Slides

A tutela militar da República Brasileira

Description
1. A Tutela Militar da República Brasileira O gráfico1 é muitointeressante,poismostraogrande desenvolvimentodoBrasil entre 1950 e 1980, quando saltamos da 162ª…
Categories
Published
of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. A Tutela Militar da República Brasileira O gráfico1 é muitointeressante,poismostraogrande desenvolvimentodoBrasil entre 1950 e 1980, quando saltamos da 162ª economia do mundo para a 10ª posição. Eu me lembro bem quando em meados de 1979 a inflação atingiu 50%, chagando a 100% até o final daquele ano. Nessa época, o General-Presidente Geisel nomeou o Mário Henrique Simonsen como Ministro da Fazenda com o objetivo de diminuir o processo inflacionário, sendosabotadosistematicamente pela turmadoDelfimNeto,daFIESPe da USP-Economia, os quais venceram e Simonsen foi despedido da função... Nessaépoca,também, oGeneral Frotatentou derrubar o General Geisel através de um golpe para abortar o processode aberturapolíticae perdeu.Continuou-se, então, com a lengalenga da abertura lenta gradual e segura e apenas em 1990 foi eleito o primeiro Presidente Civil, Color de Melo, depois de décadas de regime militar que tinha começado em 1964. O projeto de República que se seguiu ao regime militar foi engendrado pelo famigerado General Golbery do Couto e Silva que instituiu esse atual modelo presidencial de coalização que tornou o país ingovernável no longo prazo (1988-2016). O objetivo desse modelo “político”era impediroPTou a esquerdaou, ainda, qualqueroposição de, se caso ganhassem as eleições, não pudessem mudar a condição de tutela imposta pelos militares à República, que na verdade já vinha, com mais ou menos intervencionismo, desde 15 de novembro de 1889. A escaladainflacionário, a partir da queda Simonsen, e com a volta da turma do Delfim Neto, foi vertiginosa.Passamosaconvivercomumainflaçãomédiade primeiro 5% ao mês, no início da década de 1980, para depois, 10% ao mês até o fim de 1980, até atingirmos, do início até meados da década de 1990, os espetaculares 50% de inflação ao mês. Esse processo inflacionáriovertiginosoteve como objetivo manter o desenvolvimento industrial começado na década de 1950 com a política de substituição de importados. A estratégia do Regime Militar e do Delfim Neto era, com a crise do petróleo de meados de 1970, que vinha impactando o milagre econômico, manter a competitividade dos produtos industriais brasileiros, desvalorizando-se, então, o câmbio a níveis absurdos, tornando a moeda nacional uma porcaria imprestável. A desvalorização cambial induzida a níveis impressionantes, de fato, impossibilitavam o processo de importação e sustentaram um processo industrial que sem competitividade de produtos estrangeiros possibilitou o surgimento de indústrias de fundo de quintal. Essas indústriastipo“fundode quintal”compouco,ounenhum, processosériode desenvolvimento tecnológico competitivoforamsustentadas aqualquerpreçoaté o advento do “Real”, quando se seguiu uma pequena abertura para produtos de fora e essa indústrias colapsaram do dia para noite. Essa política de desvalorização cambial mostrou-se desastrosa para o incipiente processo de desenvolvimentoindustrial brasileiro,poisque impediuoseudesenvolvimentotecnológico, já que indústriasde fundode quintal invadiam o mercado protegido com quinquilharias para as quais não havia opções.
  • 2. Seguiu-se aisso,odesmoronamentodoprocessoeducacional tecnológicocomoconsequência da falta de estímulo ao desenvolvimento de novos processos competitivos, já que essas indústrias de fundo de quintal aproveitavam-se apenas de um câmbio totalmente desvalorizado e não tinham nem interesse, nem capacidade técnica e nem dinheiro para mudar seus incipientes processos industriais. A partir de 1980, declina o desenvolvimento industrial Brasileiro e o próprio processo de desenvolvimento econômico, pois que esse processo de desvalorização cambial absurdo provocou desequilíbrios imensos na balança comercial do país, já que nosso processo competitivoestavasendoditadoporindustriaisde fundo de quintal, sem capacidade séria de competitividadeno mercado externo, a menos por preços aviltantemente baixos, resultante do baixonível de desenvolvimento de seus processos industriais que mantinham seus custos muitobaixos.Oresultado desse coquetel econômico foi o processo inflacionário vertiginoso como descrito acima. A partir do “Real” essas indústrias tipo “fundo de quintal” colapsaram e a falta de uma infraestruturade ensinotecnológico com Universidade que estavam igualmente sucateadas, tais como nossas indústrias, tivemos que importar novos processos industriais, criando-se, assim, indústrias montadora. Por essa época, início da década de 2000, os investimentos no agronegócio começaram a dar resultados e a perda de capacidade competitiva das indústrias foi substituída pela alta competitividade da agricultura, não apenas resolvendo os desequilíbrios crônicos com a balança de pagamentos, mas também, produzindo sólidos superávits. Essessuperávitsdo agronegócio passaram a pagar a importação de peças e partes usadas nos novos processos industriais implantados no Brasil com a diminuição das alíquotas de importaçãoe a instalaçãode novasindústriasmontadorasnacionaise estrangeiras. Terminou, assim,o períodointervencionistamilitartantonaeconomiaquanto na política. O ano de 2016, simbolicamente, reflete o fim dessa tutela militar sobre a República Brasileira, mostrando o nível de decadência que se chegou com esse processo político do Presidencialismo de coalização do General Golbery e da necessidade de se aposentar em definitivo as ideias de desenvolvimento industrial da década de 1950. Prof. Ricardo São Carlos21 de novembrode 2016
  • 303493

    Apr 8, 2018
    Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks