Documents

A Anatomia Da Faca

Description
A Anatomia da Faca Publicado por Mário a 16 Out 2009 Toda a gente sabe o que é um gume ou o que é uma lâmina mas existem sempre dúvidas relativamente aos nomes de outras partes de uma faca ou canivete. Serve este artigo para trazer alguma luz ao assunto mas salvaguardando, antes de mais, duas coisas: em primeiro nem todas as partes poderão estar aqui descritas; em segundo os nomes atribuídos poderão ser outros uma vez que não existe um consenso generalizado ou publicado sobre a anatomia das fac
Categories
Published
of 5
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
   A Anatomia da Faca  Publicado por Mário a 16 Out 2009 Toda a gente sabe o que é um gume ou o que é uma lâmina mas existem sempre dúvidas relativamenteaos nomes de outras partes de uma faca ou canivete. Serve este artigo para trazer alguma luz aoassunto mas salvaguardando, antes de mais, duas coisas: em primeiro nem todas as partes poderãoestar aqui descritas; em segundo os nomes atribuídos poderão ser outros uma vez que não existe umconsenso generalizado ou publicado sobre a anatomia das facas e é natural que o leitor poderáencontrar nomes diferentes (estes, contudo, são perfeitamente válidos).Uma faca é composta por duas secções fundamentais: a lâmina e o punho. Mesmo em facas que nãotêm revestimento no punho (por exemplo a CRKT NECK), não quer dizer que não o tenham pois afunção sobrepõe-se à fisionomia do objecto. Seguem-se dois diagrama que ilustram as partes destesdois grupos, incluindo as suas traduções para inglês:  A Lâmina 1. Ponta (  point  ): Parte fundamental e posterior da lâmina que se destina a perfurar e ondegeralmente convergem as linhas de desbaste do gume. 2. Fio de Corte ou Gume ( edge ): Parte afiada destinada ao corte. Resulta do processo dedesbaste da lâmina num ou em ambos os lados da folha de metal. 3. Plano de Desbaste ou Bisel (  grind  ou bevel  ): Área que vai desde o dorso até ao fio de forma progressiva e que é determinante quanto à resistência da lâmina e ao seu poder de corte. 4. Ricasso ( ricasso ): Área anterior da lâmina (geralmente junto à guarda do punho) que mantéma espessura srcinal e confere uma resistência extra à lâmina assim como funciona desegurança. 5. Espigão ( tang  ): Parte da lâmina que percorre parte ou a totalidade do punho. Serve comounião entre a lâmina e o cabo. 6. Fio Falso (  false edge ): Resulta da convergência de um segundo desbaste e embora pareça, nãocorta. Serve apenas como auxiliar de penetração. 7. Espinha ou Dorso ( back  ou  spine ): Parte mais larga da lâmina e que garante a resistência damesma. Chama-se espinha especialmente quando se encontra no centro de uma lâmina de doisfios (como numa adaga).  8. Mosca (  fuller  ): Reentrância longitudinal na lâmina que tem vários propósitos incluindo o deretirar peso à faca e de facilitar o retirar da faca caso esta penetre na totalidade (evita a geraçãode vácuo).   O Punho 1. Guarda (  guard  ): Protege a mão do utilizador dedeslizar para a lâmina, possibilitando que esteexerça mais força no acto. 2. Cabo (  grip ): Parte fundamental cuja ergonomia proporciona um manuseio confortável e prático dafaca. 3. Furo de Atilho ( lanyard hole ): Destinado a prender um atilho ou corrente que facilite o acessoà faca ou permitindo que esta possa ser  pendurada. 4. Cravo ( nail  ): Taco metálico facultativo que faz aunião entre o punho e o espigão. 5. Pomo ( butt  ou pummel  ): Parte mais anterior dafaca. Pode destinar-se a fixar o espigão ousimplesmente a consistir em mais um factor ergonómico. Alguns pomos têm característicasfuncionais como em facas de combate e podem servir de martelo ou quebra-vidros em facasde sobrevivência. Negra, Fosca ou Polida  Publicado por Mário a 2 Nov 2009  No seguimento de uma sondagem activa aqui no Armabranca.com, trazemos para a frente um dostemas que mais tendência causa nos admiradores de facas e canivetes, onde cada um manifesta a sua preferência por diferentes razões. Falamos do acabamento final da lâmina. Embora não sejam asúnicas opções disponíveis, a generalidade dos fabricantes coloca ao dispor do consumidor artigos delâmina preta, fosco (ou escovado) ou polido. Aqui vamos procurar analisar os pontos fortes e fracos decada um: Acabamento Negro As lâminas pretas não são em vão associadas àutilização militar de facas e canivetes. O processode pintura ou anodizagem do aço com pigmento preto é um procedimento comum em facasdestinadas a uma utilização especial. O negroreduz a capacidade de reflexão da lâmina ao seumínimo, evitando assim que o operador não sejadenunciado pelo flash de uma lâmina polida.Mais no domínio da utilização quotidiada, aslâminas pretas marcam a diferença pelo estilo. Oacabamento negro, especialmente os que contém  na sua composição Nitrato de Titânio, ajudam à protecção do aço contra corrosão, contudo é umalâmina mais difícil de manter imaculada especialmente se for uma peça usada em trabalho.Adicionalmente, enquanto novas, as lâminas tendem a largar pigmento e a sujar mãos e roupa -recomenda-se um desgaste inicial ligeiro para prevenir situações indesejadas. Em determinadoscontextos uma lâmina preta pode intimidar mais do que uma lâmina comum. Acabamento Fosco Com um nível intermédio de anti-reflexo, nãoostentam tanto “peso” quanto as lâminasnegras. São igualmente difíceis de seremmantidas como novas mas se forem bemestimadas são lâminas lindíssimas econtribuem de forma decisiva para o aparatovisual da faca. Menos intimidantes que alâmina preta e, considerada por alguns, uma escolha mais selecta. Este efeito é geralmente conseguidomediante um banho de ácido antes da afiação, o que se traduz num custo acrescido. Acabamento Polido Capaz de reflectir luz com facilidade, umalâmina polida pode ser uma grande vantagem para fins de sinalização em termos desobrevivência. Como não tem tratamentoaplicado, o bom estado da lâmina dura muitomais tempo mesmo depois de afiar o gume -mais fácil na manutenção. Torna a faca mais barata e num canivete comum não se tornanum elemento tão constrangedor paraterceiros como uma lâmina preta - é mais comum logo é mais aceite. Contudo, ao nível de combate,está provado que uma lâmina brilhante tende a intimidar mais o adversário.Mas mesmo vistas as diferenças, existe algo que prevalece sobre todas elas: o gosto pessoal. Siga oque o seu coração pede e ficará, por certo, satisfeito.  As míticas facas do Rambo  Publicado por Mário a 15 Abr 2009 Uma coisa é inegável: para o leigo uma faca de mato de avultadas proporções é uma “facado rambo” - tal como o termo água mineral sem gás é popularmente substituído por “água do luso”.Mas hoje irei falar das verdadeiras facas do Rambo, ou pelo menos, das reproduções exactas às queforam usadas nos quatro filmes da saga protagonizada por Sylvester Stallone.  Rambo I - First Blood Tudo começou aqui e uma faca foi imortalizadanum filme que, discutívelmente, é aclamado comoo melhor da série. O seu desenho teve mão do próprio Stallone durante a preparação dos adereços para o filme. A sua silhueta evidencia uma lâminade perfil estilo Bowie e uma inconfundível serrilhade passo largo no dorso. Não obstante desta serrilhater uma utilidade duvidosa, contribui de formadecisiva para o aspecto final da peça. O seucomprimento é de 355 mm com lâmina de 228 mme 6.5 mm de espessura. O acabamento é feito parte polido e parte esmerilado; o punho é cilíndrico e cordado com fio verde. Vendida com baínha em pelenatural castanha. Rambo II - First Blood: Part II O segundo filme recuperou o formato da faca srcinal mascolocou-a sob efeito de “esteróides”, passo a expressão. Alâmina torna-se mais larga e foram reformulados algunsaspectos de cariz cosmético: o punho é agora cordado anegro, conta com (o que parece) um quebra-vidro no pomoda empunhadura. A parte central da lâmina é pintada agoraa negro anti-reflexo e a baínha apresenta-se fabricada emcouro natural preto. No interior do punho poderemosencontrar alguns acessórios de sobrevivência dentro de umacaixa estanque. Rambo III Se a evolução da primeira para a segunda faca foiligeira, o mesmo não acontece da segunda para aterceira. Até ao momento esta era a faca maior,mais pesada e de desenho mais elaborado. A formada lâmina está lá, a serrilha ainda figura em cenamas parece que quer desaparecer e a desproporçãodo tamanho da lâmina em relação ao resto da faca écompensado pelo exagerado anel de guarda e pelo prolongamento do pomo. O impacto visual destafaca é inegávelmente maior do que as predecessoras e a sua ergonomia é, em teoria, maior - mas coloca-se em causa a versatilidade de umafaca tão grande. De qualquer forma, esta é uma faca para aparecer no grande ecrã e ser icónicamente
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks