Documents

A Atualidade Brutal de Hannah Arendt

Description
A Atualidade Brutal de Hannah Arendt
Categories
Published
of 7
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Outras Palavras convidaBlog da Redação Boca de Rua:outra peça noquebra-cabeças dasmídias livressex, dez 06, 2013OutrosQuinhentosconvida parapeça iranianaem SPsex, dez 06,2013Mandela eFidel, relaçãoespecialsex, dez 06,2013Copa-2014:Brasil terátribunais deexceção?qui, dez 05,2013 Outras Mídias El País,decadência earrogância[…]dom, dez 08,2013 AmbrosioVilhalva: amorte de ummorubixaba[…]sex, dez 06,2013 Acidente no“Itaquerão”: oque a mídiaomite[…]qui, dez 05,2013ShoppingVitória: corposnegros nolugar errado[…]ter, dez 03,2013 Parceria EspecialSéries especiais 3785552800  09/12/13A atualidade brutal de Hannah Arendtoutraspalavras.net/posts/a-atualidade-brutal-de-hannah-arendt/4/7 BioLatest Posts Sobre o mesmo tema: Ladislau Dowbor  Ladislau Dowbor é professor de economia nas pós-graduaçõesem economia e em administração da Pontifícia UniversidadeCatólica de São Paulo (PUC-SP), e consultor de várias agênciasdas Nações Unidas. Seus artigos estão disponíveis online emhttp://dowbor.org TAGS:   ditadura , Estado , guerra mundial , hannah arendt , Israel ,  judeu , nazismo , repressão , totalitarismo , violência15 Comments Adriano Roberto Ferreira Posted setembro 9, 2013 at 12:51 PM Infelizmente nunca veremos a análise de Hannah Arendt para as atrocidadescometidas por Israel pós segunda guerra até os dias atuais para manter seupoder bélico e econômico. JOSÉ CARLOS ABRÃO Posted setembro 9, 2013 at 3:47 PM EM TORNO DO ARTIGO DE LADISLAU DOWBOR As análises do Prof. Ladislau se concentram basicamente em contrapor a visãoteórica de Arendt sobre liberdade às manifestações de ódios particularizados emseres humanos. Em princípio trata-se de uma posição teórica e ideologicamenterespeitável. Mas ela é restrita, pois observando-se mais detidamente ela não vaialém de uma posição ideologicamente idealista de liberdade, resvalando ao neo-liberalismo. O que podemos perguntar é: qual seria a posição dela, se estivesseviva em outubro de 2008, do “mea culpa” do ex-presidente do Banco Central norte-americano , Greenspan, perante o Congresso Norte-americano? Ele, a exemplode S. Agostinho, assumiu (perante o mundo globalizado) um solene “Confiteor”. Se Agostinho estava confessando perante uma divindade cristã, Greenspan emitiuum solene “Confesso que eu errei”, como se estivesse jogando as batatas podrescolhidas, depois de quase quatro décadas, perante a sociedade capitalistarepresentada pelos congressistas ali presentes. Indiretamente ele convidou-os arepensar o capitalismo neoliberal globalizado. Enquanto Arendt esteve vive nadécada de 70, os seus olhares em nenhum momento, s.m.j., voltaram-se para apolítica econômica do então Presidente do Banco Central norte-americano. A partir de 2008, ao invés de milhões jogados às câmeras de gás, são milhões, só nosEstados Unidos, jogados nas ruas. Não precisamos chegar a Marx e Engels, quecontinuam atuais; fiquemos com Nietzsche: “Para além do bem e do mal”… Paciente de Frente Posted setembro 11, 2013 at 9:01 PM  À primeira vista, parece muito nobre todo este sentimento de “humanidade”,contido nas entrelinhas de memórias vívidas. Porém, esta não é a realidade dospacientes, ou “doentes mentais”, como o Sr. utiliza este termo. E o curioso é que 3785552800 14/06/2013 Muito mais quedinheiro 29/10/2013 SP e Rio: quemaposta na violência 01/04/2011 “O que resta daditadura” 06/06/2012 D. Waldyr Calheiros: lutaarmada contraditadura foilegítima
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks