Slides

Roma das origens à república

Description
1. ROMA753 a. C. – 476 d. C. De Cidade a Império 2. Crescimento TerritorialMonarquia à República753 – Fundação lendária509 – Fundação daRepública264 –…
Categories
Published
of 30
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. ROMA753 a. C. – 476 d. C. De Cidade a Império
  • 2. Crescimento TerritorialMonarquia à República753 – Fundação lendária509 – Fundação daRepública264 – Primeira GuerraPúnica146 – Terceira GuerraPúnica e Macedôniatorna-se romana46 – César, DitadorPerpétuo27 – Otávio torna-seAugusto
  • 3. FONTESPara a História de Roma
  • 4. Coleções de FontesLoeb Classical Library (Harvard University Press)Auteurs Latines et Grecques (Ed. Garnier)Sources Chrétiennes (Ed. Du Cerf)
  • 5. Autores Apiano;  Ovídio; Catão o Velho;  Políbio; Cícero;  Plauto Dionísio de  Plutarco; Halicarnasso;  Salústio; Júlio Cesar;  Tito Lívio; Marcial;  Varrão ;
  • 6. Localização Geográfica1. Península Itálica;2. Mares;3. Regiões limítrofes;4. Rios;5. Planícies;6. Povoamento;
  • 7. PeriodizaçãoMonarquiaRepúblicaImpérioAntigüidade Tardia
  • 8. Monarquia Do Séc. VIII ao séc. VI (c. 509 a.C)• Fundação fictícia: 753 a.C;• Arqueologia corrobora o povoamento a partir do séc. VIII;• Governada por reis com funções religiosas e militares;• Tarquínio, o Soberbo, derrubado pela aristocracia senatorial
  • 9. República De aproximadamente 509 a. C. a 27 a.C;• O patriciado toma a cidade e ascensão da plebe;• Conquista militar do Mediterrâneo;• Lutas políticas e adaptação ao Império.
  • 10. Alto ImpérioDe 27 a. C. a 284 d. C• Dinastias imperiais sob formalidades republicanas;• Reformas administrativas e obras para homogeneizar as províncias.
  • 11. Baixo ImpérioDe 284 d. C. a 476 d.C. (Ocidente)• Tetrarquia e a Dinastia Constantiniana;• Cristianismo, “paganismos”, e diversidade cultural• Transformações: crise, declínio, queda ou continuidade ?
  • 12. Antigüidade TardiaDe 284 a 711, 732 ou 800• Nova periodização da passagem da Antiguidade para a Idade Média;• Revisão das idéias de Gibbon sobre “Declínio e Queda do Império Romano”;• Período de grande diversidade cultural, religiosa e identitária em todo o Mediterrâneo;• Abrange enorme diversidade de temas, principalmente em História Cultural.
  • 13. Fundação de Roma Tradições• Enéias e os troianos chegam ao Lácio e seus descendentes reinam em Lavínio e depois em Alba Longa, cidades latinas, por 13 Gerações;• Rômulo e Remo, encontrados às margens do Tibre, alimentados por uma loba, crescem e devolvem seu avô Numitor ao trono de Alba Longa e fundam Roma; Virgílio reuniu e procurou harmonizar na Eneida diferentes versões da fundação da cidade.
  • 14. Os reis etruscos de Roma Tarquínio Prisco; • Aparentemente proveniente da cidade de Tarquinii Sérvio Túlio; • Etrusco ou latino, reinou segundo os costumes etruscos; Tarquínio o Soberbo; • Segundo a lenda, este seria o mau rei, cuja destituição caberia ao mais nobre dos romanos, o representante por excelência do patriciato, Lúcio Júnio Bruto.
  • 15. Organização Social
  • 16. Família Primitiva• Unidade econômica, social e religiosa• Pater famílias detinha a auctoritas• Auctoritas: autoridade específica dos patres, mais que conselho (consultum) e menos que comando (imperium);• Poder ilimitados sobre esposa, filhos, e res familiares; também incluía os clientes;• Funções sacerdotais – culto aos antepassados (sacrae familiae);• Lei da Doze Tábuas: vida e
  • 17. GENS• Gens (clã), plural gentes (clãs) : famílias aparentadas, vizinhas;• Constituía uma associação de caráter religioso (sacra gentílica);• Usavam o nomen gentile, ex:  Marco Fabius Galba, Marco da gens Fábia, chamado Galba;  Caio Júlio César, Caio da gens Júlia, chamado César; em latim:  G. IULIUS CAESAR, GAIUS da gens IULIA, chamado CAESAR.• O nome gentílico era privilégio patrício, depois os plebeus passaram a copiá-los;• As gentes patrícias podiam convocar seus clientes em caso de guerra e votações na Assembléia curiata, daí seu poder
  • 18. Cúrias, Assembléia e Legião As várias gentes se reuniam em cúrias (curiae); Segundo a tradição na fundação de Roma eram 30 cúrias; Cada curia era presidida por um curio e estas associações constituíam a base da organização religiosa e militar; A Assembléia da Cúria (Comitia Curiata) deliberava sobre questões relativas ao conjunto da população e confirmava os magistrados (lex curiata de imperio); Na guerra, cada cúria devia fornecer 10 cavaleiros (uma decúria) e 100 infantes (uma centéuria); O total de 100 cavaleiros e 3000 infantes constituía a primeira legião.
  • 19. Patrícios Eram uma nobreza de sangue, privilégios e terras; Surgiram pela formação da elite dos cavaleiros no períodos dos rei etruscos (antes da falange hoplítica); Consideravam-se homens bons (uiri boni et strenui); Tinham consciência de si e suas próprias insígnias: anel de ouro, listra púrpura na túnica (clauus), manto curto de cavaleiro (trabea), etc; Deviam sua situação econômica à posse da terra arável e de grandes rebanhos; Dominavam o exército pela ocupação dos postos mais elevados e a vida política e religiosa, através dos clientes nas cúrias; Compunham quase que a totalidade do conselho dos anciãos (Senato).
  • 20. Plebe Plebs (do v. plere, encher) = multidão; Possuíam cidadania, mas não os privilégios dos patrícios; Eram os estrangeiros recém-chegados, não fundadores de Roma; Acabaram se fundindo com os pequenos camponeses cujas terras haviam sido perdidas e camadas urbanas de artesãos e comerciantes; Segundo a cultura romana qualquer atividade que não
  • 21. Clientes São apenas uma parte da plebe, não a mesma camada social; Eram o grupo de maior mobilidade, podendo alguém passar de plebeu desprotegido a cliente de um poderoso patrício; Era uma relação de dependência pessoal; O cliens prometia manter-se fiel ao patrício e prestar serviços econômicos e morais; O patronus, então, dava-lhe proteção pessoal, e às vezes terra.
  • 22. Escravo (servus) Na época arcaica, mero ajudante doméstico; Era propriedade (mancipium), um bem como qualquer outro; Apesar disso, era membro da família e podia ter contato pessoal estreito com o pater familias; Um senador podia sentar-se para comer com um escravo; Devia reforçar da a economia doméstica, primeiro, e depois a atividade agrícola; Até o séc. IV havia escravidão por dívidas e a venda dos filhos; Além disso havia a escravização dos prisioneiros de guerra e a reprodução natural do bem semovente; Os escravos libertos, geralmente continuavam dependentes do patronus, numa
  • 23. Religião Panteão extenso, diversificado e especializado: Júpiter (senhor dos céus); Marte (senhor da guerra); Quirino (fundador de Roma); Juno (senhora dos céus); Minerva (sabedoria e inteligência); Vênus (beleza/boa vontade dos deuses); Vulcano (metais, ferro, ferreiros) Mercúrio (mensageiro/ senhor das comunicações), Netuno (mares) Hércules (semi-deus filho de Júpiter) Esculápio (medicina e cura
  • 24. Sacerdotes do culto público Eram parte das instituições cívicas; Colegiado de 15 especialistas em direito divino e guardiães dos arquivos; presidido pelo Pontifex Maximus, Responsável por: calendário, festas, escolha dos sacerdotes, disciplina sacerdotal,
  • 25. Sacerdotes do culto público Vestais eram virgens consagradas por 30 anos: responsáveis pelo fogo sagrado; Áugures e seus auspícios: ler p. 64 de Christol l’20-21; Auspícios: ODCW
  • 26. InstituiçõesAssembléias, Senado e Magistraturas
  • 27. Assembléias Comices curiates: de natureza territorial, dividia-se em cúrias e decúrias, perdeu importância ao longo da República; Comices tributes: assembléia da plebe, decidia somente questoes referentes à plebe e elegia o tribuno da plebe. Comices centuriates: perdeu seu sentido original de grupos de 100, tornou-se uma divisao por classes sencitárias, onde as primeiras classes, mais ricas, votavam primeiro e garantiam as eleiçoes (v. Christol p. 67 l’11).
  • 28. O Senado Na monarquia era composto pelos chefes das 30 mais importantes famílias, depois ex- magistrados; Quem decide a elegibilidade para o senado são os censores; São em número inferior a 300 até a guerra social; Seu voto é um parecer (senatusconsultum); É detentor de grande auctoritas e é o guardiao da República;
  • 29. O Senado - competências Gestão do tesouro com auxílio dos questores; Direção das relações exteriores; Decide sobre paz e guerra. Com auxílio dos cônsules; Regulamenta a religião cívica; É considerado o guardião da República
  • 30. As Magistraturas Magistrados superiores os que possuíam imperium e potestas: cônsules e pretores, em caso de guerra um ditador e um auxiliar (magister equitum); Magistrados inferiores, os que possuíam somente potestas: censores, edis curuis, questores, tribunos da plebe, edis da plebe,
  • Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks