Data & Analytics

A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS

Description
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS DISSERTAÇÃO
Published
of 219
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Leonardo Zandoná Santa Maria, RS, Brasil 2010 A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS por Leonardo Zandoná Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado do Programa de Pós- Graduação em Administração, Área de Concentração em Gestão Estratégica, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS) como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Administração Orientador: Prof. Dr. Gilnei Luiz de Moura Santa Maria, RS, Brasil 2010 Z27i Zandoná, Leonardo A influência do green marketing na estratégia competitiva de empresas brasileiras / por Leonardo Zandoná f. ; il. ; 30 cm Orientador: Gilnei Luiz de Moura Dissertação (mestrado) Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Programa de Pós-Graduação em Administração, RS, Administração 2. Marketing 3. Marketing verde 4. Estratégia competitiva 5. Empresas brasileiras I. Moura, Gilnei Luiz de II. Título. CDU Ficha catalográfica elaborada por Cláudia Terezinha Branco Gallotti CRB 10/1109 Biblioteca Central UFSM Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Programa de Pós-Graduação em Administração A Comissão Examinadora, abaixo assinada, aprova a Dissertação de Mestrado A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS elaborada por Leonardo Zandoná como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Administração COMISSÃO EXAMINADORA: Gilnei Luiz de Moura, Dr. (Presidente/Orientador) Luciana Flores Battistella, Drª. (UFSM) José Carlos Barbieri, Dr. (FGV) Milton Luiz Wittmann, Dr. (UFSM) Santa Maria, 14 de dezembro de 2010. DEDICATÓRIA A meu pai, que sempre gostou muito de ler, que plantou uma árvore, que teve três filhos e que dizia que não escreveria um livro. A J. Burka, L. Yuen, N. Fiore e L. Sapadin, autores que não figuram na fundamentação teórica desta dissertação, mas que lançaram as bases para a presente conquista e foram companheiros silenciosos em todos os dias do mestrado. AGRADECIMENTOS A Deus e à minha família: meu pai Fernando Waldomiro Zandoná (in memoriam), minha mãe Marlei Margarida Generali Zandoná e minhas irmãs Raquel e Renata Zandoná, por tudo que representam. A meu orientador e amigo, Prof. Dr. Gilnei Luiz de Moura, que soube, como ninguém, guiar-me no mundo da pesquisa. Aos professores do PPGA/UFSM, em especial à Profª Drª Luciana Flores Battistella e ao Prof. Dr. Milton Luiz Wittmann. Ao Prof. Dr. Fernando Olivares, da Universidad de Alicante, pelos ensinamentos sobre marcas verdes e greenwashing. Às empresas participantes desta pesquisa, Braskem, Gerdau, Itaú Unibanco, Duratex e Suzano Papel e Celulose, em especial aos seus respondentes. Aos colegas de trabalho Carlos Gilberto Denig e Eliane Chimendes Maciel, que apoiaram este Projeto, desde o momento em que o conheceram. A meus tios-avós, Armando Sérgio Generali e Benita Cruz Generali, pelo apoio durante a coleta de dados em São Paulo. Aos colegas do PPGA/UFSM Bruno Milani e Fernando Casarin, que dividiram não só o esforço das aulas, como também a paixão pelo ciclismo. A Adivo Paim Filho e Oscar Alberto Melo Mundstock, verdadeiros vigilantes e entusiastas da dissertação. Também a Filipe Campelo Xavier da Costa, Carlos Mello Moyano, Paula Casari Cundari e Laurence Reich Steglich. À AIESEC, AIESEC Alumni International, Junior Chamber International e JCI Training bem como a todos os amigos do mundo inteiro que fiz e farei. Não é a disciplina, a força de vontade ou a pressão dos outros que facilita a adesão a um curso de ação desafiador; mas, ao invés, a liberdade de escolha entre alternativas, o comprometimento pessoal com uma missão e a vontade de tomar a responsabilidade pelas consequências de suas decisões que tornam forte a vontade e enobrecem o espírito. Neil A. Fiore RESUMO Dissertação de Mestrado Programa de Pós-Graduação em Administração Universidade Federal de Santa Maria A INFLUÊNCIA DO GREEN MARKETING NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA DE EMPRESAS BRASILEIRAS AUTOR: LEONARDO ZANDONÁ ORIENTADOR: GILNEI LUIZ DE MOURA Data e Local da Defesa: Santa Maria, 14 de dezembro de A noção de sustentabilidade, largamente aceita, afeta pessoas, governos e empresas de diferentes modos e exige a incorporação de novas estratégias por parte dos mesmos. A presente dissertação tem por objetivo investigar quais as estratégias de Green Marketing adotadas por empresas brasileiras listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo e qual a sua influência na estratégia competitiva das mesmas. Foi utilizada a abordagem qualitativa por meio de estudo de casos múltiplos. Como unidade de análise foram selecionadas cinco empresas brasileiras (papel e celulose, química, siderúrgica, banco e produtos de acabamento para construção civil) que integram o Índice de Sustentabilidade Empresarial da BOVESPA no presente ano. A coleta dos dados aconteceu nas cidades de São Paulo e Porto Alegre, no período de julho a agosto de 2010, por meio de entrevistas semi-estruturadas, conduzidas in loco com gestores das empresas. Outras fontes utilizadas foram observação direta, documentos e publicações e artefatos físicos. Com respeito a razões que levam as empresas a adotarem o Green Marketing, a responsabilidade social é apontada como a principal razão. Observou-se que o grande agente de transformação são as próprias empresas e não os consumidores brasileiros, que ainda demandam pouco por produtos verdes. Analisando as empresas estudadas como consumidores industriais, estas desempenham um papel importante em sua cadeia produtiva, exigindo que seus fornecedores entreguem insumos, matérias-primas e serviços verdes. A segmentação verde mostrou-se uma estratégia de difícil aplicação no país. Identificou-se, porém, a prática das seguintes estratégias de Green Marketing: Verde Escasso, Verde Matizado e Verde Extremo (GINSBERG e BLOOM, 2004); Ecoeficiência, Beyond Compliance Leadership, Eco-branding e Liderança em Custo Ambiental (ORSATO, 2006); Atributos verdes e Atributos não-verdes (OTTMAN, STTAFORD e HARTMAN, 2006); Posicionamento de Marcas Verdes por Atributos Funcionais e Posicionamento de Marcas Verdes por Benefícios Emocionais (HARTMANN, APAOLAZA-IBAÑEZ e FORCADA-SAINZ, 2005); e Estratégia Verde (GRANT, 2007). Com respeito à influência do Green Marketing na estratégia competitiva, os resultados indicam que todas as empresas adotam a Estratégia Sistêmica (WHITTINGTON, 2002) e a Abordagem Estratégica de Gestão Ambiental (BARBIERI, 2007). Os resultados dão conta ainda que as empresas consideram em sua missão e em sua visão a condição de sustentabilidade; desenvolvem linhas de produtos e serviços verdes ou tornam verdes os produtos e serviços existentes, adotando ou não marcas verdes; conduzem mudanças em seu processo produtivo que resultam em ganhos ambientais e redução de custos; e tendem a não praticar o preço premium. As mudanças efetuadas pelas empresas têm um caráter estratégico, e não tático, e uma postura pró-ativa. Concluiu-se que, ao adotarem diferentes estratégias de Green Marketing, as empresas estudadas antecipam-se à futura e esperada alta demanda por produtos verdes por parte dos consumidores brasileiros e esperam, com isso, ganharem vantagem competitiva. O Green Marketing está, desse modo, incorporado ao planejamento estratégico em todos os casos estudados e a sua prática mostra-se crescente. A importância do presente estudo reside tanto na sistematização dos conhecimentos sobre Green Marketing quanto na verificação empírica das estratégias das empresas brasileiras. Palavras-chaves: green marketing; estratégia competitiva; empresas brasileiras. ABSTRACT Master s Dissertation Graduation Programme in Business Universidade Federal de Santa Maria THE INFLUENCY OF GREEN MARKETING IN THE COMPETITIVE ESTRATEGY OF BRAZILIAN COMPANIES AUTHOR: LEONARDO ZANDONÁ ADVISOR: GILNEI LUIZ DE MOURA Date and Place of the Defense: Santa Maria, Brazil, December 14 th, The widely accepted concept of sustainability affects people, governments and enterprises in different ways and requires the incorporation of new strategies. This dissertation aims to investigate the Green Marketing strategies adopted by Brazilian companies listed in the Business Sustainability Index of the São Paulo Stock Exchange (BOVESPA) and what is its influence on their competitive strategy. A qualitative approach was chosen, using multiple case study. As the unit of analysis five Brazilian companies were selected (pulp and paper, chemical, steel, banking and finishing products for construction) from the Business Sustainability Index of BOVESPA this year. Data collection took place in São Paulo and Porto Alegre, from July to August 2010, through semi-structured interviews conducted in loco with corporate managers. Other sources used were direct observation, documents and publications, and physical artifacts. Regarding the reasons that lead companies to adopt the Green Marketing, CSR is seen as the main reason. It was observed that the main change agents are the companies themselves and not the Brazilian consumers, who still demand for few green products. Analyzing the studied companies as industrial consumers, they play an important role in its production chain, requiring its suppliers to deliver green supplies, materials and services. Green gauge segmentation is difficult to implement as a strategy in Brazil. The findings indicate the practice of the following Green Marketing strategies: Lean Green, Shaded Green and Extreme Green (GINSBERG and BLOOM, 2004), Eco-efficiency, Beyond Compliance Leadership, Eco-branding and Environmental Cost Leadership (ORSATO, 2006); Green attributes and non-green attributes (OTTMAN, STTAFORD and HARTMAN, 2006), Green brand positioning by functional attributes and Green brand positioning by emotional benefits (HARTMANN, APAOLAZA IBAÑEZ and FORCADA-SAINZ, 2005) and Green Strategy (GRANT, 2007). Regarding the influence of Green Marketing in the competitive strategy, the results indicate that all companies adopt the Systemic Strategy (WHITTINGTON, 2002), and the Strategic Approach to Environmental Management (BARBIERI, 2007). The results also indicates that companies consider the sustainability in their mission and in their view, develop lines of green products and services or make green current products and services, adopting or not green brands; lead changes in its production process that result in environmental gains and cost reduction, and tend not to practice the premium price. The changes made by companies have a strategic character, not tactical, and a proactive attitude. It was concluded that by adopting different strategies of Green Marketing, the studied companies are anticipating the future expected high demand for green products by Brazilians consumers and expect thereby gain competitive advantage. Green Marketing is thus incorporated into strategic planning in all studied cases, and their practice shows growing up. The importance of this study lies both in the systematization of knowledge about Green Marketing and the empirical validation of the strategies of Brazilian companies. Key-words: green marketing; competitive strategy; Brazilian companies. LISTA DE QUADROS Quadro 1 A evolução da preocupação ambiental Quadro 2 As orientações de marketing Quadro 3 Conceitos de Green Marketing Quadro 4 Conceitos de consumidor verde Quadro 5 Conceitos de produto verde Quadro 6 Práticas que levam à miopia em Green Marketing Quadro 7 Líderes verdes nos negócios Quadro 8 Características do produto verde Quadro 9 Abordagens de gestão ambiental na empresa Quadro 10 Práticas voltadas para a ecoeficiência Quadro 11 Indicadores de ecoeficiência Quadro 12 Objetivos e práticas do ecodesign Quadro 13 Razões estratégicas para o aumento do Green Marketing Quadro 14 Hierarquia dos principais fatores ambientais Quadro 15 Segmentações segundo a conscientização ecológica Quadro 16 Segmentação verde de The Roper Survey Quadro 17 Matriz do Green Marketing Mix Quadro 18 Empresas integrantes do ISE... 93 11 Quadro 19 Relação entre os objetivos da pesquisa, os construtos, os autores, as variáveis e as questões de pesquisa Quadro 20 Entrevistados Quadro 21 Perfil da Braskem Quadro 22 Visão da Braskem Quadro 23 Parcerias do plástico verde da Braskem Quadro 24 Compromissos voluntários da Braskem Quadro 25 Resumo dos resultados da Braskem Quadro 26 Perfil da Gerdau Quadro 27 Visão, missão e valores da Gerdau Quadro 28 Resumo dos resultados da Gerdau Quadro 29 Perfil do Itaú Unibanco Quadro 30 Visão e valores do Itaú Unibanco Quadro 31 Compromissos voluntários do Itaú Unibanco Quadro 32 Resumo dos resultados do Itaú Unibanco Quadro 33 Perfil da Duratex Quadro 34 Produtos da Duratex Divisão Madeira Quadro 35 Práticas sustentáveis das florestas plantadas da Duratex Quadro 36 Produtos economizadores de água da Divisão Deca da Duratex Quadro 37 Visão, missão e valores da Duratex Quadro 38 Resumo dos resultados da Duratex Quadro 39 Perfil da Suzano Papel e Celulose Quadro 40 Visão, missão e valores da Suzano Papel e Celulose Quadro 41 Resumo dos resultados da Suzano Papel e Celulose Quadro 42 Características de produtos verdes das empresas pesquisadas Quadro 43 Segmentos, produtos e benefícios ambientais Quadro 44 Resultados comparativos 12 Quadro 45 Razões Estratégicas para o Aumento do Green Marketing Quadro 46 Abordagens de gestão ambiental na empresa e os casos analisados LISTA DE FIGURAS Figura 1 Esquema conceitual do estudo Figura 2 Vetor de crescimento de Ansoff Figura 3 Perspectivas genéricas sobre estratégia Figura 4 A Matriz do Green Marketing Estratégico Figura 5 Estratégias competitivas ambientais genéricas Figura 6 Modelo de posicionamento por atributos verdes e não-verdes Figura 7 Modelo de atributos e benefícios de marcas verdes Figura 8 Matriz de Green Marketing categorias Figura 9 Matriz de Green Marketing níveis hierárquicos Figura 10 - Design da pesquisa Figura 11 Empresas estudadas e seus logotipos e símbolos Figura 12 Fatores que impulsionaram a criação do plástico verde na Braskem Figura 13 Pilares da gestão da Suzano Papel e Celulose Figura 14 A Matriz do Green Marketing Estratégico e os casos analisados Figura 15 Estratégias competitivas ambientais genéricas e os casos analisados Figura 16 Modelo de posicionamento por atributos verdes e não-verdes e os casos analisados Figura 17 Modelo de atributos e benefícios de marcas verdes e os casos analisados Figura 18 Matriz de Green Marketing níveis hierárquicos e os casos analisados Figura 19 Perspectivas genéricas sobre estratégia e os casos analisados LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABAF ABIQUIM ABRAF ABTCP ACV AGAPAN AMA Avap BA Banerj Banestado BEG Bemge BOVESPA BP BRACELPA Associação Baiana de Produtores de Florestas Plantadas Associação Brasileira da Indústria Química Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel Análise do Ciclo de Vida Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural American Marketing Association (Associação Americana de Marketing) Área de Vivência Ambiental Piatan Bahia Banco do Estado do Rio de Janeiro Banco do Estado do Paraná Banco do Estado de Goiás Banco do Estado de Minas Gerais Bolsa de Valores de São Paulo British Petroleum Associação Brasileira de Celulose e Papel 16 BRIC BVQI CCX CDP CEBDS CEO CERFLOR CES CO2 COP 15 COPENE CTFIN DDT DfE EDF FGV FNPETI FSC GBC GEE GHG GLP GRES Brasil, Rússia, Índia e China Bureau Veritas Quality International Chicago Climate Exchange (Bolsa do Clima de Chicago) Carbon Disclosure Project (Projeto de Divulgação do Carbono) Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável Chief Executive Oficcer Certificação Florestal Centro de Estudos de Sustentabilidade Gás carbônico 15ª Conferência das Partes das Nações Unidas Companhia Petroquímica do Nordeste Ltda. Câmara Técnica de Finanças Sustentáveis Diclo-difenil-tricloroetano Design for Environment (Projeto para o Meio Ambiente) Environmental Defense Fund (Fundo de Defesa Ambiental) Fundação Getúlio Vargas Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal) Green Building Council (Conselho de Construção Verde) Gases do efeito estufa Greenhouse Gas (Gases do efeito estufa) Gás liquefeito de petróleo Grupo Referência em Estratégia de Sustentabilidade 17 GRI HDF IAF IBRI ICFPA Global Reporting Initiative High-density fiberboard (Placa de fibra de madeira de alta densidade) International Accreditation Forum Instituto Brasileiro de Relações com Investidores International Council of Forest and Paper Association IFC International Finance Corporation (Corporação Financeira Internacional) INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial IPCC Intergovernamental Panel of Climate Change (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) ISE ISO LASFF LCD LEED LNBio MDF MDP MG Índice de Sustentabilidade Empresarial International Organization for Standardization Latin American Sustainable Finance Forum (Fórum Latino-Americano sobre Finanças Sustentáveis) Liquid Crystal Display (Display de Cristal Líquido) Leadership in Energy Enviroment Design (Liderança em Projeto Ambiental de Energia) Laboratório Nacional de Biociências Medium-density Fiberboard (Placa de fibra de madeira de média densidade) Medium-density Particleboard Minas Gerais OECD Organization for Economic Co-operation and Development (Organização para a cooperação econômica e Desenvolvimento) 18 OHSAS ONGs ONU P+L PEFC PET PNUMA PRI PVC RS RSC SOPX SP SSMA SWOT TBL TNC Occupational Health and Safety Assessment Services (Serviços de Avaliação de Saúde e Segurança Ocupacional) Organizações Não-Governamentais Organização das Nações Unidas Produção Mais Limpa Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes Politereftalato de Etileno Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente Principles for Responsible Investment (Princípios de Investimento Responsável) Polyvinyl Chloride (Policloreto de Vinila) Rio Grande do Sul Responsabilidade Social Corporativa Stationery & Office Product Show (Mostra de Produtos de Papelaria e Escritório) São Paulo Saúde, Segurança e Meio Ambiente Strengths, weaknesses, opportunities, and threats (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças) Triple bottom line The Nature Conservancy TQEM Total Quality Environmental Management (Administração da Qualidade Ambiental Total) TQM Total Quality Management (Administração da Qualidade Total) 19 UAM UFSM UNCTAD WBCSD WCED WWF Unibanco Asset Management Universidade Federal de Santa Maria United Nations Conference on Trade and Development (Conferência das Nações Unidas sobre Negócios e Desenvolvimento) World Business Council for Sustainable Development (Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável) World Commission on Environment and Development (Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento) World Wide Fund for Nature LISTA DE APÊNDICES APÊNDICE A Carta de apresentação às empresas APÊNDICE B Protocolo de entrevista SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO TEMA E PROBLEMA DO ESTUDO OBJETIVOS DO ESTUDO JUSTIFICATIVA ESTRUTURA DO TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA GREEN MARKETING O surgimento do Green Marketing Conceitos de Green Marketing, consumidor verde e produto verde O desenvolvimento do Green Marketing ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Evolução da estratégia empresarial A conceituação de Whittington Questões ambientais e a estratégia empresarial ESTRATÉGIAS DE GREEN MARKETING Green Gauge Segmentation de Roper ASW A matriz de Green Marketing Estratégico de Ginsberg e Bloom O modelo de estratégias competitivas ambientais genéricas de Orsato O modelo de posicionamento por atributos verdes e não-verdes de Ottman, Sttaford e H
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks