Documents

Relatório de Estágio Nas Séries Iniciais Do Ensino Fundamental _ Rouberval Barboza

Description
estagio relatorio
Categories
Published
of 24
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  22/11/2017Relatório de Estágio nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental | Rouberval Barbozahttps://roubervalbarboza.wordpress.com/2012/12/03/relatorio-de-estagio-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental/1/24 Rouberval Barboza Espaço interativo… Relatório de Estágio nas Séries Iniciais doEnsino Fundamental 3 de dezembro de 2012 Rouberval Barboza UncategorizedPEDAGOGIA, Relatóriode Estágio, SÉRIES INICIAIS (hps://roubervalbarboza.files.wordpress.com/2012/12/nenem.gif)1 INTRODUÇÃOA intervenção foi feita no período vespertino, durante uma semana, dias 10 a 14 de agosto de 2009.Conforme combinado com a professora regente, que me passou os conteúdos com os quais estavatrabalhando; Português e Matemática. Durante esse período, houve também a interação com professores(as) de outras áreas do conhecimento. A saber: Educação Física, Artes e Produções Interativas. Além disso,no dia 11 de Agosto, terça-feira, em comemoração ao dia do estudante, foi realizada uma programaçãodiferenciada: apresentação- em sala devidamente preparada com DVD, caixas de som- DATA-SHOW – defilmes para as crianças pequenas, e, com direito a pipocas.Ao chegar à sala de aula, as crianças já estavam me esperando. Pois, a professora havia lhes avisado comantecedência, de minha presença e permanência nas aulas durante àquela semana. Confesso que aprimeira vez frente à turma- fiquei um pouco sem saber por onde começar (nervoso). Mas, logo superadopela vontade de passar algum conhecimento às crianças, que a essa altura, prestavam atenção em todos osmeus movimentos. Ou seja, a minha postura, (comportamento), estava sendo cuidadosamente analisadopelas crianças.A prática em sala de aula nos leva a refletir como será nosso dia-a-dia sendo professor. Enquanto estamosestudando apenas as teorias, não temos idéia do que é estar frente a uma classe com 30 ou 40 alunos. Ondecada uma dessas crianças tem sua peculiaridade. Ou, cada indivíduo aprende de um jeito, e o professordeve estar preparado e atento, sempre refletindo sobre sua prática educativa.A experiência vivida através da prática em sala de aula me mostrou claramente o que significa serprofessor. Saber como explicar determinado conteúdo ao aluno. Que um texto, como a história dos “TrêsPorquinhos”, por exemplo: pode ser usado como eixo temático para trabalhar, além da leitura- Geografia,Ciências Naturais (meio ambiente).      22/11/2017Relatório de Estágio nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental | Rouberval Barbozahttps://roubervalbarboza.wordpress.com/2012/12/03/relatorio-de-estagio-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental/2/24 Depois de eu ter trabalhado o texto na aula de Português, a professora usou o mesmo na aula deGeografia: onde os porquinhos moravam? De (que lugar) onde o porquinho preguiçoso tirou a palha parafazer a sua casa? E a madeira? E o barro para fazer os tijolos? Conforme Freire, apud Weiduschat (2007, p.51) “O ensinante que assim atua tem, no seu ensinar, um momento rico de seu aprender. O ensinanteaprende primeiro a ensinar, mas aprende ao ensinar, algo que é reaprendido por estar sendo ensinado”.Portanto, é no estágio prático em sala de aula, que o futuro professor tem a oportunidade de se aperfeiçoar,para exercer com êxito sua futura profissão. Segundo (SILVA, 2007, p.35) “A primeira concepção que devenortear o papel do professor é: ‘aprender e ensinar’ e ‘ensinar e aprender’. Ambas constituem um processodinâmico, onde um não existe sem o outro. Ensinar pressupõe um aprendizado”2 RELATÓRIO DA OBSERVAÇÃOA Escola está localizada em uma região com pessoas da classe social menos favorecida financeiramente. Ocolégio conta com 12 salas de aula, com 56 m² cada; consultório médico/odontológico; sala de tecnologia-computadores com internet; cantina; cozinha, onde é feito a merenda dos alunos. O que deixa a desejar é airrisória quantia de R$-0,22 centavos, que a escola recebe para a alimentação diária de cada estudante.Com 2.800 m² de área coberta, ainda comporta uma sala de cinema- com televisor, DVD, retroprojetor. Hátambém uma biblioteca com amplo acervo bibliográfico, onde os alunos fazem suas pesquisas e, quandonecessário, tomam livros emprestados para lerem em casa.E, naturalmente, no setor administrativo ficam as salas do diretor; coordenação; secretaria; sala dosprofessores; amplo saguão, onde os alunos ficam em fila, e os (as) professores (as) os conduzem através dedois lances de escadarias, até o piso superior, local das salas de aulas. Para alunos cadeirantes há umelevador. Construída em um terreno de 10.000 m², onde há uma quadra de esportes coberta; campo defutebol de areia, e espaço para uma bela horta.A escola tem um diretor titular, e um adjunto; Que são escolhidos a cada dois anos através de eleição:quando professores, alunos e pais de alunos, votam nos candidatos. Os candidatos, geralmente sãoprofessores da própria escola. Mas, pode ser professor de outra escola desde que, concursado no estado.Além disso, os candidatos a diretores de escola fazem uma prova na Secretaria de Educação, na Capital doEstado, para comprovar os conhecimentos administrativos. Se não atingir a média, na prova, não pode sercandidato.Na coordenação: são quatro coordenadores pedagógicos- graduados em Pedagogia; um coordenador deLíngua Portuguesa- graduado em Letras; e um coordenador de Matemática, 1º ao 5º ano- graduado emMatemática. E, 60 professores, cada um com formação em sua respectiva área.A professora é a regente na classe na qual eu fiz o estágio. A mestra, já atuou nas várias fases da EducaçãoInfantil, e séries iniciais do Ensino Fundamental em seus 17 anos de docência. Tem sua formação nomagistério, graduada em Geografia, e especialização em Docência do Ensino Superior. Aplica muitacriatividade em suas aulas na turma do 3º ano A, vespertino. Sua ênfase é nas leituras interpretativas dostextos. O aluno deve ler e entender o que leu. Em outras palavras, os pequenos lêem os textos, e depoisescrevem no caderno, com suas palavras, do que tratava a leitura. “Meu sonho é ter uma sala de aulainformatizada”.O planejamento da Escola , é feito com base no referencial curricular do Estado e no Projeto PolíticoPedagógico- PPP, da instituição. É realizado um planejamento anual, dividido em meses e o professor fazsua adequação diária, conforme vai aplicando os conteúdos.O colégio tem 1300 alunos matriculados nos três períodos. Matutino- 6º ao 9º ano, e Ensino Médio;Vespertino- 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental; Noturno- 3ª e 4ª fase da Educação de Jovens e Adultos,fundamental e; 1ª e 2ª fase da EJA Ensino Médio.  22/11/2017Relatório de Estágio nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental | Rouberval Barbozahttps://roubervalbarboza.wordpress.com/2012/12/03/relatorio-de-estagio-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental/3/24 A classe na qual eu estagiei, tem 30 alunos, na faixa etária de oito anos. São de famílias humildes, com umamédia de cinco integrantes. E, geralmente pai e mãe trabalham fora, para prover o sustento do lar. Quantoao nível de escolaridade dos pais, a maioria não concluiu o ensino fundamentalA escola não tem problemas quanto a espaço. Existe uma central de matrículas na cidade, onde é feito amatrícula de todos os alunos. As crianças que já estudam em determinada escola, tem sua vaga garantida.Porém, os novatos são encaminhados- quando não há vagas na escola preferida- à Instituição de Ensinomais próxima de sua casa. Desta forma, evita-se a superlotação nas escolas.Quanto à rotina: às 13 horas inicia-se a aula. A professora convida os alunos para fazer uma oração… Nãoé necessário fazer a chamada, pois, a mestre, só de olhar para a sala, já sabe se está ou não faltandoalguém, e quem.Em seguida, a professora apresenta alguns textos para as crianças. Estamos numa aula de LínguaPortuguesa, e o gênero textual em estudo é “fábulas”. Os alunos lêem as histórias em silêncio. Terminada aleitura, a professora pede para que eles escrevam em seus cadernos- com suas palavras- o que entenderamdo material lido.Ao fazer a correção das escritas dos alunos, a Educadora tem a oportunidade de avaliar se o educandocompreendeu a leitura, se o texto escrito é coeso e coerente, e também a caligrafia dos estudantes. Soa osinal, é hora do recreio.Quando retornam à sala, a professora de Artes leva os pequenos para uma aula na sala de tecnologia. Éuma festa, as crianças adoram mexer nos computadores. São vários joguinhos pedagógicos, e a meninadapode escolher o de sua preferência.Na sequência, a professora regente retoma suas atividades, é aula de geografia até as 17h15min, quandoenfim os infantes retornam aos seus lares, depois de uma tarde rica em aprendizagem. 3 RELATÓRIO DA INTERVENÇÃOO estágio nos da à oportunidade de testar na prática, o aprendizado teórico que temos ao longo do curso. Éhora de por em teste, os conhecimentos pedagógicos adquiridos e refletir sobre o que e como devemosmelhorar. Portanto, nosso objetivo é o constante processo de aperfeiçoamento até chegar a um patamaraceitável onde possamos dizer que estamos prontos a assumir uma sala de aula.Segundo Freire, apud Weiduschat (2007, p. 50-51).Quero dizer que ensinar e aprender se vão dando de tal maneira que quem ensina aprende […] O fato,porém, de que ensinar ensina o ensinante a ensinar certo conteúdo não deve significar, de modo algum,que o ensinante se aventure a ensinar sem competência para fazê-lo. […] A responsabilidade ética, políticae profissional do ensinante lhe coloca o dever de se preparar, de se capacitar, de se formar antes mesmo deiniciar sua atividade docente.Para Vygotsky, a aprendizagem se da através da interação com outros indivíduos. A Psicologia daEducação e Aprendizagem reforça essa tese. “Não é possível aprender e apreender sobre o mundo, sobre ascoisas, se não tivermos o outro, ou seja, é necessário que alguém atribua significado sobre as coisas, paraque possamos pensar o mundo à nossa volta”. (SILVA, 2007, p.12)A principal tarefa do professor, portanto, é interferir no que Vygotsky chamou de zona dedesenvolvimento proximal. Segundo (SILVA, 2007, p.13) “A Zona de Desenvolvimento Proximal é adistância entre aquilo que o ser humano consegue fazer sozinho e o que ele consegue desenvolver com a  22/11/2017Relatório de Estágio nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental | Rouberval Barbozahttps://roubervalbarboza.wordpress.com/2012/12/03/relatorio-de-estagio-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental/4/24 mediação do outro”. É a partir dos saberes que o indivíduo já possui que o professor deve começar a educá-lo formalmente. Ou seja, intervir na zona de desenvolvimento proximal.Quando a professora pede para seus alunos lerem o texto, e depois reescreverem com suas palavras, elaestá fazendo as crianças pensarem. Pois, terão que fazer uma análise crítica do texto, mentalmente, e emseguida fazer uma síntese do que entenderam. “No resumir, busca-se referenciar as idéias relevantes […]os estudantes exercitam o pensar, porque necessitam estabelecer critérios discriminativos, capazes devislumbrar o que de fato é relevante e pertinente ao assunto”. (TOMELIN e SIEGEL. 2007, p. 166).Partindo do pressuposto que as pessoas aprendem através da interação com o meio em que vivem, paraaprender a falar basta que o indivíduo viva em um ambiente onde haja outros falantes. Da mesma formase aprende ler e escrever, em um ambiente letrado, onde os alunos e professores tenham o hábito da leiturae da escrita. É através da interação com as letras que o aluno se tornará um leitor proficiente.Infelizmente, há os que acreditam que trabalhar nas aulas de língua portuguesa “apenas” (como se issofosse pouco) leitura e produção textual não possibilitam ao aluno o conhecimento sobre a língua. Muitopelo contrário, é lendo e produzindo os mais diferentes gêneros textuais que o educando vai ampliar seuleque de possibilidades e conhecimentos sobre a língua. (LÜBKE. 2007, p.75) grifo nosso.Em minha prática docente, levei para sala de aula textos para serem lidos e analisados pelos alunos.Primeiramente, eu lia o texto para as crianças e em seguida, as crianças liam sozinhas, ou toda a classe, ouainda em grupos. Em seguida fazia-se uma assembléia para discussão do assunto estudado. Tinha-se entãoa oportunidade de esclarecer as dúvidas e a comentar sobre a história lida.É quando estamos na sala de aula frente à turma, que percebemos o valor do planejamento, o que vamospassar para os alunos. Quais conteúdos farão a diferença no aprendizado das crianças e, ao mesmo tempo,de interesse dos aprendizes.O construtivismo propõe que o aluno aprenda através da interação com o meio. Desta forma, parte-se doconcreto ao abstrato, e, a metodologia de ensino deve privilegiar o interesse da criança. Se o indivíduogosta da maneira como o conteúdo é aplicado e se tem afinidade com o objeto de estudo, maisrapidamente irá compreender. Conforme Sacristán e Pérez Gomes citado por (WEIDUSCHAT. 2007, p.70)“Os planos levam à busca prévia dos materiais mais adequados. Sua seleção se torna um processo explícitode liberação para escolher os mais convenientes”. Podemos afirmar, portanto, que sem planejamento nãohá aprendizagem formal de qualidade. Os conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais, devem seranalisados e re-analisados constantemente pelos professores.Ainda conforme (SILVA. 2007, p.33) “A Psicologia coloca a necessidade de a ação pedagógica compreendero aluno em seu contexto social, cultural e econômico, pois assim, o professor estará conhecendo melhor seuspensamentos, suas formas de se relacionar com o mundo, com as coisas”. Se o professor conhece arealidade do aluno, como ele vive, sua família, certamente terá mais subsídios para fazer seus projetos eplanos de aula.Nas aulas de Matemática, trabalhamos conceitos de multiplicação. Pois, era o conteúdo que a professoraestava passando para a turma. Segundo Macedo (USP) apud revista nova escola (Nº 19, p. 89, JUL, 2008)“A grande contribuição de Piaget, foi estudar o raciocínio lógico-matemático, que é fundamental na escola,mas não pode ser ensinado, dependendo de uma estrutura de conhecimento da criança”.Ainda conforme nos afirma (ANTUNES apud MÜLLER, 2008, p.56-57) “O conhecimento não apresentaum saber que ‘vem de fora’ ou que se capta no meio e que, não pode ser transmitido […] o alunoefetivamente aprende a partir de experiências em sua interação com o ambiente e seus simbolismos e comos outros, em que se produzam ações físicas e mentais […]”
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x