Genealogy

Abertura de Mercado 18/01/ PDF

Description
Fatores externos devem guiar mercados novamente COMPORTAMENTO DAS PRINCIPAIS BOLSAS Embaladas por mais um recorde nos mercados em Nova York ontem, as bolsas europeias abriram em alta nesta manhã, mas o
Categories
Published
of 9
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
Fatores externos devem guiar mercados novamente COMPORTAMENTO DAS PRINCIPAIS BOLSAS Embaladas por mais um recorde nos mercados em Nova York ontem, as bolsas europeias abriram em alta nesta manhã, mas o movimento não se sustentou e os sinais agora são mistos. Já os índices futuros norte-americanos indicam uma realização pontual de lucros, apesar de os investidores continuarem animados com as perspectivas de crescimento global. Mais cedo, foram divulgados alguns dados da economia chinesa, que confirmam que as perspectivas globais seguem positivas. Com a agenda local fraca, a bolsa brasileira deve mais uma vez ser influenciada por fatores externos. Além disso, desdobramentos no campo político local também seguem no radar dos investidores. DESTAQUE DA AGENDA ECONÔMICA EM 18/01 BRASIL: A agenda local é fraca nesta quinta-feira e reserva apenas a segunda prévia de janeiro do IGP- M que foi divulgada mais cedo. O índice subiu 0,82% na 2ª prévia de janeiro ante 0,88% na 2ª prévia de dezembro, ficando acima da expectativa do mercado. EUA: Serão conhecidos os pedidos semanais de auxílio-desemprego e dados de construções de moradias iniciadas em dezembro, ambos às 11h30. Depois, às 13h30, o Departamento de Energia apresenta seu relatório semanal de estoques de petróleo. Na safra de balanços, estão previstos os resultados do Morgan Stanley (10 horas) e da IBM (19 horas). ÁSIA: O crescimento da China ganhou força pela primeira vez em sete anos em O PIB chinês teve expansão de 6,9% no ano passado, acelerando o ritmo em relação ao avanço de 6,7% verificado em Analistas previam acréscimo um pouco menor, de 6,7%. O resultado veio bem acima da meta de Pequim para 2017, de 6,5%. (...) (...) Apenas no quarto trimestre de 2017, o PIB cresceu 6,8% em relação a igual período do ano anterior, repetindo a taxa do terceiro trimestre. A produção industrial por lá teve expansão anual de 6,2% em dezembro, ganhando força em relação ao aumento de 6,1% observado em novembro. O resultado do mês passado superou a expectativa de analistas, que previam acréscimo de 6%. Na comparação mensal, a indústria chinesa produziu 0,52% mais em dezembro, depois do aumento de 0,48% visto em novembro. Por outro lado, as vendas no varejo avançaram em ritmo anual mais fraco em dezembro, de 9,4%, após subirem 10,2% em novembro. Neste caso, a projeção do mercado era de alta de 10,1%. Em relação a novembro, o setor varejista chinês vendeu 0,7% mais no último mês. CÂMBIO JUROS Dias de queda... Na quarta-feira, em meio ao maior fluxo de capitais para a Bolsa brasileira, o dólar fechou em queda. A moeda norte-americana também perdeu valor para as principais moedas de países emergentes e ligados a commodities, com a alta do petróleo no mercado internacional. Nesta manhã de quinta-feira, o dólar recua ante maioria das principais moedas no exterior. Enquanto os investidores monitoram as notícias domésticas, o viés externo deve ser determinante para o início das negociações hoje. Prêmios em queda... As taxas dos principais contratos de juros futuros apresentaram oscilações bastante moderadas no decorrer da sessão da quarta-feira, mas em geral a redução na percepção do risco doméstico continua reduzindo os prêmios adicionados ao longo da curva a termo. O ambiente externo continua favorável à negociação de ativos de países emergentes/maior risco, sugerindo a continuidade dos ajustes negativos na curva a termo doméstica, sobretudo nos trechos mais longos. Por ora, os rendimentos dos Treasuries norte-americanos rondam a estabilidade. Para acompanhar: O Tesouro realiza mais um leilão de títulos públicos hoje, ofertando LTNs (vencimentos em 2018, 2020 e 2022), LFTs (vencimentos em 2024) e NTN-Fs (vencimentos em 2025 e 2029). NOTÍCIAS CORPORATIVAS Even (EVEN3): Preparando o terreno para uma melhoria A Even reportou dados operacionais preliminares neutros para o 4T17 na noite de ontem (17). Os principais destaques foram: (i) novos lançamentos (R$ 402 milhões no 4T17 e R$ 1,1 bilhão no ano fiscal de 2017), preparando-se para possível recuperação do mercado; (ii) a velocidade de venda dos estoques (6%) continuou a mostrar uma melhora gradual, apesar do crescimento dos distratos; (iii) entrega recorde de unidades (R$ 1,4 bilhão no 4T17 e R$ 2,6 bilhões em 2017) resultou em maiores distratos no 4T17, mas deve ajudar na geração de caixa; e (iv) esses distratos devem continuar prejudicando a margem bruta da Even no 4T17. Nossa visão: O valuation atrativo entre as construtoras do segmento de média e alta renda, sustenta a nossa recomendação de Compra para o nome. EVEN3 é negociada à 0,67x o seu valor patrimonial (P/VPA), indicando earnings yield (Lucro/Preço) médio de 13% para os próximos anos, contra 11% para seus pares setoriais (e 16% para as top picks Tenda e MRV). Temos preço-alvo de R$ 7,00/EVEN3 ao final de Luiz Maurício Garcia* Renato Chanes Papel & Celulose: Quebrando paradigmas A celulose tem (muito) upside ainda Revisamos nossas estimativas para o setor e para as companhias listadas, e somos ainda mais otimistas sobre a celulose, aumentando inclusive as nossas estimativas de preços para a commodity em 11%/18%/17% em 2018/19/20, respectivamente. Estas estimativas estão entre 15% e 20% acima do consenso de mercado. Acreditamos que os principais drivers para esse mercado devem ser: (i) o aumento da produção de papel na China; (ii) a aceleração do ciclo de crescimento econômico global, incluindo a Europa; (iii) a substituição de fibras na China - fibras virgens ganhando participação de reciclados; e (iv) o excesso de oferta limitado no 1º semestre do ano e o déficit significativo esperado para entre o 2S18 e o ano de Nossa visão: As ações da Fibria continuam sendo as nossas top picks no setor, agora com um preço-alvo de R$ 71,00/FIBR3 ao final de 2018 (o mais alto no mercado), conferindo um upside de 41%. Nós também gostamos das ações da Suzano, e elevamos o preço-alvo para R$ 28,00/SUZB3, conferindo um upside de 42%. Com as units da Klabin, seguimos com a recomendação apenas Neutra (apesar de projetar algum upside para o ativo). Thiago Lofiego* Renato Chanes Tenda (TEND3) Ao infinito e além!!! (Parte II) Ontem (17) a noite, a Tenda reportou sua prévia operacional para o 4T17 com números muito fortes. Os principais destaques no período: (i) lançamentos atingiram R$ 458 milhões (+23% A/A e -6% T/T); (ii) as vendas líquidas totalizaram R$ 434 milhões (+39% A/A e +13% T/T), as maiores no novo modelo de negócios, apesar de o terceiro trimestre do ano ser o trimestre mais forte do segmento; (iii) esperamos que a desaceleração (de 6%) no número das unidades transferidas para instituições financeiras tenha um impacto apenas marginal na geração de caixa; e (iv) o landbank continuou a expandir, para R$ 6,7 bilhões em VGV no 4T17 (+6% T/T). Nossa visão: As ações da Tenda estão negociando à 0,98x o seu valor patrimonial (P/VPA), com earnings yield (Lucro/Preço) médio de 16% para os próximos de 3 anos, contra 11% para a média do setor, sustentando a nossa recomendação de Compra e status de top pick (juntamente com MRV). Temos um preço-alvo de R$ 26,00/TEND3 ao final de Luiz Maurício Garcia* Renato Chanes *Analista responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art.16 da instrução CVM 483/10 FIQUE DE OLHO NA ANÁLISE GRÁFICA! Ibovespa: Próxima resistência em pts O Ibovespa seguiu renovando sua máxima histórica. Acelerou na compra após ter quebrado a barreira dos e na continuidade deste movimento, encontraria uma próxima resistência em , nível que poderia motivar um movimento de realização de lucros. Neste caso, os suportes que amparam a atual tendência de alta, ficaram marcados em e pts. Acima de , o índice passaria a olhar para a região dos pts. Recomendação do dia*: SUZB3 COMPRA: SUZB3 a 19,74 com primeiro objetivo em 20,15 (+2,08%) e um segundo em 20,98 (+6,28%). O stop ficaria marcado em 19,23 (-2,58%). *Operação de SWING CURTO aguardando ponto de entrada (com margem de entrada de até 0,50% acima do ponto de entrada sugerido), válida apenas para o próximo pregão (18/01/2018). **Caso o valor do stop loss ou um dos objetivos seja atingido antes da entrada, cancelar a operação. ***Sugestão de saída parcial de 50% em cada objetivo. Caso o primeiro objetivo seja atingido, ajustar o stop para o preço de entrada. Maurício A. Camargo* Analista Gráfico, CNPI-T *Analista responsável principal por este conteúdo e pelo cumprimento do disposto no Art.16 da Instrução CVM 483/10. COMMODITIES Minério de Ferro (US$/ton) $95,00 $85,00 $75,00 $65,00 $55,00 $45,00 $35,00 O minério de ferro (ref. China¹) encerrou a sessão de ontem (17) cotado aos US$ 74,35/tonelada, em queda de 1,63%. Hoje, a cotação da maioria dos metais sobe com PIB chinês. As cotações futuras do minério de ferro avançam em Dalian. Petróleo - WTI (US$/barril) $70,00 $60,00 $50,00 $40,00 $30,00 $20,00 As cotações do petróleo se sustentam perto dos US$ 64 com sinais de queda dos estoques norte-americanos. Na sessão de 17/01, a commodity se valorizou em 0,38% e terminou o dia cotada aos US$ 63,97/barril. Ouro (US$/onça-troy²) $1.400 $1.350 $1.300 $1.250 $1.200 $1.150 $1.100 $1.050 $1.000 As cotações do ouro avançam nesta manhã, mas com oscilações ainda bastante limitadas. Na sessão de 17/01, a commodity metálica se desvalorizou em 0,86% e terminou o dia cotada aos US$ 1.326,84/onça-troy. ¹ Referência: 62% de teor de ferro, entregue no porto de Qingdao, China ² Unidade equivalente à 31,1035 gramas Fonte: Bloomberg CONFIRA A AGENDA ECONÔMICA DE HOJE Brasil Data Horário Indicador Referência Relevância Consenso Anterior Resultado 18-jan 08:00 FGV - 2ª Prévia do IGP-M jan 0,75% 0,88% 0,82% 15 a 19-jan -- CNI - Confiança da Indústria jan -- 58, a 19-jan -- Coleta de impostos dez M M a 19-jan -- Dívida Pública Federal dez B -- Fonte: Bloomberg e Bradesco BBI EUA Data Horário Indicador Referência Relevância Consenso Anterior Resultado 18-jan 11:30 Construção de Novas Moradias dez 1273K 1297K jan 11:30 Construção de Novas Moradias (M/M) dez -1,90% 3,30% jan 11:30 Fed da Filadélfia - Panorama dos Negócios jan 24,00 27, jan 11:30 Licenças para construção dez 1290K 1303K jan 11:30 Novos pedidos de seguro-desemprego jan/13 250K 261K jan 11:30 Seguro-desemprego jan/ K 1867K jan 13:00 Universidade de Michigan - Confiança do Consumidor jan 97 95,9 -- Fonte: Bloomberg e Bradesco BBI China Data Horário Indicador Referência Relevância Consenso Anterior Resultado 18-jan 05:00 Ativos Fixos Exceto Rurais Acumulado no Ano (A/A) dez 7,10% 7,20% 7,20% 18-jan 05:00 PIB (A/A) 4T 6,70% 6,80% 6,80% 18-jan 05:00 PIB Acumulado no Ano (A/A) 4T 6,80% 6,90% 6,90% 18-jan 05:00 PIB Sazonalizado (T/T) 4T 1,70% 1,70% 1,60% 18-jan 05:00 Produção Industrial (A/A) dez 6,10% 6,10% 6,20% 18-jan 05:00 Produção Industrial Acumulada no Ano (A/A) dez 6,60% 6,60% 6,60% 18-jan 05:00 Vendas no varejo (A/A) dez 10,20% 10,20% 9,40% Fonte: Bloomberg e Bradesco BBI Legenda: Alta Média Baixa INDICADORES FINANCEIROS E PROJEÇÕES ECONÔMICAS Indicadores Financeiros Ibovespa (17/01) 1,70% Dólar Comercial (17/01) -0,42% R$ 3,214 Euro (17/01) -0,38% R$ 3,942 CDS¹ Brasil - 5 anos (17/01) 0,19% 145,77 Projeções Econômicas Indicador E 2018E Crescimento Real do PIB (%) 2,7 1,0 2,5 0,5-3,8-3,6 1,0 2,0 Taxa de câmbio - Final (R$/US$) 1,88 2,04 2,34 2,66 3,90 3,26 3,30 3,40 IPCA (% aa) 6,50 5,84 5,90 6,40 10,70 6,30 2,80 4,20 Meta SELIC - Final (%) 11,00 7,25 10,00 11,75 14,25 13,75 7,00 7,75 Fonte: Bradesco BBI T-Note - 10 anos (17/01) 2,590% CDI Anualizado (17/01) 6,89% Poupança Nova (17/01) 0,40% IPCA - Dezembro 0,44% Selic (a.a.) 7,00% Fonte: Broadcast ¹Credit Default Swap: Proteção contra o não cumprimento de obrigações de um determinado emitente Estrategista José Cataldo* *Analista responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art.16 da Instrução CVM 483/10. Este relatório foi preparado pelas equipes de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. ( Ágora ) bem como da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários ( Bradesco Corretora ), sociedades controladas pelo Banco Bradesco BBI S.A. ( BBI ). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora e da Bradesco Corretora. Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração ( analistas de investimento ) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco. A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI. Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora: O Banco Bradesco S.A. tem participação acionária indireta, por meio de suas subsidiárias, acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Fleury S.A.. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação acima de 5% na VALE S.A.. Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise. O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações da Algar Telecom S.A., Petrobrás Distribuidora S.A., BK Brasil Operação e Assessoria a Restaurantes S.A. e Grupo SBF S.A.. Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar, Movida S.A., Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - BANRISUL, Instituto Hermes Pardini S.A., Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A., CCR S.A., Lojas Americanas S.A., BR Properties S.A., AES Tietê S.A., BR Malls Participações S.A., Omega Geração S.A., Atacadão S.A., IRB-Brasil Resseguros S.A., Rumo S.A., Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo S.A., Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobrás, Magazine Luiza S.A., Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A., Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. Usiminas, Companhia Paulista de Força e Luz - CPFL.,Sabesp, Concessionária do Sistema Anhanguera-Bandeirantes S.A., Localiza Rent a Car S.A., Companhia Brasileira de Distribuição, Natura Cosméticos S.A., Restoque Comércio e Confeccções de Roupas S.A., Eneva S.A., Camil Alimentos S.A., MRV Engenharia e Participações S.A., Vulcabras Azaleia S.A., CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A., Energisa S.A., Loma Negra, Randon S.A. Implementos e Participações, Equatorial Energia S.A., CTEEP - Companhia Paulista de Trasmissão de Energia Elétrica Paulista. Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Instituto Hermes Pardini S.A., SANEPAR, Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A., CPFL, Concessionária do Sistema Anhanguera-Bandeirantes S.A., Camil Alimentos S.A., Autoban, Movida S.A., Atacadão S.A., Omega Geração S.A., IRB Brasil Resseguros S.A., Equatorial Energia S.A., Light Serviços de Eletricidade S.A. e Eneva S.A. A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Fomento Economico Mexicano FEMSA (FMXB34), Vanguarda Agro S.A. (VAGR3), Helbor Empreendimentos S.A. (HBOR3) e Alpargatas S.A. (ALPA4). ANÁLISE DE INVESTIMENTOS Diretor de Research Daniel Altman, CFA Economista-chefe Dalton Gardimam Estrategista de Análise Pessoas Físicas José Francisco Cataldo Ferreira, CNPI Analistas de Investimentos Ricardo Faria França, CNPI Renato Cesar Chanes, CNPI Analistas Gráficos Maurício A. Camargo, CNPI-T Jéssica do Nascimento Feitosa, CNPI-T Assistente de Análise Flávia Andrade Meireles BRADESCO CORRETORA Diretoria Luis Cláudio de Freitas Coelho Pereira Área Comercial Home Broker / Mesa de Operações: Varejo Mesa de Operações: Futuros e Derivativos Mesa de Operações: Prime Mesa de Operações: Private
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks