Magazine

A Menina Que Nunca Viu o Mar - pré-escolar

Description
A Menina Que Nunca Viu o Mar Jardim de Infância de Vidago 2 3 A Menina Que Nunca Viu o Mar Jardim de Infância de Vidago 4 FICHA TÉCNICA: TÍTULO: A menina que…
Categories
Published
of 36
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
A Menina Que Nunca Viu o Mar Jardim de Infância de Vidago 2 3 A Menina Que Nunca Viu o Mar Jardim de Infância de Vidago 4 FICHA TÉCNICA: TÍTULO: A menina que nunca viu o mar AUTORES: Pais e Encarregados de Educação ILUSTRAÇÂO: Alunos do Ensino Pré-Escolar de Vidago COORDENAÇÃO E CONCEPÇÃO: As Educadoras Maria José Roxo e Maria Elisabete Barreiro MONTAGEM E ARRANJO: Biblioteca Escolar Centro de Recursos Educativos IMPRESSÃO: Gráfica Aguiarense Ano Lectivo 2009/2010 5 Agradecimentos Este livro tem como autores Os encarregados de educação Ao solicitá-los como colaboradores Demonstraram admirável dedicação Ao propormos ao Sr. Director O orçamento logo foi aprovado Não questionou o valor Confiando na equipa e no resultado Ao Sr. Doutor Francisco E a todo o apoio prestado Nunca esqueceremos isto Ficamos-lhe muito obrigado A D. Laura é uma profissional Para ela não há dificuldade Com um sorriso simpático e original Deixa-nos sempre à vontade Os nossos meninos são Verdadeiros ilustradores De papel e lápis na mão Parecem autênticos pintores As educadoras Mª José Roxo e Mª Elisabete Barreiro 6 7 Preâmbulo Como é maravilhoso fazer o que gostamos… Este trabalho traduz uma convivência, uma partilha… é uma aprendizagem digna de realce. Pela leitura das quadras sentimos que foram elaboradas com muito carinho pois reflectem muitas formas de sentir, de viver, e de amar! A família não está separada da Escola, nem esta existe sem aquela, pois coexistem em articulação de ideais. As crianças, a seu modo, souberam, com a ajuda das educadoras, ilustrar aquilo que os pais sentiram. Este trabalho merece ser lido e relido, pois é um trabalho de gerações que deve ter continuidade. Bem-haja a todos. O Director Nelson Marques Rodrigues 8 9 Era uma vez uma menina que nunca tinha visto o mar. Um dia pediu aos pais que a levassem à praia porque só conhecia o mar pela televisão. Todos os seus colegas já tinham visto o mar. Estava a aproximar-se o dia do seu aniversário e os pais tinham combinado em segredo dar-lhe como presente uma ida à praia. Finalmente chegou o dia tão esperado e lá foram eles de viagem. A menina estava muito feliz. Dizia que a areia era muito macia e que as ondas do mar lhe faziam cócegas nos pés. Arranjou amigos para brincar e no final do dia, quando foi para casa com os pais ia triste, porque ficou pouco tempo na praia. Os pais prometeramlhe que a levavam de novo à praia para brincar com os novos amigos. 10 O tempo foi passando, os dias foram ficando cada dia mais frios. Chegara então, o Outono e a menina via o seu desejo de voltar à praia cada vez mais distante. Um dia, a Rafa ouviu a sua professora contar uma história sobre as estações do ano. Todos os colegas adoravam ouvir falar da Primavera, mas ela deixou-se levar pela magia do Outono. Gostava muito do colorido da natureza e de ver os esquilos a saltar de árvore em árvore, recolhendo bolotas para comer e folhinhos para a sua casinha, onde ficariam recolhidos durante os dias mais frios. 11 O vento soprava, as folhas iam caindo e Rafa divertia-se a correr entre as folhas que cobriam o chão. A chuva caía e os dias iam ficando cada vez mais frios. Estava a aproximar-se o Inverno. 12 Na escola a professora pediu aos meninos para fazerem uma composição sobre o momento mais feliz da sua vida. Rafa escreveu sobre o dia que passou na praia e adormeceu com aquelas imagens no pensamento. Nessa noite sonhou que tinha viajado de avião para um país onde o sol brilhava e as praias tinham areia dourada. 13 Quando acordou contou aos seus pais o sonho que tinha tido e que gostava que fosse realidade. Os pais conversaram com ela e explicaram-lhe que para viajar de avião era preciso muito dinheiro e eles não podiam fazer esta viagem porque se estava a aproximar o Natal, que é uma época especial e magica, mas que se gasta muito dinheiro: - “ Decoramos o pinheiro e o presépio e escrevemos ao Pai Natal a pedir os presentes”, disseram-lhe os pais. 14 Agora Rafa, não esquecendo o mar, vive uma época feliz que é o Natal e que ela também gosta muito. Na carta que escreveu ao Pai Natal, pediu para que o Verão viesse rápido e os pais a pudessem levar mais uma vez à praia, mas que também gostava de ter um presente de Natal. Com a ajuda do seu ursinho Simão pediu um brinquedo que tinha visto numa revista. 15 Finalmente chegou o dia de Natal e Rafa estava ansiosa para ver os presentes que estavam junto da árvore de Natal. Ficou tão surpreendida com os presentes que encontrou no sapatinho que disse ao irmão: -“Este ano portamo-nos bem, por isso o Pai Natal foi nosso amiguinho”. 16 Foi um dia de grande felicidade porque tinha toda a família reunida: os pais, o irmão, os avós, os tios e os primos. O Ano de 2010 estava a chegar e as férias de Natal a terminar. 17 Ia começar a escola que Rafa tanto gosta. No primeiro dia de aulas foi a primeira a acordar e quando espreitou pela janela viu que tinha nevado. Então muito contente foi a correr acordar os pais aos gritos: - Nevou, nevou! Venham ver. Com tanta neve não podia ir à escola e os pais decidiram ficar em casa e passar o dia com os filhos a brincar com a neve. 18 Foi um dia muito divertido. O manto branco que cobria a paisagem era tão fofo que apetecia correr sobre a neve. Decidiram fazer um boneco de neve. Enfeitaram-no com um cachecol e puseram uma cenoura no nariz. A mãe tirou fotografias para a Rafa levar para a escola e mostrar aos seus amiguinhos. 19 No dia seguinte quando acordou foi logo a correr à janela para ver se ainda havia neve, mas durante a noite choveu e a neve derreteu. Quando chegou à escola já lá estavam os seus amigos ansiosos por contar como tinham corrido as férias de Natal e aquele dia na neve. A menina mostrou as fotografias que tirou na neve a todos os amigos. 20 Quando chegou a casa ia muito contente e disse aos pais que tinha tido um dia divertido com os seus colegas. Rafa chegou à conclusão que se podia divertir em todas as estações do ano e aprendeu a gostar do Inverno. Até deu uma ideia aos pais: -“Podíamos passar o próximo Natal na Serra da Estrela, porque lá há neve quase todos os dias no Inverno”. Os pais gostaram da ideia. 21 Entretanto estava a aproximar-se o Carnaval e a menina só pensava na sua fantasia preferida. Chegou finalmente o Carnaval. Rafa estava muito contente pois queria mostrar aos seus colegas a sua fantasia de princesa. Um colega que estava mascarado de palhaço disse-lhe que ela estava muito bonita. Lá se fez a festa de Carnaval da escola, foi um dia inesquecível. 22 Era tempo do Inverno sair de mansinho. Toc…toc…toc…alguém batia na porta da natureza, era a Primavera que pedia licença para entrar. A mãe natureza recebeu-a de braços abertos, pois o Inverno havia sido longo e rigoroso. A Primavera era aguardada com ansiedade. Entrou então com todo o seu esplendor: as andorinhas chegaram, as árvores floriram, as flores cresceram, os passarinhos fizeram os ninhos, tudo ganhou cor e uma nova forma de vida. 23 Com a chegada da Primavera, as pessoas começaram a limpar as suas casas, os jardins eram arranjados e as hortas cultivadas. Estavam a aproximar-se as férias da Páscoa. Na