Government Documents

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Description
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CONDIÇÕES SOCIOAMBIENTAIS, QUALIDADE DE VIDA E PRESENÇA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NA POPULAÇÃO
Published
of 61
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CONDIÇÕES SOCIOAMBIENTAIS, QUALIDADE DE VIDA E PRESENÇA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NA POPULAÇÃO ATENDIDA PELA USF MANDACARU IX, JOÃO PESSOA - PB MARIA DE FÁTIMA DANTAS PEREIRA ORIENTADOR: PROF. DR. JOSÉ ANTÔNIO NOVAES DA SILVA JOÃO PESSOA/PB 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CONDIÇÕES SOCIOAMBIENTAIS, QUALIDADE DE VIDA E PRESENÇA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NA POPULAÇÃO ATENDIDA PELA USF MANDACARU IX, JOÃO PESSOA - PB MARIA DE FÁTIMA DANTAS PEREIRA ORIENTADOR: PROF. DR. JOSÉ ANTÔNIO NOVAES DA SILVA Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Centro de Ciências Exatas e da Natureza Campus I da Universidade Federal da Paraíba João Pessoa (PB) em cumprimento às exigências para a obtenção do título de licenciada em Ciências Biológicas. JOÃO PESSOA/PB 2014 Catalogação na publicação Universidade Federal da Paraíba Biblioteca Setorial do CCEN P436c Pereira, Maria de Fátima Dantas. Condições socioambientais, qualidade de vida e presença da hipertensão arterial na população atendida pela USF Mandacaru IX, João Pessoa-PB/ Maria de Fátima Dantas Pereira. João Pessoa, f. : il. - Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) - Universidade Federal da Paraíba. Orientador: Prof. Dr. José Antônio Novaes da Silva. 1. Saúde pública- Mandacaru- João Pessoa-PB. 2. Hipertensão arterial - Unidade de Saúde da Família Mandacaru IX. I. Título. UFPB/BS-CCEN CDU: 614(813.3)(043.2) UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MARIA DE FÁTIMA DANTAS PEREIRA CONDIÇÕES SOCIOAMBIENTAIS, QUALIDADE DE VIDA E PRESENÇA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NA POPULAÇÃO ATENDIDA PELA USF MANDACARU IX, JOÃO PESSOA - PB Trabalho Monografia apresentada ao Curso de Ciências Biológicas, como requisito parcial à obtenção do grau Licenciada em Ciências Biológicas. Data: / / Resultado: BANCA EXAMINADORA: Prof. Dr. José Antônio Novaes da Silva DBM/CCEN/UFPB Orientador Profª. Ms. Karina Maria de Souza Soares UFPB (Examinadora) Profª. Ms. Sônia Cristina da Nóbrega Carneiro dos Santos UFPB (Examinadora) JOÃO PESSOA/PB 2014 Dedico esse trabalho especialmente ao meu filho Bruno Dantas Pereira, que esteve sempre ao meu lado ao longo dessa caminhada, o qual é a razão de toda a minha força e determinação. AGRADECIMETOS Agradeço primeiramente a Deus, que diante de todas as dificuldades me deu força e coragem para superá-las. A minha família, por acreditar em meus sonhos. Aos meus pais, que me ensinaram a andar com minhas próprias pernas, lutar e perseverar em momentos de dificuldades para alcançar meus objetivos. Ao meu esposo, por compartilhar cada instante da minha vida, ao longo desses vinte três anos. A minha amiga irmã de alma e coração Maria de Fátima Soares da Silva, que sempre me ajudou ao longo dessa caminhada, com quem compartilho meus sonhos, alegrias, vitórias, medos e aflições. Agradeço a Deus a todo instante por colocar esse anjo em minha vida. A todos meus amigos, que torceram pela minha vitória mesmo distante. Em especial aos amigos de todas as horas com quem pude contar ao longo dessa caminhada: Alexandre Gomes, Anderson, Célia Estrela, Allyevison Ulisses, Safira, Niêdja e Tatiane. Ao meu querido professor Dr. José Antônio Novaes da Silva, por sua orientação e por ter acreditado em meu potencial, o que me encorajou a enfrentar os desafios para desenvolver essa pesquisa, sempre me indicando o melhor caminho a seguir. Agradeço pela minha formação pessoal, que jamais seria a mesma sem sua presença e seus ensinamentos, os quais guardarei e levarei ao longo da vida. A comunidade da microárea 03, filiada à USF Mandacaru IX, por ter colaborado com esse trabalho. Aos membros da banca examinadora, pela colaboração e dedicação na avaliação desse trabalho. A todas as pessoas que de forma direta ou indireta colaboraram com a minha formação pessoal e acadêmica. Meus sinceros agradecimentos. Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina RESUMO Entender as condições socioambientais e econômicas pertinentes à saúde como, caracterização do domicílio e a sua localização, saneamento básico, além da hereditariedade decorrente da ancestralidade é de grande valia, para se instaurar metas de promoção da qualidade de vida dos indivíduos. Nesse estudo objetivou-se analisar a qualidade de vida dos moradores, além de montar um quadro relacionado à hipertensão arterial da população adstrita pela Unidade de Saúde da Família Mandacaru IX, no bairro de Mandacaru, João Pessoa-PB. Foram utilizadas como fontes de pesquisa, a revista O Malho nos anos de 1929, 1930 e 1935, as Fichas A, questionário individual e WHOQOL-bref, os dois últimos aplicados a 30% dos moradores. A comunidade é majoritariamente negra e apresenta uma pequena predominância feminina, pois é formada por aproximadamente 520 pessoas, das quais 73,1% são negros, quanto ao sexo 52,9% são mulheres e 47,1% homens. De acordo com a análise dos dados obtidos certificou-se a baixa qualidade de vida dos moradores da comunidade, pois vivem em áreas insalubres, com saneamento básico ineficaz, além de graves problemas sociais como, a baixa escolaridade, falta de capacitação profissional e renda mensal baixa, o que eleva os riscos de agravantes à saúde, sobretudo a hipertensão arterial, que é prevalente na população negra. Palavras-chave: 1. População negra. 2. Hipertensão arterial. 3. Unidade de Saúde da Família Mandacaru IX. ABSTRACT Understanding the social, environmental and economic conditions relevant to health such as, characterization of the home and its location, sanitation, along with heredity due to ancestry is of great value, to establish promotion targets the quality of life of individuals. This study aimed to analyze the quality of life for residents, besides setting up a framework related to hypertension in the population connected by the Family Health Unit Mandacaru IX, Mandacaru neighborhood, João Pessoa-PB. Were used as research sources, the magazine The Mallet in the years 1929, 1930 and 1935, the chips A, individual questionnaire and WHOQOL-bref, the last two applied to 30% of the residents. The community is mostly black and features a small female predominance, as it is comprised of approximately 520 people, of which 73.1% are black, according to gender 52.9% are women and 47.1% men. According to the data analysis made sure the low quality of life for community residents, because they live in unhealthy areas, with ineffective sanitation, and serious social problems as poor education, lack of professional training and low monthly income, which increases the risk of aggravating health, especially high blood pressure, which is prevalent in the black population. Keywords: 1. black population. 2. Hypertension. 3. Unity Family Health Mandacaru IX. LISTA DE FIGURAS Figura 01. Localização geográfica do Bairro de Mandacaru João Pessoa PB...16 Figura 02. Igreja Santo Antônio e Quadrilha Junina Infantil sob a direção de Zé Dias, Bairro de Mandacaru...17 Figura 03. Igreja Santo Antônio nos dias atuais, Bairro de Mandacaru...17 Figura 04. Propaganda de medicamento para prevenção da Arteriosclerose presente no fascículo de O Malho no ano de Figura 05. Aglomeramento de casas, localizado na Rua: Frei Agostinho Bairro de Mandacaru, João Pessoa/PB...42 Figura 06. Vista panorâmica de uma das ladeiras, localizada na Rua: Frei Agostinho Bairro de Mandacaru, João Pessoa/PB Figura 07. Galeria pluvial a céu aberto, localizada na Rua: Pedro Fortunato Alves Bairro de Mandacaru, João Pessoa/PB...42 Figura 08. Parte da Rua Monsenhor João Coutinho