Engineering

Extensao interacao sociedade e musica na universidade brasileira 1997

Description
EXTENSÃO/INTERAÇÃO COM A SOCIEDADE BRASILEIRA * INTERNET: Atendimento à distância, um serviço à comunidade * Situação do artista na universidade brasileira * Financiamentos para projetos artísticos no Brasil * EXTENSÃO: Garantir alternativas
Categories
Published
of 8
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  X ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EPÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA EXTENSÃOIINTERAÇÃO COM A SOCIEDADE E MÚSICA NA UNIVERSIDADE BRASILEIRA JoséAugusto Mannis I. EXTENSÃO/INTERAÇÃO COM A SOCIEDADE BRASILEIRA 1.1 - INTERNET: Atendimento à distância, um serviço à comunidade Até 2005 os acessos àinformaçãoe materiais serão oferecidos na Internet.Se os centros de documentação,bibliotecas e arquivos não o fizerem,as companhias na Internet o farão. 1 O público se desloca cada vez menos e cresce de forma acelerada a demandade consultas por Internet. As atividades de extensão precisam ocupar o espaço da Web para que as universidades possam veicular de forma eficaz sua produção artística,científica e tecnológica.A questão dos direitos autorais para acervos disponibilizados está em debateatualmente.O "Congressomundialsobre sobre a aplicação da recomendação relativa à condição do artista" realizado pela UNESCOde 23 a 27 de junho de1997teve umacomissão especial para"A proteção dos direitossobre a propriedadeintelectual na eradigital".Não somente os autores ecompositoresestão lutando' pelos seus direitos,como também os artistasintérpretes (músicos,atores,etc.)Uma interpretaçãofixadasobre suporte é considerada propriedadeintelectual dointérpreteque deve receber seus direitos referentes às reproduçõesmecânicase digitais.Por outro lado, face à tendênciaconstatada de digitalização dasinformações e da documentação,a nova política dedireitos autorais não deve afetaroequilíbrio das bibliotecas que possuem orçamentos baseados na aquisição de documentos.Se os direitos a serem pagos a cada consultaforem exagerados, elas não consegui rão arcar com as despesas suplementares (casoquem venha a pagar os direitos sejam os provedores na Internete não os consumidores).Nesse caso, uma parte das bibliotecas e centros desaparecerá por falta de recursos e aoutra, que não se modernizou,será substituidapelosservidores comerciais. Num país com dimensões cont in entaiscomoo Brasil,aInternetéuma ferramenta fundamental para poder atenderde formaeficaz àsnecessidadesda comunidade e servir como meio prioritário para uma verdadeira integração nacional. 1 Projeto HARMONICA -Concerted Action on MusicInformation in Libraries.Relatóriodas necessidades dos usuários apresentado no Congresso Anual da IAMIC-The Association of Music Information Centres, Bergen/Amsterdã,junhode1997. 99  X ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISAEPÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA de música e técnicas elementares de prática,bem como repertórios de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas,sem discriminação 1. 11./1 - Situação do artista na universidade brasileira No Brasil estamos entre o sistema norte-americano eoeuropeu no que dizrespeito a situação do artista na universidade.As universidades dos EUA desenvolvemtantoo ensino,a pesquisa e a produção em música de forma científica(musicologia,etnomusicologia,pedagog ia, etc.) quantoartística(composição, interpretação,etc.).Existem carreiras específicas para o pesquisador artista e para o pesquisador científico. Há oMestradoe o Doutoradoem Artes,e o Mestrado e Doutorado Científico(PhD).O artista estátotalmente integradoà comunidade universitária,da mesma forma como o pesquisadorcientíficoem artes. Na Europa, o ensino,a pesquisa e a produção científica em músi ca são feitosnas Un iversidades(musicologia,pedagogia,etc .) enquanto que o ensino artístico(formandocompositores e intérpretes em nível avançado) ocorre nas escolas,academias e conservatórios de nível superior. No Brasil os artistas estão sendointegrados àsuniversidadescomo nos EUA, edevem manter uma produção científica como na Europa. Comissoos compositores eintérpretestendem a se tornaremmusicólogos, ou pelo menos a agirem como.Aprodução artística deve ser calçadapor umaelaboração de cunho científico.Algumas tentativas nesse sentido foram feitas,masainda são muitoincipientes,como por exemplo a Carreira do Artista na UNICAMP,quereconheceo professor artista mas tira dele alguns privilégios que os professores"plenos"possuem.A universidadejádistingue a pesquisa científica da tecnológica(pesquisafundamental e aplicada) onde coabitam teoria eprática.A produção artísticanãopoderia ser como uma espécie de"tecnologiaaplicada", ou algo assim,das ciências humanas? 11. 111 - Financiamentos para projetos artísticos no Brasil Grande parte dos projetos artísticos tem sido realizados através dasuniversidades e com financiamentos de agências de fomento à pesquisa científica etecnológica.Paraissoa produção artística precisa se encaixar em modelos elinhasde financiamento preexistentes.(Não se recebe uma encomenda,masuma bolsa de pesquisa;Parainstalar um estúdio de gravação projeta-se um laboratóriode pesquisa musical;etc.) De qualquer forma, felizmentequeesses recursos existem e podem sertambém utilizados para a produção artística,pois estão salvando nossa cultura e cobrindo alacunaresultante da omissão de organismos públicos que deveriam estar fazendo essetrabalho.Os financiamentos através das agências de fomento são aprovados porassessores ad hoc rotativos(portantoque supostamente conhecemoque analisam),o que permite uma democratização dosrecursospara a área artística,oquemuitasvezes 1 Declaração final"Congressomundial sobre arecomendação relativa à condição doartista",UNESCO,Paris, junhode 1997. 101  X ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM ASSOCIAÇÃONACIONALDE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA 1./1-EXTENSÃO: Garantir alternativas culturaispara a sociedadecercada por meios de comunicação comerciais. Somente as universidades poderão garantir no Brasil uma diversidade cultural na Web, em reação à poluição deinformaçãobanalizada e/ou improcedente. As culturas de tradição oral estão ameaçadas em todo o mundo porque aindaestão excluídas dos novos meios.É preciso preservarinalteradase acessíveis essas tradições,fontes essenciais deinspiraçãopara o ser humano. 1./11 - O CDMC NA INTERNET Desde 1996 o CDMC mantém uma Home Page onde disponibiliza o Guia daMúsica Contemporânea Brasileira-MUSICON-além de um link com a Home PageIAMIC, através do American Music Center, que possibilita conexão com centros deinformaçãomusical de diversos países.Neste ano estamos atualizando nossas bases de dados,o que terá como produtos a segunda ediçãoimpressado MUSICON e uma nova HomePage. 11. MÚSICA NA UNIVERSIDADE BRASILEIRA 11./ - Formação de professores de música nas universidades Os problemas na formação dos professores deeducaçãomusical nasuniversidadesbrasileiras foi bem exposto pela Profl. Dr. a Maura Penna em suacomunicação"Para além das fronteiras do conservatório:o ensino da música diante dos impassesda educação brasileira" no 4°Simpósio Paranaense de Educação Musical(Londrina, 1995). Principaispontos abordados:• Os futuros professores entram na universidade despreparados artisticamente, semdomínio dalinguagem musical.• A duração docursosuperiornãoé suficiente para formarumartista nessas condições.• Disseminaram-se práticaslúdicasde"ensino"baseadasnoespontaneismo expressivo,havendo entãoumesvaziamento dos conteúdos da linguagem. É necessário então reestruturar os cursos deformaçãodos professores (e oprocesso seletivo de ingresso na universidade),detalforma que ao se formarem tenham domínio dalinguagemartística etambémdas metodologias pedagógicas. Uma educação musical corretanasescolas é fundamental para o preparo dosfuturosmúsicos e para aformaçãode uma capacidade de apreciação musical para todos os membros da comunidade, oferecendo-lhes a possibilidade de conhecer fundamentos 100  X ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM AssOCIAÇÃO NACIONAL DE PEsQUISA EPÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA pode não ocorrer em organismos da administraçao pública,onde as ações "culturais" acabam se dirigindo para o fortaleci me nto deumaimagem politica junto a um potencial eleitorado.A cultura é de todos e não da administração pública.Portanto ela deve ser administrada de forma suprapartidá ri a eissoquem tem conseguido são as agências de fomento à pesquisa.Tentativas como a Le iRouanete outros incentivos ao investimento na cultura são válidas mas são casosisoladose necessitam serem aperfeiçoadas e desburocratizadas para que todos tenham acesso.Mas,lembrando o que foi colocadono primeiro parágrafo deste item,é indispensável que se reconheça a produçao/c ri açãoartís ti ca com suas especificidades. 11. IV - Condição do artista na universidade É necessário discutir o papel dos artistasnasuniversidades,definir sua participação e estabelecer conceitos adequados para a produção artística. 'Se tomarmos um exemplo na medicina,no campo da cirurgia,enquanto o pesquisador procura renovar os conhecimentos e passá-los ao cirurgião prático,quei rá implementá-los, na música quem renova a linguagem é o próp ri o compositor,observado, ana li sado e comentado pelo musicólogo.Se os musicólogosrenovam constantemente o olhar sobre as obras,os autores e as épocas,os caminhos para a nova música são dados pelos compositores.Estes enunciam as novas propostas e as divulgam tendocomo suporte a própria composição. Um exemplo é a·Sagração da Primavera"de Stravinsky,uma das.obras que mais influenciou os compositoresneste século e suscitou grande número de estudos,textos e publicações.Porém a força das propostas está na própria obra.Todos os textos não teriam o impacto quetiveram sem que a·Sagração" tivesse tocado intensamente a todos,ou seja,sem que asinovações tivessem sido enunciadas na própria obra.No ato da criação há um misté ri o.Háum outro tipo de conhecimento e de pensamento que não se pode descreverracionalmente.Isso não pode ser rechaçado ou não ser reconhecido com respeito e dignidade na universidade.Me parece um retrocesso não reconhecer a criação em si (einc lu o a dointérprete) comouma produção suficiente na universidade e nas agências de fomento,enquanto que as ciências exatas parecem estar procurando uma manei ra de compreeder/controlar adescontinuidade dos fenômenos e do pensamento humano,suscitada pela ciência no estágio atual. Eisso é justamente com isso que os a rti stas convivem diariamente. É assim que nos expressamos,pensamos,vivemos. No último Encontro da ANPPOM,no Rio deJaneiro,em1996,ainda não havia consenso para reconhecer que uminstrumentista quando in terpreta uma obra geraconhecimento.Estaria apenas veiculando uma obra,portanto nada mais que difundindo conhecimento?Essa linha de pensamento é a mesma que resiste ao reconhecimento dapropriedade intelectual dos instrumentistas sobre su as interpretaçOes (gravações) e dainstituição do recolhimento dos devidos direitos dereprodução 1. É preci so trabalhar para 1 Muitos países ainda não temlegislação para os direitos sobre a propriedade intelectualdos artistasintérpretes (músicos,atores, etc .) -·Congresso mundialsobre a aplicação darecomendação relativa à condição do artista·,UNESCO,Paris,junho de 1997. 102  X ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM AsSOCIAÇÃO NACIONAL DEPESQ UI SAE PÓS-GRAD UAÇÃO EM MÚSICA conscientizar a comunidade un iversitária das especificidades do artista dando a ele umpapel adequado e derespeito.Arazãodeve dar mais espaço para a intuição e a sensibilidade.JoséAugusto Mannis JosÉ AUGUSTO MANNIS,Compositor.Mestre pela Universidade de Paris VIII. Professor do Departamento de Música do Instituto de Artes da UNICAMP. 103
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x