Food

A Importância do Pôster na Divulgação Científica: como fazer um pôster atrativo

Description
1 A Importância do Pôster na Divulgação Científica: como fazer um pôster atrativo RESUMO É por meio da divulgação científica que a ciência avança. O pôster tem sido um dos principais meios de divulgação
Categories
Published
of 6
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
1 A Importância do Pôster na Divulgação Científica: como fazer um pôster atrativo RESUMO É por meio da divulgação científica que a ciência avança. O pôster tem sido um dos principais meios de divulgação do trabalho científico. Aqui discutimos a importância e as técnicas necessárias para construir um pôster atrativo e eficiente. Apresentações de pôsteres possibilitam o compartilhamento de descobertas cientificas, avaliação do trabalho apresentado e ampliação da rede de contatos. Desta forma, construir um pôster atrativo e eficiente pode contribuir para o reconhecimento pelos pares e conquistas acadêmicas. Palavras-chave: apresentação; banner; ciência; comunicação-oral; congresso INTRODUÇÃO Bons pôsteres deveriam comunicar resultados e desenvolver conexões. (WOOLSTON, 2016, p.116, tradução nossa) Com as mudanças nas tendências de comunicação científica em encontros científicos, o pôster se tornou o principal meio de comunicação em muitos eventos (GOSLING, 2012). Em praticamente todo congresso científico são apresentados trabalhos (completos ou parciais) na forma de pôster. É muito comum que dentre os trabalhos expostos, em um determinado evento, uma pequena minoria desperte um interesse genuíno do leitor. É ainda quase certo que a maioria dos pôsteres estará com milhares de palavras e com uma fonte inadequada para visualização (WOOLSTON, 2016). No entanto, apesar do grande volume de informações, provavelmente por problemas estruturais, o leitor encontrará dificuldade em entender os pontos principais da pesquisa. Esses problemas estéticos e de transmissão da informação podem servir como uma barreira entre o apresentador do pôster e o leitor. Os mesmos atrapalham o alcance dos principais objetivos da apresentação de pôsteres (quando o único interesse não é o currículo). No presente trabalho, discutiremos a importância e as técnicas necessárias para elaborar um pôster atrativo e eficiente. 2 A importância do pôster na divulgação científica Atualizar os pares das novas descobertas da área Em muitas revistas pode transcorrer mais de um ano entre a submissão de um artigo científico e a publicação do mesmo. O pôster pode ser um meio de atualizar rapidamente os pares sobre as novas descobertas daquele campo de pesquisa. Avaliação do trabalho A apresentação de uma pesquisa em formato de pôster, em um evento científico, é uma excelente oportunidade para receber críticas e sugestões de pesquisadores da mesma área de pesquisa ou de áreas afins. Essas críticas podem contribuir se a pesquisa já foi finalizada e ainda não está publicada, pois se pode melhorar o texto e tornar o artigo mais completo (SHELLEDY, 2004). Shelledy (2004, p.1214, tradução nossa) argumenta que Em qualquer evento, desenvolver seu resumo e apresentação de pôster é um importante passo em direção a ganhar a aceitação e publicação de sua pesquisa em uma respeitada revista científica de revisão por pares [...]. Se a pesquisa ainda não foi realizada, é uma boa ocasião para discutir os objetivos, métodos e procedimentos a serem executados pelo pesquisador. Para isso, é preciso que mais pessoas se interessem pelo trabalho apresentado, pois mais pessoas o avaliarão e darão contribuições (críticas são bem vindas, nesse momento). Encontrar colaboradores Um evento científico (da sua área) é um bom lugar para melhorar o networking (rede de contatos), em geral, ai se encontra estudiosos do mesmo campo de pesquisa. Esses pesquisadores podem contribuir com o trabalho que está sendo apresentado ou desenvolver ideias para novas pesquisas na área. 3 Prêmios Muitos eventos premiam os melhores pôsteres. Algumas vezes os prêmios são uma considerável quantia em dinheiro, como os US$1660 ganhos por Vasco Elbrecht em 2014 na Alemanha (WOOLSTON, 2016). Além disso, o primeiro lugar em uma apresentação de pôsteres é uma conquista que valoriza o seu currículo seja ele lattes ou vitae. Contudo, para conseguir o prêmio, muitas vezes, é preciso ir além de somente informar os resultados de sua pesquisa, é necessário chamar a atenção das pessoas (positivamente) para o seu trabalho. Para isso, estão disponíveis inúmeros recursos tecnológicos, os quais devem ser usados com lógica e bom senso. Por exemplo, existe um código de barras (QR barcode) que pode ser colocado em seu pôster e direcionar os leitores (que possuírem smartphones com essa função) para um vídeo na temática de sua apresentação. Como fazer um pôster atrativo Redação científica O artigo científico é possivelmente o meio mais conciso e objetivo de se transmitir uma informação escrita. Apesar de possuirmos mais espaço para elaboração estética nos pôsteres, os princípios de concisão e objetividade (assim como a lógica científica) devem ser respeitados. Esses princípios têm que ser observados na seleção do conteúdo e estrutura a ser utilizada no pôster. O leitor não deve ficar perdido entre a introdução, objetivos, metodologia, resultados e conclusão. O pôster deve de alguma forma guiar o leitor pela sua estrutura. Do mesmo modo, palavras simples facilitam o entendimento de qualquer leitor, e estão em concordância com estilo científico atual (YOSHIDA, 2006; VOLPATO, 2015) Pesquisadores tem sempre lido estrategicamente e trabalhado com muitos artigos simultaneamente o que resulta em uma leitura rápida e seletiva, onde conteúdos mais concisos são valorizados (RENEAR; PALMER, 2009). Além da concisão, os recursos visuais devem ser explorados, tanto por questões estéticas como para diminuir a carga de leitura das pessoas. Desta forma, o uso de gráficos, 4 figuras e tabelas pode auxiliar tanto na compreensão do trabalho quanto na atração de leitores para o pôster. Formatação De acordo com Miller (2007) os autores não reconhecem um formato consensual de um pôster, todavia esse pode ser considerado como uma mistura de um artigo e uma apresentação oral. Miller (2007) ainda afirma que cada componente de um pôster deveria se adequar a audiência e formato do evento. Isso implica em escrever um texto para especialistas e não especialistas (se necessário). Durante o processo de construção do pôster, uma das principais dúvidas é o tamanho da fonte a ser usado. Não há consenso, mas muitos autores recomendam que seja utilizada uma fonte que permita a leitura do trabalho a uma distância igual ou superior a um metro do pôster (SHELLEDY, 2004). Sam Hertig um pós doutor em biologia computacional e ilustrador científico, em uma palestra (go.nature.com/2aetlrc) para Stanford University orienta que a forte deveria ser no mínimo 24, para o corpo do texto, estruturada em 2 a 4 colunas. Uma boa dica para verificar a formatação do trabalho é imprimir o pôster em uma folha de papel A4. Se alguma dificuldade for encontrada na leitura, provavelmente será encontrada no tamanho original também. Essa dica se aplica tanto ao corpo do texto quanto as outras partes. O que deve estar equilibrado dentro de uma estrutura estética possibilitada pelos recursos disponíveis no programa utilizado para construção do pôster. Que programa usar? Destacaremos aqui dois programas para a confecção de pôsteres, o adobe indesigner e o mais popular (e mais simples) Power Point. O primeiro programa oferece mais recursos para construção e design do pôster, no entanto é um pouco mais complexo e menos familiar do que o segundo. O Power Point apesar de possuir menos recursos do que o adobe indesigner é um programa do pacote Office muito mais próximo da realidade dos pesquisadores. Além de boa parte dos indivíduos já terem utilizado o Power Point para produção de outros trabalhos (e.g apresentações) ele é bem mais simples e prático do que o adobe indesigner. Tanto 5 o Power Point (e.g watch?v=rv5amffr4xq, watch?v=1c9kd_mufdm) quanto o adobe indesigner (e.g watch?v=eeyh-hoo0h8) possuem vídeos aulas, na internet, sobre como utilizar seus recursos na produção de pôsteres. Apesar do indesigner ser um programa menos conhecido em comparação ao Power Point, sua superioridade em qualidade de imagens, ferramentas e cores deveria estimular mais pessoas a utilizá-lo. Afinal, como argumentou Volpato (2015, p.3) Toda pessoa que almeja estar na linha de frente das novidades precisa de um profundo conhecimento sobre o passado e ousadia para aventar possibilidades futuras. CONSIDERAÇÕES FINAIS O pôster é uma valiosa ferramenta de divulgação científica, e suas apresentações, em eventos acadêmicos, possibilitam rápida disseminação dos resultados da pesquisa. Assim como o desenvolvimento da rede de contatos e a avaliação do trabalho do pesquisador. Um pôster atrativo e eficiente pode ser premiado e contribuir com o renconhecimento do pesquisador pelos pares. Deste modo, vale a pena investir em formatação e redação na organização do pôster. Contudo, o pôster deve ser um complemento de uma boa apresentação a ser realizada para os freqüentadores ou avaliadores de determinado evento científico. Desta forma, é necessário que o apresentador esteja de domínio do conteúdo a ser apresentado e tenha didática para transmitir o mesmo. Afinal, como argumenta MacIntosh-Murray (2007, 347, tradução nossa) Aprender a comunicar bem pesquisa através de pôsteres envolve mais do que questões de formatação como tamanho da fonte. REFERÊNCIAS GOSLING, Peter J. Scientist s guide to poster presentations. Springer Science & Business Media, MACINTOSH-MURRAY, Anu. Poster presentations as a genre in knowledge communication: a case study of forms, norms, and values. Science communication, v. 28, n. 3, p , 2007. 6 MILLER, Jane E. Preparing and presenting effective research posters.health services research, v. 42, n. 1p1, p , RENEAR, Allen H.; PALMER, Carole L. Strategic reading, ontologies, and the future of scientific publishing. Science, v. 325, n. 5942, p , SHELLEDY, David C. How to make an effective poster. Respiratory Care, v. 49, n. 10, p , YOSHIDA, Winston Bonetti. A redação científica. J Vasc Bras, v. 5, n. 4, p , VOLPATO, Gilson Luiz. O método lógico para redação científica. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, v. 9, n. 1, WOOLSTON, Chris. Conference presentations: Lead the poster parade. Nature, v. 536, n. 7614, p , 2016.
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks