Documents

NBR 07008 - Chapas de Aco-carbono Zincadas Pelo Processo Continuo de Imersao a Quente

Description
Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 14/07/2003 JUL 2003 NBR 7008 ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13/28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (21) 3974-2300 Fax: (21) 2240-8249/2220-6436 Endereço eletrônico: www.abnt.org.br Chapas e bobinas de aço revestidas com zinco ou com liga zinco-ferro pelo processo contínuo de imersão a que
Categories
Published
of 7
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Sede:Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13/28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680Rio de Janeiro - RJTel.: PABX (21) 3974-2300Fax: (21) 2240-8249/2220-6436Endereço eletrônico:www.abnt.org.br  ABNT - AssociaçãoBrasileira deNormas Técnicas Copyright © 2003, ABNT–Associação Brasileirade Normas TécnicasPrinted in Brazil/Impresso no BrasilTodos os direitos reservados JUL 2003 NBR 7008Chapas e bobinas de aço revestidascom zinco ou com liga zinco-ferropelo processo contínuo de imersão aquente - Especificação Origem: Projeto NBR 7008:2002 ABNT/CB-28 - Comitê Brasileiro de SiderurgiaCE-28:000.03 - Comissão de Estudo de Produtos PlanosNBR 7008 - Zinc-coated carbon steel plates by hot-dip continuous process -SpecificationDescriptors: Zinc. Carbon steel platesEsta Norma substitui a NBR 7008:1994Válida a partir de 01.09.2003Palavras-chave:Zinco. Chapa de aço-carbono7 páginas Sumário1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Classificação 5 Requisitos 6 Ordens de compra 7 Marcação, identificação e embalagem 8 Inspeção e recebimento Prefácio  A ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujoconteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalização Setorial(ABNT/ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delasfazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos ABNT/CB e ABNT/ONS, circulam para Consulta Pública entreos associados da ABNT e demais interessados. 1 Objetivo 1.1 Esta Norma estabelece os requisitos para os produtos planos de aço, zincados pelo processo contínuo de imersão aquente, com espessuras iguais ou inferiores a 3,00 mm, na forma de chapas e bobinas. Considera-se como espessura nasordens de compra a espessura final do produto após revestimento . 1.2 Sendo estabelecidos requisitos específicos nas ordens de compra para as condições de superfície, aderência dorevestimento e propriedades mecânicas, esta Norma também pode ser aplicada para produtos com espessuras superioresa 3,00 mm . 1.3 São designados diversos tipos e graus de aço, com composições químicas e propriedades mecânicas mostradas nastabelas 1 e 3, aplicáveis de acordo com os diferentes requisitos de uso final. Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 14/07/2003  NBR 7008:20032 2 Referências normativas  As normas relacionadas a seguir contêm disposições que, ao serem citadas neste texto, constituem prescrições para estaNorma. As edições indicadas estavam em vigor no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita a revisão,recomenda-se àqueles que realizam acordos com base nesta que verifiquem a conveniência de se usarem as ediçõesmais recentes das normas citadas a seguir. A ABNT possui a informação das normas em vigor em um dado momento.NBR 7013:2003 - Chapas e bobinas de aço revestidas pelo processo contínuo de imersão a quente - Requisitos geraisNBR ISO 4287:2002 - Especificações geométricas do produto (GPS) - Rugosidade: Método do perfil - Termos,definições e parâmetros da rugosidadeNM 73:1996 - Embalagem para produtos planos laminadosNM COPANT 1588:1996 - Produtos siderúrgicos - Definições e classificação 3 Definições Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as definições da NM COPANT 1588 e as seguintes: 3.1 zincagem por processo contínuo de imersão a quente:  Aplicação de uma camada de zinco na superfície de tirasde aço laminadas a frio ou a quente, por processo contínuo de imersão num banho de zinco fundido com teor mínimo de99% de zinco. 3.2 massa de revestimento: Quantidade total de zinco ou de liga zinco-ferro depositada em ambas as faces da tira,expressa em gramas por metro quadrado. 3.3 revestimento diferencial: Revestimento caracterizado por apresentar uma designação de revestimento numa face euma designação sensivelmente menor na outra face. Diferenças de aspecto superficial podem ser verificadas entre faces,devido ao processo de fabricação. Os valores mínimos por face correspondem à metade dos valores estabelecidos paracada designação de revestimento. 3.4 análise química da corrida:  Análise que se realiza no aço líquido durante o processo de fabricação, com o objetivode determinar se sua composição química está dentro dos limites estabelecidos na norma do produto. 3.5 análise química confirmatória:    Análise que se realiza no aço no estado de fornecimento, com o objetivo de verificar se sua composição química está dentro dos limites estabelecidos na norma do produto e informados nos certificados deanálise. 4 Classificação4.1 Graus de aço Os produtos são classificados em diversos graus de aço, descritos em 4.1.1 a 4.1.5 . 4.1.1 Qualidade comercial (ZC). 4.1.2 Qualidade de perfilagem (ZP). 4.1.3 Qualidade estampagem média (ZE). 4.1.4 Qualidade estampagem profunda (ZEE). 4.1.5 Qualidade estrutural (ZAR ). 4.2 Tipos de revestimento4.2.1 Revestimento zinco puro (Z) 4.2.1.1 Cristais normais (N) Obtido como resultado do crescimento livre dos cristais de zinco, durante a solidificação normal. Podem ocorrer diferentestamanhos de cristal, falta de cristalização ou diferenças de brilho, dependendo das condições de processo. Tais condiçõesnão afetam a qualidade final do revestimento. 4.2.1.2 Cristais minimizados (M) Obtido como resultado da limitação de crescimento dos cristais de zinco por meios apropriados. 4.2.2 Liga zinco-ferro (ZF) Obtido por difusão do ferro através do revestimento de zinco, através de tratamento térmico após imersão da tira em zincofundido. O revestimento apresenta aparência cinza-fosco e é aplicável geralmente para revestimentos não superioresa 180 g/m 2 . Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 14/07/2003  NBR 7008:20033 4.3 Qualidade superficial4.3.1 Superfície 1 Obtida pela passagem da tira em laminador de encruamento e isenta de defeitos que possam afetar o aspecto superficialde peças expostas com elevados requisitos de aparência superficial após pintura, podendo a outra face do materialapresentar características da superfície 2. Este acabamento minimiza temporariamente, durante a fabricação ou nas peçasacabadas, o aparecimento das linhas de distensão ou quebras de superfície. Não havendo outros requisitos específicosnas ordens de compra, a rugosidade superficial pode variar entre 0,6 µ m a 1,5 µ m (Ra), conforme NBR ISO 4287. 4.3.2 Superfície 2 Obtida pela passagem da tira em laminador de encruamento, quando a superfície 3 não satisfaz os requisitos de aparênciasuperficial. Este acabamento é indicado quando se deseja minimizar temporariamente, durante a fabricação ou nas peçasacabadas, o aparecimento das linhas de distensão ou quebras de superfície. São toleráveis arranhões, marcas e outrosdefeitos leves causados pelos processos de revestimento, laminação de encruamento e/ou estiramento, desde que nãocausem depressões no material. Não havendo outros requisitos específicos nas ordens de compra, a rugosidadesuperficial pode variar entre 0,6 µ m a 1,5 µ m (Ra), conforme NBR ISO 4287. 4.3.3 Superfície 3 Pode apresentar imperfeições como quebras superficiais decorrentes de desempeno e estiramento, pequenos pontos,depressões ou relevos causados no processo de revestimento e leves manchas causadas pelo tratamento químico. 4.4 Proteção superficial4.4.1 Geral  As chapas e bobinas de aço zincadas e com liga zinco-ferro produzidas pelo processo contínuo de imersão a quenterecebem uma proteção superficial, conforme 4.4.2 a 4.4.4. Esta proteção é limitada e depende das condições atmosféricase das condições de transporte, armazenamento e manuseio. Os materiais devem ser imediatamente utilizados apósrecebimento. 4.4.2 Tratamento químico (TQ) O tratamento químico é um processo inibidor aplicado ao produto para retardar, durante seu transporte e armazenamento,a formação de oxidação, notadamente a oxidação branca. Podem ocorrer descolorações resultantes deste tratamento, quenão afetam a qualidade e a resistência à corrosão do produto. 4.4.3 Oleamento (OL) Este tratamento também reduz o risco de oxidação superficial. A película de óleo deve ser facilmente removível comsoluções alcalinas. 4.4.4 Tratamento químico (TQ) e oleamento (OL) Sendo estabelecido nas ordens de compra, pode ser aplicada tal proteção (TQ + OL) para aumentar a proteção superficial. 4.4.5 Sem proteção superficial Materiais sem tratamento químico (s/TQ) e sem oleamento (s/OL) somente são fornecidos quando expressamentesolicitados pelo comprador, que assume as responsabilidades decorrentes da falta de proteção superficial. 5 Requisitos5.1 Fabricação Os processos de fabricação do aço e do produto ficam a critério do fabricante. 5.2 Composição química5.2.1 Metal-base Os limites de composição química de análise da corrida são indicados na tabela 1. Os métodos de ensaio sãoestabelecidos na NBR 7013. Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 14/07/2003  NBR 7008:20034 Tabela 1 - Composição química do aço Grau de açoCMáx.(%)MnMáx.(%)PMáx.(%)SMáx.(%) AlMín.(%)ZC, ZP0,150,600,040,04- 1) ZE0,100,450,030,03- 1) ZEE grau 10,080,450,030,030,01 2) ZEE grau 20,080,450,030,020,01 2) ZEE graus 3 e 40,010,300,020,020,01 2) ZAR 2300,20- 1) 0,040,04- 1) ZAR 2500,20- 1) 0,100,04- 1) ZAR 2800,20- 1) 0,100,04- 1) ZAR 3200,20- 1) 0,100,04- 1) ZAR 3450,20- 1) 0,200,04- 1) ZAR 4000,20- 1) 0,200,04- 1) ZAR 5500,20- 1) 0,040,04- 1)   1) O hífen indica que não há valor especificado. Entretanto, os valores encontrados devem constar no certificado deanálise. Outros elementos químicos podem ser adicionados isoladamente ou combinados. 2) Elementos químicos como P, Nb, Ti e V podem ser adicionados isoladamente ou combinados. 5.2.2 Nos casos em que se efetue a análise química confirmatória dos produtos, as variações admitidas em relação àanálise química da corrida são indicadas na tabela 2. Tabela 2 - Variação admissível para a análise química de produto ElementoVariação máxima admissível em relação à análisequímica da corrida%C 1) 0,03Mn0,05P0,005S0,005 1)  Para teores de carbono inferiores a 0,02%, a variação máxima admitida é de 0,005%. 5.3 Propriedades mecânicas5.3.1 Os limites de propriedades mecânicas são indicados na tabela 3. Os ensaios são realizados conforme descrito naNBR 7013. 5.3.2  Através de acordo entre comprador e vendedor, podem ser estabelecidos requisitos especiais de propriedadesmecânicas nas ordens de compra . Licença de uso exclusivo para CIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO Cópia impressa pelo sistema CENWEB em 14/07/2003
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x