escola pintavam coelhinhos, ovos e faziam uma pequena cestinha para levarem as amêndoas para casa. 24 O pensamento de Rafa só estava na estação que vinha depois da Primavera… Já pensava no sol quente, na areia macia que lhe fazia cócegas nos pés, nos castelos de areia que construíra com os seus amigos junto ao mar… Mas tinha de aproveitar a Primavera, a estação do “Amor”, das belas flores, dos passarinhos a chilrearem, da temperatura amena… 25 Rafa era uma menina muito bonita e carinhosa, a sua simpatia fazia com que facilmente arranjasse amizades. A escola era um dos sítios onde a menina se sentia bem, pois era lá que aprendia e brincava com os amiguinhos. Todos os dias ao chegar a casa tinha uma novidade para contar aos seus pais. 26 Apesar das férias de Verão ainda estarem longe Rafa e os seus amigos pensaram convencer os seus pais a marcarem férias no mesmo local para assim se poderem divertir todos juntos. 27 A imaginação de Rafa não parava…sonhava ter um barco grande e forte com uma vela branca e no meio do barco haveria uma casinha com um telhado vermelho, redondo como uma bolacha e uma chaminé de tijolos cor de laranja. A cozinha seria amarela, com um fogão cor de framboesa. No quarto teria uma cama de rede, feita de cordel liso e prateado com uma grande janela. 28 Quando contou à sua mãe o que tinha imaginado, esta ficou surpreendida com a sua criatividade. A menina disse: - “Gostava tanto que este sonho fosse realidade”. A mãe explicou-lhe que era impossível ter um barco a sério, porque custava muito dinheiro, mas que tinha uma solução que lhe iria agradar. Rafa ficou curiosa e quis logo saber o que seria. A mãe disse: - “As próximas férias irão ser inesquecíveis, iremos fazer um passeio de barco. ” 29 Depois de jantar, Rafa vestiu o pijama, lavou os dentes e deitou-se a pensar no dia seguinte e como ficariam contentes os seus colegas quando lhes contasse os planos da sua mãe. 30 No dia seguinte acordou cedo ansiosa por chegar à escola. Tomou um bom pequeno-almoço, porque era importante ter forças para aprender e brincar e lá foi para a escola. Quando chegou contou logo aos seus amigos, mas para sua surpresa o Carlitos ficou triste. Rafa como gostava muito dele, perguntou: -“Carlitos porque ficaste triste?”. Então ele respondeu: -“Eu também gostava muito de ir à praia e fazer um passeio de barco…mas os meus pais não têm dinheiro”. Rafa que era uma menina muito solidária disse: -“Carlitos prometo que vou pedir à minha mãe para ires connosco, ela fala com os teus pais”. 31 Assim foi, a mãe de Rafa convenceu os pais do Carlinhos a deixá-lo ir de férias com eles. As férias chegaram finalmente. No dia da partida, quando se juntaram estavam radiantes. Ao avistar o mar ainda lhes parecia um sonho, nem queriam acreditar que estavam todos juntos na praia… Correram, saltaram, fizeram castelos de areia e tomaram banho. Depois do lanche chegou o momento de ir passear de barco e ver no fundo do mar, conchas, búzios, peixinhos e estrelas do mar. Tal como a mãe de Rafa prometera, foram umas férias inesquecíveis. 32 Fim 33 Alunos: Ana Maria Ana Rafaela Anaísa Rodrigues André carvalho André Pimentel Ângelo Santos Beatriz Barros Beatriz Teixeira Bruno Miguel Carina Carvalho Cláudia Patrícia David Martins Débora Gomes Diana Salgado Diogo Correia Diogo Miguel Eliseu Mendes Érica Sofia Hélder Simão Helena Isabel Inês Sousa Jéssica Soares João Pedro Juliana Carvalhal Lara Rafaela Liliana Nascimento Lorena Soraia Luís Teixeira Marco Catarino 34 Margarida Pinheiro Maria Adão Maria João Mariana Leite Mariana Pinto Mariana Santos Nuno Miguel Pedro Catarino Pedro Miguel Rafael Torrado Tomás Rodrigues 35 36
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks