Slides

Viola de ouro apostila

Description
1. http://oliveiranetto.blogspot.com Contato: 12 – 9777-5661 www.cordasdamantiqueira.com.br 2. PrefácioOliveira NetoEntre suas atividades atua no meio artístico…
Categories
Published
of 47
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. http://oliveiranetto.blogspot.com Contato: 12 – 9777-5661 www.cordasdamantiqueira.com.br
  • 2. PrefácioOliveira NetoEntre suas atividades atua no meio artístico através da dupla: Daniel Viola e Oliveira Netoe também é regente do grupo Cordas da Mantiqueira.Iniciou suas atividades musicais com a guitarra elétrica, um dia recebeu de sua avó umaviola deixada pelo seu avô como herança, e a guardou num canto. Porém o universoconspirou a favor das raízes dos violeiros. Certa vez, a violinha que estava num canto, aoser tocada e experimentada fez mais um adepto e a partir deste momento ela nunca maisparou de tocar. De Metaleiro a Violeiro este foi o retorno as suas origens e a sua cultura deraiz.Quando falamos da importância de cultuar nossas raízes, folclores e tradições estamos nosreferindo a manutenção da nossa “personalidade”.Podemos apreciar o trabalho de outras civilizações sem perdermos a nossa identidade, e anossa referencia está na nossa cultura de raiz.Os folclores e as tradições mantidas de pai para filho são muitas vezes os nossos acervoshistóricos do que realmente aconteceu e não do que foi escrito e manipulado.Por isto, abençoada foi a matriarca de Oliveira Neto quando o presenteou com a violinhaque foi do seu avo, porque assim ela presenteou também a nossa cultura com mais umvioleiro para colorir com ponteados a nossa jornada histórica, verdadeira e rica de tradições. Robson da Rocha OlopesViola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 2 Oliveira Neto
  • 3. Dedico este trabalho a todos os violeiros e violeiras que carregam a bandeira das nossas raízes. Oliveira Neto Viva São Gonçalo!!!!! São Gonçalo do Amarante O santo protetor dos violeiros Cultuado no dia 10 de janeiro São Gonçalo do Amarante, capitão de congada e mestre de folia de reis, além de casamenteiro é protetor dos violeiros. É um santo português cujo culto foi permitido pelo Papa Julio III em 1551. Era um grande tocador de viola e organizava bailes para que as moças consideradas pecadoras, dançarem a noite toda até se cansarem e não poderem pecar. Para evitar as tentações e também se penitenciar, tocava com pregos na sola dos sapatos.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 3 Oliveira Neto
  • 4. Índice Introdução........................................................................................... pág. 5 Conhecendo o instrumento....................................................................pág. 5 Diagrama de acordes............................................................................pág. 6 Notas Musicais....................................................................................pág. 6 Nomenclatura da mão direita e da mão esquerda................................ pág.7 Exercício para mão esquerda.................................................................pág.7 Dúvida Comum.....................................................................................pág.8 Formação de acordes............................................................................pág.9 Lendo cifras........................................................................................pág.13 Ritmos................................................................................................pág.13 Arpejos...............................................................................................pág.30 Escalas duetadas...............................................................................pág.33 Mini dicionário de acordes.................................................................pág.35 Tablaturas.........................................................................................pág.37 Musicas cifradas...............................................................................pág.41 Tabela de transporte de acordes.......................................................pág.46 Relatório de encordoamentos...........................................................pág.47Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 4 Oliveira Neto
  • 5. Introdução A viola caipira conhecida em nossos dias veio de Portugal em forma de alaúde junto com oscolonizadores e passou por várias transformações até chegar a sua estrutura atual. O próprio PadreAnchieta utilizava a viola como meio de evangelizar os índios dando um grande passo para a difusão doinstrumento por todo o território brasileiro. São várias as afinações utilizadas na viola e elas se diferenciam de uma região para outra. Em nossaregião (Vale do Paraíba) encontramos comumente a afinação de Cebolão em Mi maior, embora outrasafinações como Cebolão em Ré, Boiadeira, Rio Abaixo ou Rio Acima também sejam encontradas. Neste método utilizaremos a afinação CEBOLÃO EM MI, pois ela é a mais usual e deixa a violacom som mais “vibrante”. Para afinar sua viola utilize um diapasão eletrônico. Hoje em dia eles sãobaratos e práticos, até grandes maestros fazem uso deles com freqüência pela sua praticidade. A proposta deste método é de ensinar através de textos e figuras de uma maneira simples e objetivaonde o aluno deve treinar no mínimo uma hora por dia cada etapa e só passar para a próxima quandoobtiver uma boa técnica do anterior.Conhecendo o Instrumento É necessário que identifiquemos algumas partes básicas do instrumento que são:Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 5 Oliveira Neto
  • 6. Diagrama de Acordes A figura abaixo é um diagrama de acordes, utilizado para representar a correta colocação dos dedosda mão esquerda nas cordas e nas casas para se tocar um acorde. Um acorde é uma série de notas tocas aomesmo tempo. A viola possui 10 cordas formando cinco pares que são contados de baixo para cima. Modelo de diapasão.Notas Musicais As notas musicais seguem uma nomenclatura internacional e cada nota é representada por uma letrae são essas letras que utilizamos nas músicas cifradas, portanto é muito importante sua memorização: C = Dó D = Ré E = Mi F = Fá G = Sol A = Lá B = Si As letras quando aparecem sozinhas representam que o acorde é maior. Existem outros símbolosque acompanham as letras formando diferentes acordes e são eles: m = menor # = sustenido b = bemol 7 = sétima o = diminuto Ex: Cm = Dó menor B7 = Si com sétima A#m = Lá sustenido menorViola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 6 Oliveira Neto
  • 7. Nomenclatura da Mão Direita (MD) e da Mão Esquerda (ME) Convencionamos a seguinte nomenclatura para os dedos da Mão Esquerda: 1 = Indicador 2 = Médio 3 = Anelar 4 = Mínimo É imprescindível que as unhas da ME estejam bem cortadas e lixadas para um melhor con- tato ao pressionar as cordas. A ME é utilizada para montar Os acordes no braço da viola. Para a Mão Direita utilizamos as iniciais de cada dedo: P = Polegar i = Indicador m = Médio a - Anelar As unhas da MD devem ser ligeiramente compridas, mas sem exageros. Não recomen- do o uso de dedeira no início pois vamos trabalhar a desen- voltura dos dedos da MD. O violeiro deve ter agilidade tanto na ME como na MD.ATENÇÃO: Se você for canhoto é só inverter a nomenclatura das mãos.Exercício para Mão Esquerda É necessário que exercitemos os dedos da ME (Mão Esquerda) para que eles obtenham técnica evelocidade. Este é um processo muito importante na aprendizagem, pois a sua perfeita execução facilitaráem muito na formação dos acordes, sejam eles simples ou mais complicados. Assim como todos os atletasprofissionais ou amadores fazem um aquecimento antes de começarem a praticar seus esportes, o músicodeve aquecer praticando este exercício. Posicione o polegar da ME atrás do braço da viola na altura do 3º par, ou seja, no meio do braço,em seguida posicione os dedos como na figura da escala pseudo-cromática. Comece tocando o 5º parpressionando na primeira casa com o dedo 1, logo em seguida na segunda casa com o dedo 2 e assim pordiante até a quarta casa. Passe para o 4º par e repita o processo até o 1º par. Não se preocupe comvelocidade no início, mas sim com qualidade. O som deve sair “limpo” e deve soar por algum tempo. Comtreinos diários você vai conseguir aumentar a velocidade aos poucos, mas procure não comprometer aqualidade do som.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 7 Oliveira Neto
  • 8. Escala pseudo-cromática Dúvida comum - 01 Notas enarmônicas são notas que tem o mesmo posicionamentodos dedos da ME e obviamente produzem o mesmo som, porem elastem nomenclatura diferente, são utilizadas para especificar se a nota émais grave ou mais aguda.(veja figura abaixo) Cada casa na escala da viola representa meio tom. A soma de2 meios tons formam 1 tom. Na figura ao lado indicamos o sentido das notas graves e agu-das no braço da viola. Para nós músicos as notas musicais são 12: C – C# - D – D# - E – F – F# - G – G# - A – A# - B.As notas E e B não tem sustenido (para memorizar é só ter em mente que as duas que terminam com aletra “i” não tem “#”(sustenido), ou seja, E-Mi e B-Si). Entenda as figuras abaixo. A distância entre C e C# é meio tom, mas a distância entre C e D é de01 Tom. Foram somados dois meio tons.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 8 Oliveira Neto
  • 9. Tenha em mente a seqüência das notas musicais, pois isto facilita a execução do instrumento.Lembre-se: cada casa no braço da viola representa meio tom. Veja agora na figura abaixo a escala do braço da viola da 1ª até a 12ª casa dos cinco pares. Paraentender melhor esta escala: Digamos que você toque o 1º par solto, a nota emitida será um E (Mi), mas sevocê pressionar as cordas na 7ª casa do 1º par e tocá-la, a nota emitida será um B (Si). Na figura acima, lembre-se que cada “#” (sustenido) tem seu “b” (bemol) equivalente, por exemploum F# é igual ao Gb, mesmo posicionamento dos dedos nas mesmas casas. Monte os acordes abaixo no braço de sua viola, tendo o cuidado de ficar em uma posiçãoergonomicamente correta para evitar dores musculares desnecessárias. Não é necessário nenhum tipo deritmo agora, apenas posicione os dedos corretamente e toque descendo os dedos da MD sobre as cordas parpor par até que todas estejam soando claramente e por algum tempo. Neste momento o que importa é aqualidade do som e não a velocidade de se montar os acordes. Os acordes abaixo são E7 – Mi com sétima,A – Lá maior e D – Ré maior. Vamos utilizá-los mais a frente na primeira música que você vai tocar, maspara tanto é necessário um sério estudo de tudo o que já vimos e muita calma e treino.Formação de Acordes Quando tocamos apenas uma corda seja solta ou pressionada em qualquer casa obtemos apenasuma nota, mas quando tocamos várias cordas ao mesmo tempo obviamente obteremos várias notas e nestecaso se colocarmos os dedos nos lugares corretos, estaremos tocando um acorde. Para se formar um acorde é necessário utilizar uma tabela e através dela vamos extrair asinformações necessárias para se montar o acorde. Nessa tabela utilizamos números romanos quechamamos de Graus. Os graus são nossa referência para montar qualquer tipo de acorde, seja maior,menor, diminuto, etc.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 9 Oliveira Neto
  • 10. A figura acima representa a escala de Dó maior acima, note que de Mi para Fá a distância entreeles é de apenas meio tom e de Si para Dó também é de meio tom. Isto ocorre porque as notas E e B nãotem sustenido. Portanto do III para o IV grau a distância será sempre meio tom e o mesmo ocorre do VIIpara o VIII grau. Seguindo a tabela abaixo formaremos acordes maiores utilizando o 1º grau, o 3º grau e o5º grau, são as conhecidas tríades. Para formar então o acorde de Dó maior utilizaremos as notas: C – E –G. A partir desta informação é que montamos os acordes no braço da viola ou de qualquer outroinstrumento. Se você entender o funcionamento desta tabela você poderá tocar qualquer instrumento decordas sem a necessidade de nenhum dicionário de acordes, desde que você saiba primeiramente a suaafinação. (Mesmo assim no final desta apostila está adicionado um pequeno dicionário de acordes paraconsulta) Veja na tabela de tríades ao lado a formação dos acordes maiores. Tríades Note que o 1º grau nós chamamos de Tônica, é ela quem dá nome ao acorde. Para entender melhorvejamos como é formado o acorde de Mi maior. Utilizamos as notas E que é a tônica e dá nome ao acorde,o G# que é o 3º grau e a nota B que é o 5º grau. São exatamente as notas da afinação da viola quandotocamos as cordas soltas e é por isso que chamamos afinação em Mi. Dizemos que a afinação é “cebolão”pois antigamente as moças chegavam a chorar quando os violeiros tocavam canções apaixonadas paraconquistá-las. Dúvida comum - 02: São poucos os que estudam esta parte teórica e por esta razão não entendem oporque das mudanças de posicionamento dos dedos na hora de se montar um acorde, na verdade estamosajustando as notas para que elas atendam o que a tabela acima pede. Se você toca violão ou conhecealguém que toca, poderá confirmar que na viola o “E” será tocado com todas as cordas soltas, porém noviolão terão de ser pressionadas 3 cordas para tocar o “E”, verifique que mesmo no violão estando cordaspressionadas serão as mesmas notas tocadas soltas na viola, ou seja, E, G# e B.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 10 Oliveira Neto
  • 11. Para obtermos os Acordes menores utilizamos o 1º grau o 3º grau reduzido em meio tom (III b –terça bemol) e o 5º grau.. Ex.: Para obter a tríade de Cm (Dó menor) utilizaremos C que é a tônica, D#pois o 3º grau deve ser reduzido em meio tom e o quinto grau que é G. Resumindo é só reduzir os 3º grausem meio tom das tríades da tabela acima e obteremos os acordes menores. Fórmula: Todo acorde com 7 (sétima) é menor, portanto para formarmos Acordes com sétima utilizaremosos graus I, III, V e o VII, sendo que este último deve ser reduzido meio tom (VII b – Sétima bemol) Fórmula: Os Acordes com 7+ (sétima maior) utilizam o I, III, V e VII graus, sendo o 7º. Grau exatamente oque está na tabela. Fórmula: . Para formar acordes Diminutos (o) usamos o Grau I e reduzimos em meio tom os graus III (III b –terça bemól) e V (V b – quinta bemól). Fórmula: Abaixo estão todas as fórmulas já citadas acima, pois quando estiver habituado com ela você nãovai mais precisar recorrer ao dicionário de acordes, ou seja, entender como se monta o acorde é muito maisfácil do que decorar centenas de “desenhos” do braço da viola. Vale a pena um pouco de esforço nestaparte teórica. A maioria dos músicos ignora esta parte por acharem que não é importante, mas garanto queeste é o “pulo do gato” por se tratar de teoria musical, podemos aplicá-la em qualquer instrumento.(Quando o Grau estiver acompanhado de “b” (Bemol) você volta meio tom da nota no grau onde eleestiver) Para finalizar esta parte teórica vamos estudar um dos acordes que já vimos anteriormente E7.. Vamos entender a formação do acorde E7 (Mi com sétima). Sabemos que para formar um acordecom sétima (menor) é preciso do I, III, V graus e o VII b grau reduzido em meio tom. Utilizando a tabelade tríades a tônica é E (Mi) então vamos utilizar as seguintes notas: I grau = E, III grau = G#, V grau =B e VII b grau reduzido meio tom = D. Agora no diagrama abaixo de E7 (desenho do braço da viola)note que o primeiro par solto é E, o segundo par preso na 3ª casa é D, o terceiro par solto é G#, o quartopar solto é E e o quinto par solto é B. Exatamente as notas que precisamos para formar o acorde de E7. As figuras abaixo representam o mesmo acorde, só que o primeiro é como vemos no dicionário deacordes e o segundo está indicando a nota musical de cada par.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 11 Oliveira Neto
  • 12. Agora monte o acorde de A (Lá maior) a partir das informações que você já tem, adicionando nodiagrama abaixo as notas necessárias para formar o acorde. Lembre-se que a tônica é quem dá nome aoacorde, ou seja, no caso abaixo a tônica é A, preencha também o nome das cordas soltas.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 12 Oliveira Neto
  • 13. Lendo as cifras Cifras são os nomes dos acordes que ficam em cima da letra da música. No início é um pouco difícil para o aluno acompanhar as músicas cifradas, pois ele vai ter de ler amúsica, ler as notas que estão sob a letra, trocar os acordes no momento certo, executar o ritmo de maneiracorreta e por vezes ainda cantar. Você já deve ter visto alguma daquelas revistas de músicas cifradas que encontramos nas bancas dejornal ou as cifras obtidas na internet, pois bem, aquele tipo de transcrição é universal e em qualquer partedo planeta um músico reconhece as cifras. Veja no exemplo abaixo a música Cabocla Tereza que é umatoada:E A E B7 A B7 A B7Há tempo eu fiz um ranchinho pra minha cabocla morar, pois era ali nosso ninho, bem longe desse E lugar.... Os acordes devem ser mudados exatamente no momento em que se forem cantar as silabassublinhadas, não podendo em hipótese alguma serem mudadas antes e nem depois, pois se isto ocorrervocê estará “fora do tempo” da música (para que dirige é como se ao sair com o carro você mudasse da 1ªmarcha para a 5ª ao invés da 2ª, 3ª e assim por diante). Seja exigente com você mesmo e habitue-se atrocar os acordes no momento certo, para tanto é necessário estudar a letra da música, a melodia, o ritmo eprincipalmente os acordes utilizados. Você vai conhecer agora os ritmos mais utilizados na viola caipira e a execução de cada um delesvai depender de muito e exercício e paciência, afinal de contas para a maioria, os dedos da MD e da MEnunca fizeram tais movimentos e é preciso acostumá-los com a nova postura. Infelizmente não é do diapara a noite que isso acontece, portanto vamos tratá-los um a um. No final do método estão algumas letrascifradas e estribilhos onde você poderá treinar. Além de treino é importante que você ouça muitas músicas caipiras, tentando identificar os ritmosde cada uma, o “jeitão” de como são cantadas, pois na música caipira existem muitas “prosódias” que sãomaneiras diferentes de se pronunciar as palavras para que elas se ajustem na melodia da música. Umexemplo de prosódia pode ser encontrado na música cuitelinho onde alguns pronunciam “as garçá” aoinvés de “as garças”. Ritmos Definição de Ritmo: é o movimento ordenado de sons dentro de um tempo. A partir de agora vaiser muito importante a atenção para executar os movimentos de maneira correta e com técnica. Ao executar os movimentos, tenha certeza de que esteja fazendo os movimentos de maneiracorreta. Tenha calma e suavidade na execução. Inicialmente vamos utilizar os três acordes que já vimos anteriormente; E7 (Mi com sétima), A (Lámaior) e D (Ré maior) para treinar cada ritmo, pois a esta altura você já deve ter treinado muito bem cadaum deles.Viola de Ouro - Ano 2010 – Revisão 03 13 Oliveira Neto
  • 14. 1º Ritmo – Cururu O cururu é utilizado em muitas músicas sertanejas como Menino da Porteira, Relógio Quebrado,Peito Sadio, etc. O cururu consiste no movimento de descer com o polegar da MD de cima para baixo dando umaleve abafada nas cordas no fim do percurso, em seguida com o dedo indicador tocam-se as cordas subindoe descendo e outra abafada sutil. A cada vez que você realiza este ciclo de movimentos completa-se umcompasso. O ritmo em si consistirá em repetir continuamente vários compassos. Veja a célula rítmica abaixo: Vamos então começar a trabalhar a 1ª música: O menino da porteira que é um hino da músicasertaneja. Selecionei esta música, pois em qualquer parte do país não importa que ritmo a pessoa goste ouo grau de sua formação, de uma forma ou de outra ela conhece esta canção ou no mínimo parte dela. Primeiramente vamos estudar a base dessa música, ou seja, os acordes para execução da melodia damesma. Uma boa base é como se fosse um asfalto novo para o carro, pois quem fizer o estribilho ficarátranqüilo para solar como se estivesse dirigindo por uma estrada macia e sem buracos. Lembre-se de trocar os acordes exatamente em cima da sílaba onde está localizado o nome domesmo. Execute o ritmo com calma e atenção fazendo com que os acordes soem com clareza. A força não é um fator predominante para se tocar um instrumento, mas sim técnica e precisão.Exec
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks