Documents

Mecanismos Renais para o Controle dos Volumes do Sangue e do Líquido Extracelular

Description
Mecanismos Renais para o Controle dos Volumes do Sangue e do Líquido Extracelular A natriurese e a importância na regulação do volume corporal Diurese por pressão se refere ao efeito de aumento do debito urinário pela elevação da pressão sanguínea. Natriurese por pressão se aplica ao aumento de excreção de sódio que ocorre pela elevação da pressão sanguínea. Elas acontecem juntas. São controles de feedback rim-líquidos corporais que atuam de modo a evitar o acumulo continuo de água e sal no cor
Categories
Published
of 7
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Mecanismos Renais para o Controle dos Volumes do Sangue edo Líquido Extracelular A natriurese e a importância na regulação do volume corporal   Diurese por pressão se refere ao efeito de aumento do debito urináriopela elevação da pressão sanguínea.Natriurese por pressão se aplica ao aumento de excreção de sódio queocorre pela elevação da pressão sanguínea.Elas acontecem juntas. São controles de feedback rim-líquidos corporaisque atuam de modo a evitar o acumulo continuo de água e sal no corpo.Se a ingestão de liquido for maior que o debito urinário, esse líquido seacumulará e aumentará o volume sanguíneo e do liquido extra celular. Porem,esse aumento é insignificante, pois rapidamente os mecanismos de feedback(natriurese e diurese) entram em ação.O aumento do volume sanguíneo por consequência aumenta a pressãoarterial, aumentando a taxa de filtração glomerular e, consequentemente, odebito urinário, por meio da diurese por pressão. A excreção aumentada de liquido contrabalança a maior ingestão,impedindo maior acumulo de liquido.O mesmo acontece com a elevação da concentração de sódio nosangue que consequente aumenta a volemia ( estímulos do centro da sedeaumentam a ingestão de liquido), pressão arterial, FG e maior excreção renal.Um ligeiro aumento da pressão arterial aumenta a excreção urinaria por muitas vezes.Quando a ingestão de líquidos cai abaixo do normal, ocorre a sequenciaoposta desses eventos. No caso, diminui-se a volemia e o volume de liquidoextracelular e, consequentemente, diminui-se a pressão arterial. Uma pequenadiminuição da pressão arterial já provoca grande redução do debito urinário,mantendo, dessa forma, o balanço dos líquidos corpóreos.Portanto, apesar das extensas variações da ingestão diária de água eeletrólitos, as modificações do volume sanguíneo são quase imperceptíveis,exceto quando a ingestão for tão baixa a ponto de não ser suficiente paracompensar as perdas de líquidos ocasionadas pela evaporação ou por outrasvias.  Os mesmos mecanismo de controle funcionam quando ocorre perda desangue devido à hemorragia, onde a queda da pressão sanguínea, juntamentecom os fatores nervosos e hormonais, causam retenção de liquido pelos rins.Os líquidos ingeridos, de inicio, vao para o sangue, e em tempo muitocurto, é distribuído entre os espaços intersticiais e o plasma. Sendo assim, háum controle simultâneo dos volumes de sangue e de líquido extracelular.Quando pequenas quantidades de liquido se acumulam no sangue,cerca de 20 a 30% desse excesso permanecem no sangue e o restante édistribuído para os espaços intersticiais. Quando o volume de liquido no espaçointersticial consegue vencer o mecanismo de defesa contra edema, ou seja, osespaços intersticiais ficam complacentes, quase todo liquido em excesso nosangue segue para esses espaços. Sendo assim, sob condições normais, osespaços intersticiais atuam como reservatórios para o extravasamento doliquido em excesso no sangue, atuando como uma válvula de escape para acirculação, protegendo o sistema cardiovascular contra sobrecarga. Fatores nervosos e hormonais responsáveis pelo aumento daeficácia do controle p or “FEEDBACK” do rim  A TFG e a reabsorção tubular (e consequente influência na excreção renal desal e água) se relacionam diretamente a fatores nervosos e hormonais. Taisfatores exercem sua ação em associação com a natriurese pressórica ediurese pressórica, tornando-os mais eficazes no controle do volumesanguíneo e do líquido extracelular, bem como da pressão arterial.Controle da excreção renal através do Sistema Nervoso SimpáticoÉ importante reconhecer a inervação simpática dos rins, uma vez quealterações na sua atividade afetará a excreção de sódio e água e alterará aregulação do volume do líquido extracelular. Um exemplo ocorre nahemorragia. Com a queda do volume sanguíneo, as pressões nos vasossanguíneos pulmonares e de outras regiões do tórax diminui, provocando umaativação reflexa do sistema nervoso simpático. Há, depois disso, uma ativaçãosimpática renal, diminuído a excreção de sódio e água (através de importantesmecanismos como a constrição das arteríolas renais e consequente queda daTFG, a reabsorção tubular elevada de sal e água e a estimulação do sistemarenina-angiotensina-aldosterona que aumenta a reabsorção tubular).O papel da Angiotensina II no controle da excreção renal A Angiotensina II é o elemento mais importante na excreção de sódio. Asimples ingestão de sódio será capaz de modificar a formação de AngiotensinaII, a qual contribui enormemente para manter o equilíbrio de sódio e água nocorpo. A seguir, as análises:  -Aumentando-se o consumo de sódio, diminui-se a secreção de renina econsequentemente menor será a formação de Angiotensina II. Pouca Angiotensina II leva a aumento da reabsorção tubular de sódio e água bemcomo da excreção renal de sódio e água. Dessa forma, um resultado efetivoseria o que diminuísse o aumento do volume do líquido extracelular e oaumento da pressão arterial, que aconteceria com o aumento do consumo desódio.O inverso também acontece:-Diminuindo-se a ingestão de sódio, aumenta-se a formação de Angiotensina II(com o sistema Renina-Angiotensina), que leva à retenção de sódio e água,evitando a queda da pressão arterial.Então, as variações da atividade do sistema renina-angiotensina amplificam anatriurese pressórica, para manter a estabilidade das pressões sanguíneas edos volumes dos líquidos corporais. A importância da Angiotensina II para o aumento da eficácia da NatriuresePressóricaO que se percebe na relação da Angiotensina e natriurese pressórica é quequando o controle da natriuresese pela Angiotensina está completamentefuncional, há necessidade de poucas alterações da pressão sanguínea paraaumentar a excreção de sódio (quando a ingestão de sódio estiver elevada).Um bloqueio na formação da Angiotensina II desloca a natriurese pressóricapara pressões sanguíneas mais baixas. Ao se elevar a ingestão de sódio será necessário um aumento muito grande dapressão arterial para aumentar a excreção e manter o equilíbrio de sódio.Interessante lembrar que aumento ou redução da Angiotensina II não interfereno volume do líquido extracelular ou do sangue. A explicação para esseacontecimento é que o aumento dos níveis de Angiotensina II provoca de inícioa retenção de água pelos rins e um pequeno aumento do volume extracelular.Isso também pode resultar num aumento de pressão arterial, que intensifica odébito renal de sódio e de água e reestabelece o equilíbrio entre a entrada e asaída de sódio sob pressão arterial mais alta.  Aldosterona e controle dos volumes corporais  A aldosterona é um importante mineralocorticoide produzida na zonaglomerulosa da glândula adrenal, é estimulada pela angiotensina II, e temcomo uma das principais funções o aumento da reabsorção tubular de sódio ea secreção de potássio. O efeito da aldosterona é principalmente ativo nascélulas principais dos túbulos renais e, em menor grau, nos túbulos distais eductos coletores. Esse efeito faz com que o sódio seja conservado no liquidoextracelular e o potássio eliminado na urina.O excesso de aldosterona provoca um aumento do volume do líquidoextracelular, no entanto a concentração de plasmática de sódio não sofregrandes efeitos. Isso ocorre devido ao fator osmótico produzido pelo sódiosobre a água, desde modo a quantidade absorvida de sódio é equilibrada pelatambém reabsorção de água nos túbulos renais. Além disso, a sódio no meioextracelular estimulam o centro da sede.Embora a aldosterona promova retenção de sódio e consequentementeaumento do volume extracelular, a liberação excessiva desse hormônioprovoca retenção transitória de sódio e água. O aumento do liquidoextracelular por mais de um dia pela aldosterona, promove um aumento dapressão arterial (natriurese de pressão), e este fator provoca um aumento dafiltração glomerular de sódio e de água (diurese de pressão). Figura X.X Efeito da infusão da aldosteronasobre a pressão arterial, volume de líquidoextracelular e excreçã o de sódio. “Guyton eHall Tratado de fisiologia médica”
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x