bebé vivencia medos,filho sem as devolver através emoções, receios,de comportamentos ou angústia. É o queatitudes anciosas e designa por conteúdo.angustiadas. A boa mãecomunica eficazmente.
  • 9. Orientação e sinais com discriminação limitada da figura de vinculação Orientação e Formação deuma parceria Vinculação sinais dirigidos para uma figuradirigida para a meta discriminada Manutenção da proximidade com uma figura discriminada por meio da locomoção e de sinais
  • 10. A vinculação não é toda igual,não tem toda as mesmas matizes Quando se estabelece relação com alguém e surge um desentendimento, podemos verificar diferentes níveis de vinculação. O modelo vinculativo não pode ser igual para toda a gente, isto é, temos de lidar de diferentes maneiras com diferentes pessoas.
  • 11. Os bebés usam a mãe como base segura, deixando-a para irem explorar, mas regressando, de vez em Segura quando, para obterem confiança. Estes bebés raramenteVinculação Evitante choram quando a mãe sai e evitam-na no seu regresso. Ambivalente Estes ficam ansiosos mesmo antes de a mãe sair, ficando muito perturbados quando ela sai.
  • 12. Nasce com uma vulnerabilidade A cria É que torna indispensáveishumana prematura os cuidados prestados pelos adultos.
  • 13. GestosExpressões Estratégias Choro Sociais Comunicacionais Sorriso
  • 14. Gestos Equipamento que se tornou parte do património genético da espécieExpressões humana, desencadeadores Sociais de reacções por parte dos Choro adultos, que de forma interactiva formam o vínculo. Sorriso
  • 15. Vinculação securizante Melhor regulação emocional Favorece a Favorece a capacidade em ultrapassar as dificuldades,confiança em si em se sentir bem consigo próprio mesmo e com os outros.
  • 16. PRINCÍPIO DO PROCESSO DEAUTONOMIA
  • 17. Individuação Dialéctica que se mantém ao longo da vida.Vinculação
  • 18. MAIS COISAS Em Situações de perigo As crias agarravam-se só à “mãe”felpuda, a mais confortável. Se só tivesse presente a “mãe” de arame As crias não iam ter com ela, ficavam paralisados de medoUma “mãe”desconfortável é incapaz de transmitir segurança.
  • 19. Quando as crianças de idades muito precoces são sujeitas a uma privação de contacto com os seus entes mais próximos, seja em situação de um abandono materno ou a uma temporada passada num hospital, sofrem problemas tanto físicos como psicológicos que podem afectar o seu desenvolvimento normal Queda de Incapacidade Menor Insónias imunidade a Atraso no peso de adaptação doençasdesenvolvimento ao meio infecciosas corporal
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks