Documents

A Influencia Da Tecnologia Na Musica

Description
Trabalho de Kelly Nogueira Marques
Categories
Published
of 9
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A Influência da Tecnologia da Música do Século XX Kelly Nogueira Marques / Universidade Nova de Lisboa Este trabalho baseia-se na minha Tese de Mestrado que desenvolvi acerca da influência da tecnologia nas obras do compositor Luciano Berio. Assim este  paper tem o objetivo de analisar como a invenção de tecnologias no âmbito da música impulsionou a transformação da linguagem musical. De facto, toda invenção tecnológica no campo da música reflete-se em mudanças na concepção musical. A integração das novas realidades na música não se limitou à reflexão de influências através dos processos tradicionais, mas aproveitou de modo extraordinário os desenvolvimentos tecnológicos e as descobertas científicas, tanto a nível acústico, psico-acústico, como dos novos instrumentos e  possibilidades da técnica. Palavras-chave: Tecnologia, Composição, Análise, Luciano Berio e Manipulação Sonora.  Percebe-se que, com todos os desenvolvimentos tecnológicos produzidos no século XX, a música não poderia ficar alheia a mudanças.  No século XX, foi a Rádio que também passou por imenso desenvolvimento, Pierre Schaeffer foi um engenheiro e compositor que realizou muitas experiências na Rádio Nacional Francesa (RTF) em Paris, sendo considerado como pioneiro na Música Concreta. Durante os anos 50 alguns compositores de Música Concreta começaram a sentir necessidade de integrar na sua música novos materiais e novas técnicas, não se limitando à captação, corte e montagem de sons. Do mesmo modo, os compositores de Música Electrónica (cujo surgimento se considera ter ocorrido na Alemanha) que tinham dificuldade em produzir sons interessantes apenas com a tecnologia ainda pouco eficiente, de geradores, filtros e pouco mais, existentes na época, buscavam formas de tornar os sons mais ricos.  No ano de 1953 começaram os cursos de verão de Darmstadt os quais se viriam a revelar cruciais na prática composicional dos maiores compositores da segunda metade do século XX. Este evento anual teve a maior importância para o desenvolvimento musical do pós-guerra visto ser um ponto de encontro entre os grandes compositores. Segundo (SOLARE, 1998, p.65), compositores como, Luciano Berio (1925-2003), Karlheinz Stockhausen (1928-2008), Henri Pousseur (1929-2009) e Pierre Boulez (1925-), passaram a manter contato, entre eles, afim de explorar a influência da tecnologia à música na época. Vários compositores, cada um de sua forma tiveram em consideração a importância da tecnologia para a composição musical. Pierre Boulez, consciente da importância e das possibilidades que estes novos meios tinham a oferecer à linguagem composicional, descreveu, em 1955, a situação com a qual todos os compositores alemães de música electrónica se confrontavam: [...] raramente se assistiu, na história da música, a uma evolução mais radical, considerando-se que o músico encontra-se diante de uma  situação inusitada: a criação do próprio som. E não pela escolha do material sonoro com vistas a um efeito decorativo, ou para ressaltar algo  –   isso seria banal, seria transpor para um outro domínio os problemas de orquestração ou de instrumentação que servem de base atualmente; mas  trata-se da escolha do material devido às qualidades de estrutura intrínseca que ele comporta [...] (Boulez, 1995, p. 188). Edgard Varèse (1983, p. 175) afirmou estar grato à electrónica por três contribuições indispensáveis 1 : 1. Liberar a música do sistema temperado; 2. Enriquecer a música de novos sons; 3. Tornar possível a simultaneidade de elementos, sem nenhuma relação entre eles. Como se pode notar pelo discurso dos compositores citados anteriormente a tecnologia se inseriu nesse panorama como uma ferramenta mais, auxiliando-os a se libertarem da estética e da técnica vigente até então e encontrarem seus próprios caminhos composicionais. A tecnologia possibilitou desde simples ferramentas de cálculos de dados,  passando pela sua utilização como ambiente composicional (música concreta, electrónica, electroacústica e a conjunção destas com instrumentos tradicionais desenvolvidas nos estúdios), e como gerador composicional propriamente ditas. A tecnologia em questão, a que move este trabalho fundamenta-se no impulso da música do compositor Luciano Berio e no contexto dos aparelhos contidos no Estúdio de Fonologia Musical de Milão, cuja fundação foi impulsionada por Luciano Berio e Bruno Maderna em 1955. Esta tecnologia influenciou a música de alguns compositores que aí trabalharam, nomeadamente entre as décadas de 1950 e 1960. Acoplados, tais aparelhos formam uma espécie de organismo (o estúdio) o qual  poderíamos classificar na categoria de instrumento musical. 1   Varèse (1983, p. 175) “[…] je suis particulièrement reconnaissant à l’électronique pour trois apports indispensables qui ont permis la réalisation de mes idées : Elle a libéré la musique du système tempéré, elle a enrichi la musique de nouveaux sons, et elle a rendu possible la simultanéité d’éléments n’ayant aucun rapport entre eux.    Sendo assim, começo por citar as obras: Thema - Omaggio a Joyce  (1958) e  Laborintus 2  (1965) do compositor Luciano Berio. Veremos portanto que além de explorar o contexto funcional da tecnologia da época, a criação, meios e ideias estéticas e a forma de experimentação, também a composição percorreu um caminho de exploração de potencialidades expressivas e estéticas dentro da revolução que foi o desenvolvimento tecnológico. Thema - Omaggio a Joyce (1958) É uma obra electroacústica composta em 1958, para voz e banda magnética, em que uma leitura da primeira parte do Capítulo XI do Ulysses  feita pela cantora Cathy Berberian, é gravada e depois trabalhada, utilizando as técnicas disponíveis no Estúdio de Milão para criação de efeitos sonoros, tais como: eco, distorção, sobreposição, alteração de velocidade e timbre entre outros. A d uração total da obra gravada em estéreo é de cerca de 8’30”. Sendo a manipulação electroacústica de Berio cerca de 6’31”, e são precedidos por 1’59” de leitura por Cathy Berberian 2 . Thema - Omaggio a Joyce , todos os sons, mesmo os que sugerem ser completamente electrónicos a uma primeira escuta, foram derivados da gravação da voz de Cathy Berberian. A obra visa a total transmutação da linguagem verbal em sons, dissolvendo o significado verbal, o momento semântico das palavras a fim de que as propriedades musicais do material fonológico pudessem emergir isoladamente e, por conseguinte, de modo evidente. Destruição e construção interagem: ao mesmo tempo em que o texto  perde seu sentido verbal, o material fonológico, enquanto resultante acústico da linguagem, passa a ser sonoramente estruturado, adquirindo um sentido que não é significante mas apenas musical. 2  CD  –   Nuova musica alla radio, do livro: Rizzardi, Veniero e De Benedictis, Angela Ida. Nuova musica alla radio : esperienze allo Studio di fonologia della RAI di Milano 1954-1959. RAI ERI, Roma, 2000.
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x