sem pavimentação, localizada no Bairro de Mandacaru, João Pessoa/PB...42 LISTA DE GRÁFICOS E TABELAS Gráfico 01. Percentual de doenças presentes nos fascículos de O Malho nos anos de 1929, 1930 e Gráfico 02: Distribuição percentual por faixa etária e sexo dos moradores/as da microárea estudada, Bairro de Mandacaru João Pessoa/PB...35 Gráfico 03: Comparação entre o pertencimento étnico-racial dos moradores/as da microárea estudada, no Bairro de Mandacaru, com o mesmo pertencimento da cidade de João Pessoa/PB...39 Tabela 01. Situação ocupacional dos moradores/as da microárea 03, em dados percentual e número...39 Tabela 02. Percentual de frequência escolar das crianças/adolescentes e jovens de ambos os sexos da microárea estudada...40 Gráfico 04. Equiparação entre a prevalência e incidência da hipertensão arterial e o pertencimento étnico-racial dos moradores/as da microárea estudada...44 LISTA DE SIGLAS ACS: Agente Comunitário de Saúde ASB: Assistente de Saúde Bucal CACTOS: Associação Comunitária de Educação e Cultura CAGEPA: Companhia de Água e Esgoto da Paraíba CNS: Conselho Nacional de Saúde ECA: Estatuto da Criança e do Adolescente ESF: Equipe de Saúde da Família HGCDPII: Hospital Geriátrico e de Convalescente Dom Pedro II IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ISCMSP: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo MAPA: Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial MG: Minas Gerais MS: Ministério da Saúde MS Oficce: Microsoft Oficce OMS: Organização Mundial de saúde ONU: Organização das Nações Unidas PNSIPN: Política Nacional de Saúde Integral da População Negra PNUD: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento SEPLAN: Secretaria de Planejamento SIAB: Sistema de Informação de Atenção Básica SUS: Sistema Único de Saúde UBS: Unidade Básica de Saúde UMESP: Universidade Metodista de São Paulo USF: Unidade de Saúde da Família WHOQOL Group: World Health Organization Quality of Life Group SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO A localidade Discutindo o conceito de saúde Direito a saúde Hipertensão arterial: doença crônica degenerativa multifatorial OBJETIVOS Objetivo geral Objetivos específicos PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Tipo de estudo População em estudo Local do estudo Instrumentos e período da investigação Pesquisa da presença da Hipertensão na mídia brasileira entre 1929 e Análises dos dados RESULTADOS E DISCUSSÃO O surgimento da hipertensão: uma construção recente Apresentando a população em estudo Caracterização dos domicílios e condições de saneamento Hipertensão arterial: prevalência, incidência e fatores associados CONSIDERAÇÕES FINAIS...46 REFERÊNCIAS...47 APÊNDICES ANEXOS 14 1 INTRODUÇÃO A população negra vivenciou e ainda vivencia, nos dias atuais, situações adversas, decorrentes de processos históricos e sociais, que são as práticas discriminatórias, portanto, lutam por direitos. Através dos Movimentos Sociais Negros, tem-se cobrado das autoridades uma atenção especial para as doenças agravantes nessa população, dentre elas a hipertensão arterial. O Ministério da Saúde do Brasil, em 2001, desenvolveu um manual no qual estão elencadas algumas dessas doenças. No mesmo, podem ser encontradas: anemia falciforme, deficiência em glicose 6 fosfatase, hipertensão arterial, diabetes mellitus e síndrome hipertensivas na gravidez. Esse manual tem por objetivo mostrar a devida importância de se conhecer determinadas doenças prevalentes e incidentes na população negra, cabendo ao profissional de saúde se engajar para prestar uma assistência à saúde com dignidade, cumprindo sua parte no diagnóstico, de forma a assegurar o direito de todos os cidadãos, conforme suas prioridades, por meio de análises da vulnerabilidade de cada situação. Portanto, é dever do Estado, da sociedade civil e grupos organizados, atuarem sobre os determinantes de saúde que estão envolvidos nos agravos a doenças que afetam essa importante parcela da nossa população, para prevenir e promover a saúde integral de forma humanizada. No Brasil, concentra-se a maior população negra fora da África, incluindo pretos e pardos, e no geral, essa fração da população é mais pobre, menos qualificada para o mercado de trabalho, recebem baixos salários, a grande maioria vive em moradias insalubres com saneamento básico ineficaz, apresenta grande proporção de analfabetos e com baixa perspectiva de ascensão social. Portanto, é uma população que vive à margem da sociedade, sofre com a discriminação social e são mais vulneráveis no que se diz respeito à violência e às doenças, dentre elas, a hipertensão arterial. A hipertensão arterial é uma das doenças crônicas degenerativas de maior agravo à saúde, responsável pelo desenvolvimento de doenças cardiovasculares, e apresenta caráter multifatorial. Tais fatores podem ser tanto genéticos, como socioambientais e econômicos, o que eleva os riscos dessa população que vive em lugares insalubres. As doenças que apresentam uma maior incidência na população negra são influenciadas por fatores genéticos, além dos fatores socioambientais e econômicos que incorporam o regime de escravidão vivenciado até o ano de 1888 e posteriormente a situação de exclusão social, que permanece até hoje, por grande parte dessa população (BRASIL, 2001). 15 Nesse sentido, esse capítulo se deterá em apresentar a localidade onde foi realizado o estudo, além de fazer uma breve revisão da literatura sobre as reflexões que os estudiosos da área fazem acerca do conceito de saúde, de direito à saúde, de surgimento da hipertensão e dos multifatores que influenciam o desencadeamento dessa doença. 1.1 A localidade Mandacaru é um bairro que está localizado na região Norte do Município de João Pessoa capital da Paraíba, onde foi realizado o presente estudo com um grupo de pessoas residentes na microárea 03 da Unidade de Saúde da Família Mandacaru IX (USF IX), para ser feita uma diagnose das condições socioambientais, econômica e de saúde, além de avaliar a qualidade de vida dessa população. Segundo Macedo (2009a), o bairro de Mandacaru surgiu com a doação de terras para construção de moradias destinadas as pessoas carentes, pela Dona Iaiá Paiva proprietária do Sítio Mandacaru e colaboradora das obras sociais do Padre Zé, a qual se sensibilizou com o excelente trabalho filantrópico realizado pelo Instituto São José. A notícia do loteamento se espalhou pelo interior do estado, através das pessoas atendidas pelo referido instituto, logo começou a migração de famílias do interior para capital em busca de melhores condições de vida. A ocupação geográfica teve início com o Porto no Rio Paraíba e a estrada de ferro que até hoje corta o bairro, dividindo-o em Mandacaru de cima, a parte localizada antes da linha de ferro, que é composta pelas comunidades Cinco Bocas e Baixada, e Mandacaru de baixo, conhecido até nos dias atuais como Alto do Céu, sendo formada pelas comunidades, Beira da Linha; Porto de João Tota; Beira Molhada; Jardim Coqueiral e Jardim Mangueira. Na década de 30, Mandacaru era conhecido como o Bairro Iaiá Paiva e abrangia a área que corresponde ao Bairro dos Estados, 13 de Maio, Bairro dos Ipês e Padre Zé, que hoje fazem parte de suas divisas, como também o bairro do Roger e a cidade portuária de Cabedelo. Figura 01. Localização geográfica do Bairro de Mandacaru João Pessoa - PB. Organização: PEREIRA; SILVA, Fonte: Mapa urbano digital de João Pessoa. 16 17 O bairro é caracterizado pela grande riqueza cultural, onde hoje sobrevivem várias manifestações da cultura popular como, agremiações carnavalescas de tribos indígenas: Tupinambás, Guanabara e Tupy Guarany, além de Quadrilhas Juninas, Nau Catarineta, Grupo de Ciranda, Grupo de Teatro Amador - o Arte Povo. Quanto à infraestrutura, o calçamento e o saneamento básico contemplam 85% do bairro, toda a população possui água encanada. Em relação a sua estrutura, encontram-se postos de combustíveis, supermercado, concessionária de automóveis, casa lotérica, panificadoras, farmácias, laboratórios, casa de eventos, empresa de transporte, estação de trem, pedreira, fazenda de camarão, mercado público, praças, associações beneficentes, estádio de futebol Juraci Pedro Gomes (Juracizão), nove Unidades de Saúde da Família (USFs), Unidade Básica de Saúde (UBS), escolas públicas municipais e estaduais, condomínios residenciais, duas vias expressas (Ayrton Senna e Tancredo Neves), Biblioteca Comunitária Mandacaru, sob a administração da Associação Comunitária de Educação e Cultura - CACTOS em parceria com o Ministério da Cultura, templos católicos, espíritas, evangélicos, bem como de umbanda e candomblé (MACEDO, 2012b). Figura 02. Igreja Santo Antônio e Quadrilha Figura 03. Igreja Santo Antônio nos dias atuais, Junina Infantil sob direção de Zé Dias, Bairro Bairro de Mandacaru. Foto: PEREIRA, de Mandacaru. Foto: MACEDO, Infelizmente, esta face do bairro é pouco destacada pela mídia pessoense, sendo mais enfatizadas as questões das drogas e violência. Campos (2007), que trabalhou nos anos 2005 e 2006, a cerca da violência urbana na cidade de João Pessoa, afirma que os altos índices de homicídios em Mandacaru podem estar ligados às desigualdades sociais, exclusão, 18 aglomerações urbanas, pobreza, má distribuição de renda, baixo grau de instrução, entre outros problemas que essa comunidade enfrenta. Os espaços geográficos da unidade urbana apresentam aglomerações, várias casas construídas em um mesmo terreno, com materiais de má qualidade, tamanhos dos cômodos inadequados, mal acabados, sem espaço viável para recreação das crianças, ladeiras, calçadas irregulares, havendo uma variação em relação à altura e comprimento, o que dificulta a acessibilidade da comunidade no geral, além de oferecer riscos aos idosos e cadeirantes. As condições de saneamento básico são precárias e a população residente contribui para o agravo da situação, descartando o lixo doméstico em lugares inadequados, acarretando a obstrução dos bueiros e das galerias pluviais. Essa população também convive com outros problemas sociais que agravam a saúde, como desemprego, drogas, violência urbana, renda baixa que atinge diretamente ou indiretamente a comunidade em relação aos determinantes de saúde, principalmente a hipertensão arterial que se mostra prevalente na população negra (OLIVEIRA, 2003). 1.2 Discutindo o conceito de saúde A Organização Mundial de Saúde (OMS) conceituou a saúde como, um estado completo de bem-estar, mental, físico e social, não se restringindo à ausência de doenças. Consequentemente, para ter saúde é necessário alimentação saudável, moradia de qualidade, nível de instrução, condições dignas de emprego e renda, corpo e mente saudável, relações familiares e sociais harmoniosas, acesso aos serviços públicos de saúde que respeitem as diferenças e individualidade de cada cidadão (DALLARI, 2008). Na escola brasileira para Meyer (2000), a questão da saúde só passou a fazer parte de suas preocupações e atribuições no fim do século XIX, englobando assistência à saúde e ao desenvolvimento de hábitos, atitudes e valores compatíveis com o conceito de indivíduo saudável. A partir daí, foram criadas muitas leis, decretos, como também houve muitas discussões no âmbito acadêmico e político, em torno dessa área, passando a ser conceituada como saúde escolar. Portanto, a saúde escolar abrange desde o atendimento à saúde da criança na faixa etária escolar até o ensino de normas, valores, hábitos para se adquirir, conservar e recuperar a saúde. Essa concepção de saúde é bastante complexa, sua inserção no currículo e no cotidiano da escola está relacionada com os temas como, uso de drogas, sexualidade e 19 gênero, no que se refere a educação de jovens. Segundo a mesma autora, a saúde nos dias atuais é entendida como a capacidade físic
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks